“Toda hora é hora de brincar”, afirma psicóloga - Hospital Pequeno Príncipe

Notícias

“Toda hora é hora de brincar”, afirma psicóloga

As brincadeiras são uma forma de expressão das crianças, dos adolescentes e adultos
20/12/2016

dsc_8278Brincar é fundamental. São nas brincadeiras que as crianças, os adolescentes e adultos conseguem se expressar, mesmo que inconscientemente. Na Primeira Infância – período que compreende a gestação até os seis anos de vida –, a ação torna-se ainda mais importante, pois é quando ocorre o desenvolvimento da arquitetura cerebral dos meninos e meninas. As experiências vivenciadas nessa fase são relevantes para o restante da vida.

De acordo com a psicóloga e coordenadora do Setor de Voluntariado do Hospital Pequeno Príncipe, Rita Lous, o brincar também é uma maneira de entender o mundo. “Os meninos e meninas, muitas vezes, trabalham registros que marcaram suas vidas brincando. É uma maneira que eles têm de se expressar e transmitir simbolicamente o que sentem”, explica.

“Toda hora é hora de brincar”, afirma a psicóloga. Para ela, as brincadeiras devem ocorrer no momento do banho, da alimentação, dos estudos, entre outros. É algo que precisa ser incorporado na rotina das pessoas. “Brincar é coisa séria”, destaca.

Segundo Rita Lous, a ação não tem a ver com gênero ou classe social. “Ninguém precisa comprar brinquedos para brincar. Apesar de existirem inovações muito bacanas nessa área, uma simples caixa de papelão pode se tornar uma brincadeira superdivertida”, aponta.

Os cuidadores devem estimular e estar verdadeiramente presentes durante as brincadeiras, mas nunca limitar ou impor preconceitos. “Eles devem participar desse momento com verdade. As crianças sentem quando fazemos várias coisas ao mesmo tempo ou quando fazemos algo por obrigação. É necessário deixar que eles soltem a imaginação. Além disso, os cuidadores não devem limitar. Não existe brinquedo de menina ou de menino, por exemplo”, relata.

*Acompanhe a série de notícias que o Pequeno Príncipe preparou sobre a Primeira Infância. A cada semana será publicada uma matéria especial no site da instituição. Na próxima terça-feira, dia 27 , serão abordados alguns mitos e verdades sobre o assunto.
Leia também:

Cuidados de saúde na Primeira Infância são ainda mais importantes

Cuidados físicos e emocionais fazem a diferença na Primeira Infância

O estímulo à comunicação faz a diferença na Primeira Infância

Cinco sentidos: aliados no desenvolvimento infantil

Vínculo: uma ligação de amor

Dados alarmantes marcam a Semana Nacional de Prevenção da Violência na Primeira Infância

Precisamos falar sobre Primeira Infância
Ler é essencial para a formação das crianças 

Correta higiene bucal é o primeiro passo para garantir uma saúde de qualidade


https://pequenoprincipe.org.br/noticia/bons-habitos-alimentares-sao-fundamentais-na-primeira-infancia/

+ Notícias

05/08/2022

Cirurgia de correção de malformação rara é realizada por Pequeno Príncipe

A correção da extrofia de cloaca foi realizada pela técnica de Kelley, considerada inovadora
04/08/2022

Cientistas estão desenvolvendo gel bucal para tratar mucosite

Principal reação adversa da quimioterapia, a mucosite oral causa intensa dor e pode ser porta de entrada para outras infecções
02/08/2022

Doenças raras é tema de mesa-redonda organizada pelo Pequeno Príncipe

A iniciativa fez parte da programação da 74.ª reunião anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC)
01/08/2022

Aleitamento materno favorece desenvolvimento da inteligência e estrutura da face

Especialistas do Hospital Pequeno Príncipe explicam ligação entre o neurodesenvolvimento e o crescimento ósseo adequado da face
28/07/2022

Hepatites A e B podem ser prevenidas por meio da vacinação

O Centro de Vacinas Pequeno Príncipe disponibiliza imunizantes contra essas duas formas da doença, que ocorrem de forma endêmica no Brasil
27/07/2022

Único hospital do Brasil com 35 especialidades pediátricas atrai estudantes de todo o país

Com 50 anos de existência, a residência em pediatria do Pequeno Príncipe ajuda a melhorar o déficit de especialistas em diversos estados brasileiros
Ver mais