Serviço de Oncologia e Hematologia completa 55 anos

Notícias

Serviço de Oncologia e Hematologia completa 55 anos

Pioneiro no atendimento a crianças e adolescentes com câncer infantil no Brasil, serviço disponibiliza tratamento humanizado e de excelência – do diagnóstico às terapias mais inovadoras –, com taxa de sobrevida de 74%
23/11/2023
Serviço de Oncologia e Hematologia
Os médicos Eurípides Ferreira e Flora Mitie Watanabe foram essenciais para a criação do Serviço de Oncologia e Hematologia do Hospital.

No início da década de 1960, um estudante de medicina chegou ao Hospital Pequeno Príncipe para aprimorar a sua formação. O encontro desse profissional com as crianças que enfrentavam o câncer impactaria a sua carreira, a estrutura do Pequeno Príncipe e a vida de milhares de pacientes e suas famílias.

Esse estudante era o Eurípides Ferreira, um dos grandes nomes da hematologia no Brasil, responsável pela realização do primeiro transplante de medula óssea feito no país. Foi ele quem iniciou os atendimentos às crianças que lutavam contra o câncer e contra as doenças hematológicas, numa época em que o diagnóstico quase equivalia a uma sentença de morte.

Alguns anos depois, em 1968, o Serviço de Oncologia e Hematologia do Pequeno Príncipe foi formalizado. Com a chegada de novos profissionais, como a médica Flora Mitie Watanabe, o serviço cresceu e se tornou um dos mais importantes e completos do Brasil. Em 2023, completa 55 anos, aliando experiência, inovação, muito conhecimento, formação de novos profissionais e humanização para promover atendimentos resolutivos, que alcançam um índice médio de cura de 74%.

Linha completa de cuidados

quimioterapia
O Pequeno Príncipe cuida e garante outros direitos de pacientes em tratamento contra o câncer.

Um dos grandes diferenciais do Serviço de Oncologia e Hematologia do Hospital Pequeno Príncipe é a oferta de uma linha completa de cuidados. Para a realização do diagnóstico, a instituição conta com o Centro de Imagem, onde é possível realizar desde exames mais simples, como o raio-X, até ressonâncias magnéticas.

O paciente também tem à sua disposição o Centro de Diagnóstico Avançado Pequeno Príncipe, no qual se pode fazer uma série de exames genéticos, fundamentais para a elucidação de alguns casos e para a avaliação do prognóstico da doença, orientando o médico na tomada de decisão a respeito de quais os melhores e mais efetivos tratamentos.

Após a confirmação do diagnóstico, o paciente tem uma estrutura especialmente dedicada ao tratamento tanto clínico quanto cirúrgico. São 21 leitos de internamento, ambulatório de quimioterapia, sala cirúrgica com equipes especializadas e leitos de UTI que oferecem todo o suporte necessário.

“Outro grande diferencial é que os médicos oncologistas e hematologistas do Pequeno Príncipe podem contar com a experiência e conhecimento de profissionais de 35 especialidades pediátricas, que se juntam à equipe de atendimento conforme a necessidade de cada paciente”, enfatiza a oncologista Ana Paula Kuczynski Pedro Bom.

São neurologistas, ortopedistas, cardiologistas, geneticistas e muitos outros especialistas que avaliam o paciente de forma integral. Psicólogos, fonoaudiólogos, fisioterapeutas, nutricionistas, farmacêuticos e enfermeiros estão entre os profissionais que completam o time.

Os pacientes que têm indicação podem fazer também na instituição o transplante de medula óssea e ainda o Car-T Cell, uma terapia inovadora que ajuda a enfrentar alguns tipos de câncer quando as demais terapias não apresentam resultados.

Para os pacientes que precisam de algum tipo de reabilitação, o Pequeno Príncipe conta com duas estruturas: uma dentro do próprio Hospital e outra exclusiva para reabilitação, o Centro de Reabilitação e Convivência Pequeno Príncipe.

Finalizada a etapa mais intensa do tratamento, os pacientes recebem acompanhamento ambulatorial até que possam comemorar a sua cura. Em todo esse percurso, podem contar com atendimento 24 horas por dia, sete dias da semana, no Pronto-Atendimento, e com uma equipe altamente qualificada e comprometida com a vida e a saúde de cada um dos meninos e meninas que enfrentam essa batalha.

quimioterapia
Somente em 2022, o Serviço de Oncologia e Hematologia realizou 2.500 quimioterapias.

Novos profissionais

Desde 2000, o Hospital Pequeno Príncipe forma profissionais para atuarem no combate ao câncer infantil. O Programa de Residência Médica em Oncologia Pediátrica (anteriormente denominado Cancerologia) tem duração de dois anos e recebe dois profissionais por ano, tendo como pré-requisito a formação prévia em pediatria, vindos de diferentes regiões do Brasil. Desde então, 19 residentes já foram formados, contribuindo para qualificar o atendimento médico a crianças e adolescentes em todo o país.

Humanização

A oncologista Ana Paula ressalta que, além de cuidar da saúde física, o Pequeno Príncipe também cuida e garante outros direitos das crianças e dos adolescentes em tratamento contra o câncer na instituição. “Durante o internamento, os pacientes são acompanhados por professores, para que não percam a conexão com suas escolas de origem e continuem avançando em seus estudos. Dezenas de iniciativas culturais também recheiam os corredores do Hospital com música, teatro, artes plásticas e muitas outras linguagens artísticas. Já os voluntários ficam responsáveis por garantir muitas brincadeiras, seja nos quartos, no ambulatório ou nas brinquedotecas espalhadas pela instituição. Estamos avançando nas práticas integrativas, com iniciativas como a musicoterapia, que beneficiam não só as crianças como também os familiares e as equipes”, realça.

Os pacientes e suas famílias recebem acompanhamento psicológico e suporte da equipe de serviço social, quando necessário. Os familiares também podem acompanhar a criança durante todo o internamento, recebendo apoio para uma permanência qualificada no Hospital por meio do Programa Família Participante.

  • No vídeo a seguir, conheça mais sobre o serviço:

Reconstrução e melhoria do Ambulatório de Oncologia, Hematologia e Transplante de Medula Óssea

O local onde os pacientes faziam quimioterapia e consultas foi completamente destruído no dia 31 de outubro por uma explosão seguida de incêndio. Felizmente, nenhum paciente foi atingido, pois o incidente ocorreu antes do início do atendimento.

Para manter a assistência às crianças e aos adolescentes que fazem tratamento contínuo, a instituição preparou um espaço temporário para atendimento no 6.º andar do Hospital. Nenhum dos serviços foi paralisado em função do ocorrido e todos continuam com a mesma qualidade e eficiência.

Para manter esse local de assistência, bem como para reconstruir e melhorar o Ambulatório de Oncologia, Hematologia e Transplante de Medula Óssea, o Pequeno Príncipe promove campanha de captação de recursos junto à sociedade. A instituição estima que os danos causados pelas chamas são de, no mínimo, R$ 5 milhões.

incêndio Ambulatório Oncologia, Hematologia e TMO
Imagens do antes e depois do Ambulatório de Oncologia, Hematologia e TMO após o incêndio.

Para doar, clique aqui e ajude o maior Serviço de Oncologia Pediátrica do Paraná e um dos mais importantes e antigos do Brasil a continuar levando saúde e qualidade de vida para crianças e adolescentes.

Serviço de Oncologia e Hematologia infográfico

Serviço de Oncologia e Hematologia linha do tempo

O Pequeno Príncipe é signatário do Pacto Global desde 2019. A iniciativa presente nesse conteúdo contribui para o alcance do Objetivo de Desenvolvimento Sustentável (ODS): Saúde e Bem-Estar (ODS 3).

Acompanhe os conteúdos também nas redes sociais do Pequeno Príncipe e fique por dentro de informações de qualidade – FacebookInstagramTwitterLinkedIn e YouTube.

+ Notícias

22/02/2024

O que é e como identificar o transtorno de personalidade borderline?

Conheça os sintomas, as causas e a importância da psicoterapia como forma de tratamento
20/02/2024

Crianças podem ter uma dieta vegetariana?

A prática é adequada em qualquer fase da vida, mas é preciso garantir o consumo de todos os nutrientes necessários para o desenvolvimento infantil
15/02/2024

Quando levar a criança ao dermatologista?

Hospital Pequeno Príncipe destaca quais são as doenças de pele mais comuns e os cuidados desde a infância
08/02/2024

Serviço de Gastroenterologia do Pequeno Príncipe completa 30 anos

A especialidade da instituição é considerada a mais importante do Paraná e uma das principais do país na área da pediatria
07/02/2024

Dicas para facilitar a mudança de escola de crianças e adolescentes

Ao seguir estas estratégias, os pais podem desempenhar um papel crucial no apoio emocional e na facilitação da adaptação de seus filhos
01/02/2024

Presidente da Representação Central Ucraniano-Brasileira visita Pequeno Príncipe

Vitório Sorotiuk agradeceu as ações humanitárias realizadas pelo Hospital
Ver mais