dsc_5528

Complexo, Hospital, Instituto de Pesquisa

Pesquisadores de várias partes do mundo discutem imunoterapia como forma de tratamento para o câncer

Evento promovido pelo Instituto de Pesquisa Pelé Pequeno Príncipe reúne em São Francisco do Sul pesquisadores, médicos e estudantes com o objetivo de debater tratamentos para o tumor de córtex adrenal

dsc_5528Pesquisadores, médicos e estudantes de várias partes do mundo estão reunidos em São Francisco do Sul, em Santa Catarina, no evento Immunobiology, immunotherapy and new therapeutic perspectives of ACC (Imunobiologia, imunoterapia e novas perspectivas terapêuticas para o Tumor de Córtex Adrenal), promovido pelo Instituto de Pesquisa Pelé Pequeno Príncipe. O encontro científico iniciou na tarde dessa segunda-feira, dia 3, e segue até quarta-feira, dia 5, com palestras e apresentação de casos clínicos. Cerca de 60 pessoas têm trocado experiências e conhecimento sobre novos métodos para o tratamento do tumor de córtex adrenal (TCA).

Com a participação de pesquisadores europeus, norte-americanos e brasileiros, o evento tem como objetivo debater a imunoterapia como forma de tratamento para esse tipo de câncer, que é predominantemente pediátrico. Segundo o diretor científico do Instituto de Pesquisa, Bonald Cavalcante de Figueiredo, a imunoterapia é a mais nova descoberta para combater o câncer. “Nos últimos 30 anos, nada de novo foi encontrado para lutar contra a doença. E as novas formas de terapia que estão sendo pesquisadas envolvem o sistema imunológico, e tem grande potencial de expansão”, apontou ele, que é um dos idealizadores do encontro.

A favor dessa ideia, o professor de Imunologia da Universidade de São Paulo (USP), José Alexandre Marzagão Barbuto, ressaltou a importância em acelerar o embate entre os clínicos e os estudiosos do tema, assim como da genética e áreas afins, para que todos os benefícios dessa nova forma de tratamento sejam eficientes e estejam disponíveis. “Nós estamos há muito tempo querendo ‘pegar’ o tumor. Mas ele cria um ambiente, e todo o ambiente tem que ser o alvo. A doença induz o sistema imune a uma resposta de tolerância. Então, tenho que ‘desligar’ essa tolerância e, ao fazer isso, o sistema imune passa a ‘correr atrás’ do tumor”, explicou Barbuto.

dsc_5457Troca de experiências
O encontro tem sido uma oportunidade de troca de experiências sobre as formas de tratamento do tumor de córtex adrenal. Recorrente em crianças e adolescentes de zero a 15 anos, o TCA tem incidência 18 vezes maior no Sul do país do que no restante do Brasil e do mundo. Para a médica responsável pelo Serviço de Oncologia e Hematologia do Hospital Pequeno Príncipe, Flora Mitie Watanabe, um evento que reúne referências mundiais é de extrema relevância. “Isso porque aumenta demais a visão do médico clínico. Nosso relacionamento é direto com o paciente e a família dele. Quando temos essa visão mais científica, da pesquisa, conseguimos ampliar o diagnóstico precoce, que é essencial para praticamente todos os tipos de tumor”, salientou. “No caso do tumor de córtex adrenal, em específico, a troca de informações e conhecimento com profissionais de outras partes do mundo é muito importante, pois precisamos pensar sempre no que é preventivo, no diagnóstico precoce. Temos bastante a aprender uns com os outros”, completou.

O médico assistente do Hospital Erasto Gaertner, Thiago Tormen, também reforçou a importância do encontro. “Um evento deste porte é fundamental porque discute um tumor pontual. Trocar experiências reais com outros pesquisadores é uma oportunidade de saber quais são as novidades sobre a doença, já que cada profissional trata um caso único”, finalizou.

Confira a programação:

:file-page1

file-page2

+ Notícias

Cissa Guimarães traz alegria e carinho a pacientes e seus familiares

A tarde desse sábado, dia 10, foi bastante movimentada em diversas áreas do Hospital Pequeno Príncipe pela presença de uma artista renomada. Com uma das vozes mais conhecidas da televisão brasileira, Cissa Guimarães trouxe mensagens de esperança e carinho para crianças e adolescentes em tratamento no Pequeno Príncipe e seus familiares. Em todos os corredores […]

Faça sua doação