Pronon e Pronas

Notícias

Pronon e Pronas: Pequeno Príncipe contribui com consulta pública

Há dez anos, o Hospital elabora, executa e presta contas de projetos desenvolvidos dentro dos programas
08/04/2024
Pronon e Pronas: Pequeno Príncipe contribui com consulta pública
O Pronon e o Pronas financiam projetos na área da saúde da pessoa com deficiência e oncologia a partir de doações realizadas por pessoas físicas ou jurídicas.

O Pequeno Príncipe levou sua experiência de pelo menos uma década no desenvolvimento de projetos de captação de recursos, por meio dos programas nacionais de apoio à Atenção Oncológica (Pronon) e à Atenção da Saúde da Pessoa com Deficiência (Pronas/PcD), para um webinar promovido pela Ordem dos Advogados do Brasil de São Paulo (OAB-SP). O hospital compartilhou seu conhecimento prático com o objetivo de contribuir para a consulta pública aberta pelo Ministério da Saúde (MS). A iniciativa pretende aperfeiçoar a portaria que regulamenta esses programas.

Renúncia Fiscal

O Pronon e o Pronas financiam projetos na área da saúde da pessoa com deficiência e de oncologia a partir de doações realizadas por pessoas físicas ou jurídicas. Cada doador pode destinar o percentual de 1% do Imposto de Renda devido para cada programa. Os projetos são desenvolvidos por instituições de direito privado, associações ou fundações, sem fins lucrativos. Essas organizações devem atuar na prevenção e combate ao câncer ou realizar ações de promoção à saúde e de reabilitação/habilitação da pessoa com deficiência, identificação e diagnóstico precoce, tratamento e uso terapêutico de tecnologias assistivas.

Os recursos doados são direcionados para projetos previamente aprovados pelo MS. A captação somente pode ser realizada após a autorização do ministério. Por serem recursos públicos, as doações estão sujeitas a acompanhamento, prestação de contas e avaliação técnica.

Experiência

O Pequeno Príncipe já passou por todas as etapas dos programas, desde elaboração de projetos, execução e finalização com a prestação de contas. Em dez anos, o Hospital elaborou 18 projetos Pronon/Pronas, sete deles já foram concluídos e 11 ainda estão em andamento. Os cerca de R$ 43,8 milhões já captados melhoraram a estrutura do Hospital com a ampliação de leitos, aquisição de equipamentos, implantação de novas instalações e readequação de espaços.

Os recursos também permitiram treinamento e capacitação de profissionais, além de assegurar assistência, exames de diagnóstico avançados e atendimentos de educação, cultura e recreação, garantindo os direitos de crianças e adolescentes PcDs.

“Esses resultados reforçam a importância da renúncia fiscal na área da saúde como forma de complementar o financiamento e implementar melhorias e inovações aos pacientes oncológicos e PcDs”, considera a assessora de diretoria do Pequeno Príncipe, Thelma Alves de Oliveira.

Contribuições

As contribuições apresentadas por ela em São Paulo foram enviadas como sugestões do Hospital à consulta pública do MS. Segundo o ministério, as propostas recebidas serão sistematizadas e analisadas, para adequação da minuta da nova portaria de regulamentação dos programas. O documento será submetido a uma análise jurídica interna, para fins de publicação.

Além do Pequeno Príncipe, outras organizações da sociedade civil, pessoas físicas e representantes da iniciativa privada e do setor público encaminharam contribuições. Ao todo, a Plataforma Participa +, do governo federal, recebeu 1.924 sugestões. De acordo com o MS, a consulta é parte das ações de mobilização e diálogo da pasta com as instituições que participam ou que gostariam de participar dos programas. A intenção é promover a participação social dos atores que estão envolvidos no Pronon e Pronas/PcD. O objetivo é tornar os programas cada vez mais eficientes e voltados às necessidades da população.

Participação social

Ainda no âmbito da participação social, o Pequeno Príncipe participou da segunda reunião ordinária do Conselho Nacional de Fomento e Colaboração (Confoco). O colegiado paritário de natureza consultiva integra a estrutura da Secretaria-Geral da União. O órgão tem como missão divulgar boas práticas, propor e apoiar políticas públicas. Ações destinadas ao fortalecimento das relações de parceria entre as organizações da sociedade civil e a administração pública federal também estão no escopo do conselho.

Durante o encontro, realizado na sede da Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS), em Brasília (DF), o planejamento das comissões do órgão e o regimento interno do Confoco foram aprovados. A finalização do manual Marco Regulatório das Organizações da Sociedade Civil (MROS) foi apontado pelo ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência da República, Márcio Macêdo, como um dos desafios para 2024.

Único dedicado exclusivamente à saúde de crianças e adolescentes e único da Região Sul do país, o Pequeno Príncipe foi selecionado a partir de edital público. A seleção visava a escolha de 20 organizações da sociedade civil. Assim, desde novembro de 2023, o Hospital vem atuando ao lado de importantes instituições sociais do Brasil. Entre elas, o Grupo de Institutos, Fundações e Empresas (GIFE), Fórum Nacional das Instituições Filantrópicas (Fonif) e Associação Brasileira de ONGs (Abong). Além das instituições da sociedade civil, também fazem parte do órgão outros 20 representantes vinculados ao governo federal.

Acompanhe os conteúdos também nas redes sociais do Pequeno Príncipe e fique por dentro de informações de qualidade – FacebookInstagramTwitterLinkedIn e YouTube.

+ Notícias

22/05/2024

Qual é a importância do vínculo afetivo na Primeiríssima Infância?

A ligação entre a criança e seus cuidadores se estabelece ainda na gravidez e se estende por um longo caminho após o nascimento
18/05/2024

Aumentam registros de violência contra crianças e adolescentes

Nas últimas duas décadas, foram mais de nove mil pacientes atendidos no Hospital Pequeno Príncipe por maus-tratos; violência sexual predomina
17/05/2024

Pequeno Príncipe mobilizado pelo Rio Grande do Sul

Iniciativas vão desde teleconsultas a crianças e adolescentes em parceria com hospital gaúcho até mobilização de profissionais
15/05/2024

Como falar sobre as enchentes com as crianças?

Hospital Pequeno Príncipe destaca a importância de agir com sensibilidade e estar atento aos sinais de sofrimento manifestados pelos pequenos
13/05/2024

É normal a criança ter amigos imaginários?

A criação desses personagens é comum no desenvolvimento infantil, mas veja alguns sinais que indicam atenção a essa prática
09/05/2024

Ministra da Saúde visita área onde será o Pequeno Príncipe Norte

Nísia Trindade de Lima destacou a importância do projeto e da instituição para a saúde infantil do país
Ver mais