dsc_0024

Vínculo: uma ligação de amor

O carinho, a conversa e a convivência, ainda nos primeiros anos de vida, são essenciais no desenvolvimento e empoderamento das crianças

dsc_0024Desde a gestação, um vínculo entre a mãe e a criança já começa a ser formado.  É uma ligação na qual o carinho, a conversa e a convivência são fundamentais. Essas relações, principalmente durante a Primeira Infância – período no qual a arquitetura cerebral é formada e que compreende a gravidez e os seis anos iniciais de vida –, são essenciais no desenvolvimento e empoderamento das crianças.

“Quando um bebê nasce e se depara com a mãe, estabelece seu primeiro vínculo e passa a entender o mundo da forma que foi acolhido. Um modelo de relacionamento que irá guiar o seu comportamento diante de futuras relações”, explica a coordenadora do Serviço de Psicologia do Hospital Pequeno Príncipe, Ângela Bley.

Essas ligações são vitais para o desenvolvimento dos meninos e meninas. “A criança precisa do outro para ser gente. O vínculo deve ser correspondido e alimentado diariamente, pois só assim os pequenos podem se sentir seguros e capazes. O olho no olho e o toque são de extrema importância”, destaca a profissional.

Apesar disso, é preciso cuidado. Quando esse elo não é estimulado, ou ocorre em excesso, pode ser prejudicial. “É importante lembrar que o vínculo não é um nó. Pelo contrário, ele deve levar à autonomia e liberdade. Bons relacionamentos fazem com que as crianças se sintam empoderadas e cheias de autoestima”, aponta a psicóloga.

A importância do brincar

A criança aprende enquanto brinca. É desta forma que ela começa a conhecer o mundo, ao ter contato com outras pessoas ou tocar objetos. “Quando um adulto, seja pai, mãe ou parente, participa desses momentos, esse vínculo aumenta ainda mais”, relata Ângela.

*Acompanhe a série de notícias que o Pequeno Príncipe preparou sobre Primeira Infância. A cada semana, uma matéria especial no site da instituição. Na próxima terça-feira, dia 25, o tema será o desenvolvimento dos cinco sentidos ainda os primeiros anos de vida.

Leia também:

Dados alarmantes marcam a Semana Nacional de Prevenção da Violência na Primeira Infância

Precisamos falar sobre Primeira Infância

 

+ Notícias

Faça sua doação