Terapia Renal Substitutiva - Hospital Pequeno Principe

Terapia Renal Substitutiva

A doença renal crônica pode surgir quando os rins não funcionam da maneira ideal e ocorre quando a função renal está abaixo de 60%. Como uma das funções do órgão é retirar as impurezas do organismo, quando ele falha tem início uma série de problemas, como atraso no crescimento, fragilidade óssea, náuseas, vômitos e perda de apetite. A doença renal crônica não tem cura, mas há tratamentos que contribuem para a saúde do paciente, garantindo mais bem-estar e qualidade de vida. Entre eles, há a terapia renal substitutiva, que compreende a diálise peritoneal, a hemodiálise e o transplante renal. Em geral, esses tratamentos são indicados quando a função renal do paciente cai ao nível de 10% a 15%.

O Hospital Pequeno Príncipe disponibiliza no Serviço de Nefrologia uma estrutura completa para o tratamento de crianças e adolescentes com doença renal crônica. O serviço é referência nacional, o único exclusivamente pediátrico do Paraná e um dos mais completos do país. Em um mesmo local, os pacientes contam com um ambulatório geral da especialidade e ambulatórios especializados, uma diversidade de exames e todas as modalidades de terapia, como o tratamento conservador e as diferentes modalidades de terapia renal substitutiva.

O tratamento é disponibilizado pelo Sistema Único de Saúde (SUS), por convênios e particular, sendo que a modalidade de terapia renal substitutiva é definida em conjunto entre a equipe multiprofissional, o paciente e seus familiares. A equipe envolvida no tratamento é formada por médicos, enfermeiros, nutricionistas, psicólogo, assistente social e educador, entre outros profissionais. Cada um deles tem um papel fundamental no auxílio ao paciente e seus familiares.

O Pequeno Príncipe disponibiliza os seguintes tipos de terapia renal substitutiva:

  • Diálise peritoneal: terapia dialítica que pode ser realizada em ambiente domiciliar ou hospitalar e que limpa e filtra o sangue do paciente. Também elimina toxinas indesejadas e o excesso de líquido do corpo, bem como ajuda a controlar a pressão sanguínea e a manter o equilíbrio de diversas substâncias, como potássio, sódio e bicarbonato. Nesse procedimento, é colocado um cateter no abdome do paciente e o peritônio, que é a membrana que recobre os intestinos e as vísceras abdominais, atua como filtro do sangue.
  • Hemodiálise: nessa terapia, o paciente deve vir ao Hospital de três a seis vezes por semana para que uma máquina faça a limpeza e a filtragem do seu sangue. Ou seja, ela faz o trabalho que os rins não conseguem mais realizar. Cada sessão dura entre duas e quatro horas. Com a hemodiálise, toxinas prejudiciais à saúde, bem como o excesso de sal e de líquidos, são eliminadas. Além disso, o tratamento ajuda no controle da pressão arterial e garante o equilíbrio de diversas substâncias, como sódio, potássio, ureia e creatinina.
  • Transplante renal: cirurgia que permite substituir o rim sem funcionamento por outro, vindo de um doador. Assim, o órgão implantado passa a exercer as funções de filtrar o sangue e eliminar líquidos e toxinas em excesso do corpo do paciente com insuficiência renal crônica. É considerada a mais completa alternativa de substituição da função renal e garante mais liberdade e qualidade de vida na rotina diária da criança ou do adolescente. Para saber mais sobre o transplante renal, clique aqui.

Para que sejam alcançados bons resultados com os diferentes tipos de terapia renal substitutiva, os pacientes deverão ter alguns cuidados com a alimentação, medicações de uso contínuo e vacinas, por exemplo. Também é preciso comparecer todos os meses no Hospital para consultas e para exames, quando indicados pelo médico nefrologista responsável pelo paciente, conforme o protocolo do Serviço de Nefrologia. As demais orientações serão dadas pela equipe multiprofissional ao paciente e aos seus responsáveis.

Histórico

  • O Serviço de Nefrologia do Hospital Pequeno Príncipe iniciou as suas atividades clínicas em 1985.
  • Em 1987, começou a funcionar o Centro de Terapia Renal Substitutiva, que oferece os tratamentos de hemodiálise e diálise peritoneal.
  • Em 1989, o Pequeno Príncipe realizou o primeiro transplante renal da instituição.
Ver menos

Mais informações–SUS, convênios e particular

Telefones: (41) 3310-1329 (secretaria do Serviço de Nefrologia), (41) 3310-1292 (hemodiálise) e (41) 3310-1481 (transplante)
Atendimento: de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h
Endereço: Rua Desembargador Motta, 1.070 (1º andar)
E-mails: nefrologia@hpp.org.br e hemodialise@hpp.org.br

Equipe médica

  • Dr. Donizetti Dimer Giamberardino Filho

    Médico Responsável

    Dr. Donizetti Dimer Giamberardino Filho

    CRM-PR 5647

  • Dr. José Eduardo Claros Mercado

    CRM-PR 18614

    Coordenador da Hemodiálise

  • Dra. Karen Previdi Olandoski

    CRM-PR 17106

    Coordenadora de Glomerulopatias

  • Dra. Lucimary de Castro Sylvestre

    Dra. Lucimary de Castro Sylvestre

    CRM-PR 14694

    Coordenadora da Diálise Peritonial

  • Dra. Mariana Faucz Munhoz da Cunha

    CRM-PR 17994

    Coordenadora do Programa de Transplante

  • Dra. Ana Paula Pereira da Silva

    CRM-PR 31285

  • Dra. Denise Siqueira Lemos

    CRM-PR 31247

  • Dra. Elisane Isabela Wladika

    CRM-PR 10559

  • Dra. Evelise Mary Tissori Vargas

    CRM-PR 14848

  • Dra. Vanessa Vitorino Aguiar

    CRM-PR 28636

  • Dra. Vivien de Paula Mantovani Joaquim

    CRM-PR 28026

Equipe multiprofissional

  • Daiane Aparecida Ripka

    Enfermeira

  • Fernanda Paulino de Lima

    Enfermeira

  • Karyme Juliana David

    Enfermeira

  • Mariza Batista Nagae

    Enfermeira

  • Romilda Vieira dos Santos

    Enfermeira

  • Janaina Neves

    Psicóloga

  • Taise Abreu

    Assistente Social

  • Dra. Denise Tiemi Miyakawa

    CRM-PR 26009

    Nutrologia

Os procedimentos em números

  • 4.313

    sessões de hemodiálise

  • 14

    transplantes de rim