Complexo, Hospital

Oficina de Balé no Pequeno Príncipe encanta pacientes e familiares

A parceria com a ABABTG tem por objetivo estimular a integração e o acesso a diferentes culturas, além de desmistificar a dança

Um projeto especial da Associação de Bailarinos e Apoiadores do Balé Teatro Guaíra (ABABTG), que beneficia o Hospital Pequeno Príncipe, teve início nesta quinta-feira, dia 16. Através da Oficina de Balé, pacientes e seus familiares têm contato com a história da dança e ainda participam de brincadeiras. “Tocar a vida de alguma criança, de qualquer forma, é motivo para a gente estar aqui”, explicou Simone Bönisch Olsen, presidente e coordenadora de projetos da entidade.

A Oficina de Balé também tem o intuito de estimular a integração e o acesso a diferentes culturas, além de desmitificar a dança. “Sabemos da importância de projetos como esse e da imensa troca de experiências que eles possibilitam”, conta Jorge Schneider, vice-presidente e coordenador de projetos da ABABTG.

O resultado da ação foi percebido nos sorrisos e na alegria dos participantes, que entraram no ritmo, dançaram, bateram palmas e se divertiram muito. “A dança é para todos, sem nenhum estereótipo”, lembra Simone Bönisch Olsen.

Para o público, a oficina deixou as melhores impressões.  “Acho ótimo, minha filha sai das oficinas e passa a tarde toda comentando e sonhando. Sem contar que a dinâmica é sempre diferente”, alegra-se Ieda Cardoso Santiago Barbosa, mãe da paciente Emily Lindsey Cardoso Barbosa, 10 anos.

A garotada também aprovou a iniciativa do projeto, que beneficia os pacientes em tratamento no Pequeno Principe. “Acho legal e gosto muito, pois sempre me descontrai. Geralmente, eu e minha mãe sempre participamos das oficinas”, falou Fernanda Gnatta Klug Sureck, 15, paciente do Hospital Pequeno Príncipe.

+ Notícias

Faça sua doação