Complexo, Hospital, Novo Campus

Noite do Bem celebra bons resultados do Serviço de Oncologia, Hematologia e TMO no centenário do Pequeno Príncipe

Em sua 9ª edição, o evento reuniu apoiadores do maior hospital pediátrico do Brasil no Espaço Klaine

Na contagem regressiva para as comemorações do centenário do Hospital Pequeno Príncipe, celebrado no dia 26 de outubro deste ano, a 9ª edição do Noite do Bem reuniu apoiadores do Serviço de Oncologia, Hematologia e Transplante de Medula Óssea (OHTMO) da instituição na noite dessa terça-feira, dia 17, no Espaço Klaine. Os cerca de 200 apoiadores acompanharam os resultados do trabalho realizado pela área há mais de cinco décadas em prol da saúde infantojuvenil.

Durante o evento, a médica Cilmara Kawahara apresentou um balanço das atividades do Serviço, que foi criado em 1968 e hoje é um dos maiores e mais importantes do país no atendimento a crianças e adolescentes com idades de zero a 18 anos com câncer e doenças do sangue.

No Pequeno Príncipe, 80% dos atendimentos são voltados a pacientes provenientes do Sistema Único de Saúde (SUS). Em 2018, por exemplo, foram atendidos – simultaneamente – 500 meninos e meninas. Nesse período, foram realizados 8.209 atendimentos ambulatoriais, 3.706 sessões de quimioterapia, 1.045 internações e 46 transplantes de medula óssea – sendo 26 para neoplasias.

Em seu discurso, a chefe do serviço de Oncologia e Hematologia do Hospital, a oncologista Flora Watanabe, lembrou de quando o médico Eurípides Ferreira, responsável pela implantação do Serviço no Pequeno Príncipe, a convidou para trabalhar com oncologia, em1974. “Minha ideia foi dizer não, mas ele me convenceu dizendo que poderíamos fazer muito pelas crianças. Foi esse o sonho que abracei, que a gente continua sonhando e graças a Deus tem muita gente que sonha conosco. Sem ajuda da sociedade não poderíamos fazer o que fazemos. E não tem presente melhor do que ver tantos pacientes que retornaram à sociedade como pessoas ativas e produtivas. Não tenho palavras para agradecer vocês”, disse.

A Noite do Bem também abriu espaço para as comemorações do centenário do Pequeno Príncipe. “Nossa oncologia começou extraoficialmente em 1962 e de lá para cá, a gente vem crescendo e tendo sucesso nos tratamentos. E a gente se questiona todos os dias: o que mais podemos fazer. Nossos esforços estão focados em atender de maneira integral as crianças e as famílias e tenho certeza que com o apoio de vocês isso vai se eternizar por 100 vezes mais 100 anos, infinitamente. Obrigada a todos”, agradeceu.

Confraternização

Além de conferir os resultados do serviço de OHTMO e os desafios do Pequeno Príncipe no ano em que completa um século, os participantes degustaram um menu especial, durante o jantar oferecido pelo Espaço Klaine. “É o quinto ano que participamos desse evento e gostaríamos de estar juntos de novo em 2020. Se vocês saírem daqui um pouco mais felizes do que chegaram com certeza serão pessoas melhores lá fora e vou fazer todo possível para que isso seja verdade”, disse Geraldo Klaine, proprietário do local.

Diversos cidadãos e empresas contribuíram para o sucesso do evento. O casal Marjorie e Danilo Hauser apoia e viabiliza a Noite do Bem desde 2011. “Sempre é uma emoção e eu me sinto muito grata de poder participar com o nosso trabalho pequeninho de formiga, junto desse projeto enorme que é o Complexo Pequeno Príncipe e que vem há 100 anos ajudando toda a sociedade brasileira”, comentou Marjorie.

Um dos grandes responsáveis por tornar realidade o Serviço de Transplante de Médula Óssea no Hospital, o casal Many e Dinho Elache, também prestigiaram a Noite do Bem.  Além de contribuir diretamente, eles ainda mobilizam sua rede de contatos e amigos em prol da causa. “Acredito que é muito importante os empresários sempre apoiarem instituições sérias e por isso buscamos novos apoiadores. Os empresários têm obrigação de trazer mais padrinhos e formar uma cadeia de apoio. Dá orgulho de participar desse momento dos 100 anos, pela própria administração do Hospital que traz retorno verdadeiros para as crianças”, declarou o investidor.

Diversas empresas tornaram possível a realização da Noite do bem, que contou com o apoio do Espaço Klaine e patrocínio de: De Paola & Panasolo Sociedade de Advogados, Unimed, Bauart Empreendimentos, Agisa Contêineres, Instituto Renault, Geiger Indústria de Máquinas, Permution, Pumatronix e Grupo Risotolândia.

Árvores da Vida na Noite do Bem 

 A Noite do Bem também foi o momento do lançamento do Projeto Árvores da Vida – 100 anos. A proposta amplia o compromisso institucional, sempre presente na história do Pequeno Príncipe, com o futuro do planeta e a responsabilidade com o ambiente que será deixado para as novas gerações.

A ideia de buscar apoio financeiro vinculado ao plantio de 100 mudas de árvores nativas de dez espécies diferentes foi concretizada a partir do projeto de implantação do Pequeno Príncipe Norte. Com obras previstas para iniciar em 2020, a nova unidade na região Norte de Curitiba contará com dois hospitais, ambulatórios, sede para Faculdades e Instituto de Pesquisa, Centro Cultural e um Jardim Botânico, além de conservar um bosque nativo de 80 mil metros quadrados, onde as mudas serão plantadas.

Para contribuir com o projeto, os apoiadores interessados poderão escolher a espécie de sua muda e adquiri-la por R$ 10 mil. A árvore, plantada pelo próprio apoiador, durante um evento exclusivo ganhará uma placa personalizada com o seu nome.

Ao aliar a oportunidade de enriquecer a área de bosque nativo com iniciativas de apoio financeiro ao Hospital, o Árvores da Vida estabelece uma interação sustentável entre os homens e a natureza, celebrando a vida e contribuindo para a sustentabilidade ambiental e econômica.

Além de conhecer o projeto, que acontece ao longo das comemorações dos 100 anos (2019 e 2020), os convidados da Noite do Bem tiveram a oportunidade adquirir as primeiras cotas do projeto Árvores da Vida e ainda deixar mensagens em alusão ao centenário em uma árvore instalada na recepção do evento.

Confira mais depoimentos do evento

“Acho que todo o curitibano nascido aqui ou adotado pela cidade tem uma ligação sentimental com o Pequeno Príncipe porque ou esteve lá como criança ou como pai, irmão ou tio. E apoiar uma entidade que tem esse vínculo e é tão próxima das pessoas é muito importante para nós. Temos uma relação afetiva porque minha irmã teve meningite e foi curada lá”, Leonardo Sperb De Paola, sócio na De Paola & Panasolo Sociedade de AdvogadosConfira mais depoimentos do evento

“Para nós do Instituto Renault é bem importante fazer parte desse momento dos 100 anos, sobre tudo por conta da relação que já temos construída com o Pequeno Príncipe. Fazer parte de uma causa que tem como propósito contribuir para a transformação da sociedade, melhorar o ambiente que a gente vive e começar isso a partir da saúde e da educação é muito importante e o Hospital tem um papel fundamental nisso”, Graziela Pontes, diretora executiva do Instituto Renault

 “O Pequeno Príncipe é um grande parceiro da Unimed Curitiba e é uma parceria que vem de muitos anos e temos total consciência da importância que a instituição tem no atendimento de nossos usuários. Nós temos que parabenizar o Hospital e agradecer por uma parceria tão profícua ao longo desses anos. Que venha mais 100 anos para que possamos cada vez mais sedimentar uma parceria que é tão boa para os dois lados”, Antônio Carlos de Farias, médico e diretor financeiro da Unimed Curitiba

+ Notícias

Faça sua doação