Cuidados físicos e emocionais fazem a diferença na Primeira Infância - Hospital Pequeno Príncipe

Notícias

Cuidados físicos e emocionais fazem a diferença na Primeira Infância

Medidas de segurança devem ser adotadas para receber as crianças ainda nos primeiros anos de vida
08/11/2016

Durante a Primeira Infância, que vai da gestação até os seis anos, medidas importantes de segurança física e emocional devem ser adotadas pelos cuidadores. Tais procedimentos são necessários por se tratar de uma época em que as crianças dependem de apoio para crescer e se desenvolver de forma saudável.

nilton_kiesel-2Substâncias como bebidas alcoólicas e cigarros, por exemplo, não devem ser consumidas perto dos meninos e meninas. “Os cuidadores jamais devem fumar em casa, estando ou não na presença das crianças. Vale lembrar que a nicotina pode ser transmitida diante do simples contato com móvel que foi contaminado. Além disso, ninguém que tenha ingerido algum tipo de bebida alcoólica está apto a cuidar dos pequenos”, aponta o pediatra do Hospital Pequeno Príncipe, Nilton Kiesel.

De acordo com o médico, a casa também deve ser preparada para receber os meninos e meninas. “É preciso tomar alguns cuidados específicos em cada ambiente para evitar os tradicionais acidentes domésticos”, aponta.

Confira os principais cuidados que devem ser tomados em cada ambiente:
Sala – É necessário estar atento aos móveis que estão ao alcance das crianças para que  elas não se machuquem com as quinas, por exemplo. Além disso, mobílias muito altas e próximas a janelas podem ser perigosas e facilitadoras de quedas. Nesse caso, também é fundamental aderir ao uso de grades e redes de proteção.

Cozinha – Os pequenos não podem ter acesso a objetos cortantes. Facas e demais utensílios pontiagudos devem estar guardados em locais de difícil alcance. Eles também não devem se aproximar do fogão e dos gases, a fim de evitar queimaduras e intoxicações. Os remédios e produtos tóxicos também devem ser mantidos longe dos meninos e meninas.

Áreas externas – A garagem e piscinas, por exemplo, também oferecem riscos às crianças. É preciso tomar cuidado com os portões eletrônicos, que podem sofrer problemas, cair e atingir os pequenos. As piscinas também devem estar cercadas e só devem ser utilizadas pelos meninos e meninas mediante a observação de um adulto.

Escadas – É preciso colocar portões próximos às escadas e, com o tempo, ensinar as crianças a melhor maneira subir e descer. Assim, quedas mais sérias podem ser evitadas.
 
Quarto – Os pequenos devem sempre dormir em um local cercado e nunca muito alto. Isso deve ocorrer independentemente do horário do dia programado para o descanso.

????????????????????????????????????
Segurança emocional
Além dos aspectos físicos, a segurança emocional é essencial no desenvolvimento das crianças. “O ambiente no qual os meninos e meninas  encontram deve ser emocionalmente seguro. Ou seja, livre de brigas e discussões. Os pequenos devem se sentir protegidos, ouvidos e respeitados para que, futuramente, possam replicar isso em seus lares”, explica a coordenadora do Setor de Psicologia do Hospital Pequeno príncipe, Ângela Bley.

*Acompanhe a série de notícias que o Pequeno Príncipe preparou sobre a Primeira Infância. A cada semana será publicada uma matéria especial no site da instituição. Na próxima terça-feira, dia 15, o tema será a importância da leitura ainda nos primeiros anos de vida. 
Leia também:

O estímulo à comunicação faz a diferença na Primeira Infância

Cinco sentidos: aliados no desenvolvimento infantil

Vínculo: uma ligação de amor

Dados alarmantes marcam a Semana Nacional de Prevenção da Violência na Primeira Infância

Precisamos falar sobre Primeira Infância

+ Notícias

28/05/2024

Como resgatar as brincadeiras tradicionais na era digital?

Neste Dia Mundial do Brincar, o Hospital Pequeno Príncipe reforça a importância de equilibrar o tempo de tela com atividades lúdicas
26/05/2024

Centro de Vacinas Pequeno Príncipe: 25 anos de excelência em saúde

Inovação, atendimento integral, atualização contínua, compromisso e capacitação de profissionais marcam um quarto de século da unidade
22/05/2024

Qual é a importância do vínculo afetivo na Primeiríssima Infância?

A ligação entre a criança e seus cuidadores se estabelece ainda na gravidez e se estende por um longo caminho após o nascimento
18/05/2024

Aumentam registros de violência contra crianças e adolescentes

Nas últimas duas décadas, foram mais de nove mil pacientes atendidos no Hospital Pequeno Príncipe por maus-tratos; violência sexual predomina
17/05/2024

Pequeno Príncipe mobilizado pelo Rio Grande do Sul

Iniciativas vão desde teleconsultas a crianças e adolescentes em parceria com hospital gaúcho até mobilização de profissionais
15/05/2024

Como falar sobre as enchentes com as crianças?

Hospital Pequeno Príncipe destaca a importância de agir com sensibilidade e estar atento aos sinais de sofrimento manifestados pelos pequenos
Ver mais