Alex doa ao Pequeno Principe a camisa do jogo mil

Complexo, Gols Pela Vida, Hospital, Instituto de Pesquisa

Alex continuará marcando Gols Pela Vida

Craque se despede dos gramados com história exemplar como jogador e cidadão. Desde 2011 é embaixador do Pequeno Príncipe

Alex com paciente e fisioterapeuta na sala de fisioterapia que recebe seu nome
Alex com paciente e fisioterapeuta na sala de fisioterapia que recebe seu nome

O meio Alex faz hoje, dia 7, sua última partida como jogador profissional pelo mesmo clube que o revelou há 20 anos, o Coritiba. Recentemente declarou que a emoção de realizar esse sonho é até maior do que a de conquistar um título nacional. A declaração revela muito do craque que é considerado exemplo dentro e fora dos campos.

Com o Pequeno Príncipe sua história começou em 2011, quando se tornou embaixador da instituição. “Num mundo tão difícil como vivemos hoje, é importante que nós sejamos um pouco solidários e é por isso que me tornei embaixador do Instituto Pelé Pequeno Príncipe e do Torneio Gols Pela Vida”, declarou à época.

De lá até hoje, muitas foram as histórias  e os sonhos realizados. Destaque para 29 de junho de 2012, quando o craque ficou sensibilizado pela história de Maria Clara Xavier, 5 anos,  e doou para o hospital um equipamento especial de fisioterapia chamado pediasuit, usado para o desenvolvimento motor.

No dia 7 de março desse ano, o craque fez um gol duplo. Doou a camisa usada no jogo 1000 da carreira – que resultou na vitória alviverde contra o JMalucelli, no qual marcou o gol decisivo em uma cobrança de pênalti.  Para surpresa de todos, Alex também doou a camisa do jogo 999, que é verde e amarela em comemoração à Copa 2014. E também conheceu dois pacientes fãs: Ney Carlos Nardino Filho, 13 anos, e Luana dos Anjos, 17.

Alex sabe a importância desse tipo de ação para os pacientes. “É uma satisfação grande porque eu tenho aquilo que a maioria das pessoas desejam, que é saúde. Esse é o nosso bem maior. Espero que de alguma forma eu possa ajudar o Ney. Espero que ele ganhe força e a condição de recuperação dele seja sempre melhor.”

Além disso, Alex sabe que sua participação em ações como essa são importantes porque trazem visibilidade para o Pequeno Príncipe. “É uma chance de chamar a atenção de outras pessoas, de empresários e jogadores de futebol. Nossos governantes têm suas obrigações, mas as pessoas físicas e jurídicas podem ajudar. Minha participação aqui traz uma alegria grande para mim e para minha família, mas é uma participação pequenininha diante de tudo o que todos os cidadãos podem fazer”, avalia.

“O Alex é um menino, nem tão menino assim, muito especial. Uma pessoa diferenciada que nos deu o privilégio de estar conosco nessa caminhada de 95 anos do Pequeno Príncipe. Muito nos orgulha tê-lo como embaixador de uma causa que é tão nobre quanto ele. Nós só podemos desejar ainda mais felicidades nessa nova fase que, com certeza, será de muito sucesso e que a nossa parceria se consolide cada vez mais”, destaca o diretor-corporativo do Complexo Pequeno Príncipe, José Alvaro Carneiro.

Durante_Torneio_Gols_Pela_Vida_Alex_entra_em_campo_com_a_criancada_em_09_12_2012Alex fez a alegria de diversos outros pacientes em suas visitas ao Hospital e ainda defendeu a camisa do Pequeno Príncipe no Torneio Gols Pela Vida.

* Saiba como foi a estreia do paciente Nylton Rafael, torcedor do Coritiba, nos gramados.

 

 

 

  • Alex com paciente e fisioterapeuta na sala de fisioterapia que recebe seu nome

  • Alex doa ao Pequeno Principe a camisa do jogo mil

  • Alex em campo durante o Torneio Gols Pela vida em 2012

  • Alex junto com outros atletas durante o Torneio Gols Pela Vida em 2012

  • Alex recebe abraço de paciente do HPP durante visita em 2010

  • Alex, Ricardinho e Paulo Rink durante visita que os oficializou como embaixadores do Gols pela Vida em 2010

  • Alex visita pacientes no dia 07/03/2014

  • Caio Junior. Alex e Levir Culpi durante o Torneio Gols Pela Vida

+ Notícias

Faça sua doação