Visitas aos recém-nascidos: cuidado redobrado em período de viroses

Notícias

Visitas aos recém-nascidos: cuidado redobrado em período de viroses

As visitas são recomendadas após os primeiros 3 meses de vida do bebê, depois da aplicação das primeiras vacinas
15/04/2022
visitas recém nascidos
Em casa, as visitas são recomendadas após os primeiros 3 meses do bebê, depois que ele recebeu as primeiras vacinas.

 

A chegada de um bebê gera uma grande expectativa não só para os pais, mas para todos os familiares e amigos. Realizar visitas na saída da sala de parto ou já nos primeiros dias de vida é um desejo de grande parte das pessoas próximas à família. Porém, o Hospital Pequeno Príncipe faz o alerta: recém-nascidos devem ser protegidos principalmente durante o período de sazonalidade dos vírus respiratórios, como o vírus sincicial respiratório, o adenovírus, a influenza e o coronavírus.

Visitas na maternidade são contraindicadas, pois a família vive um período de adaptação. “Esse é um momento do nascimento de uma mãe e seu bebê, com a necessidade de criarem laços e, principalmente, adaptarem-se à rotina de cuidados e amamentação”, explica a neonatologista Silmara Aparecida Possas, do Hospital Pequeno Príncipe. Se for imprescindível receber algum familiar, a visita precisa ser curta e silenciosa.

Já em casa, as visitas são recomendadas após os primeiros 3 meses do bebê, depois que ele recebeu as primeiras vacinas. Ainda assim, os encontros devem ser controlados, considerando que há o risco de os adultos serem portadores de doenças contagiosas assintomáticas. A proteção ao bebê é importante devido à sua imaturidade imunológica. O recém-nascido está adaptando-se à vida extrauterina; e, por outro lado, a mãe está no período delicado do puerpério. Portanto, os cuidados em tempos de pandemia e de surtos de viroses devem ser redobrados.

Confira a etiqueta básica para visitas aos recém-nascidos:

  • as visitas devem ser restritas aos familiares próximos, sempre com a condição de saúde averiguada. Em casos de tosse, secreção nasal, febrícula, indisposição, ou ainda se houve contato com pessoas contaminadas, a visita deve ser suspensa;
  • o tempo da visita deve ser curto, de até 20 a 30 minutos, respeitando o período de descanso da mãe e do bebê;
  • deve-se receber visitas em um ambiente ventilado e com tranquilidade sonora. O bebê precisa ser mantido em um ambiente calmo e seguro, como no quarto dos pais ou da criança, evitando o estresse da reunião dos adultos;
  • deve-se evitar tocar na criança, exceto se as mãos e roupas estiverem higienizadas;
  • o uso de álcool nas mãos e de máscaras é imprescindível, bem como não expor a criança a beijos (gotículas podem estar contaminadas por vírus). A prática desses hábitos contribui para evitar a propagação de doenças virais em geral, não somente o coronavírus;
  • não introduzir chupeta na criança, exceto se ela estiver esterilizada e guardada em local seguro de contaminação; quando a família desejar que a criança use chupeta, é importante que ela seja utilizada como pacificador e retirada assim que o bebê se reorganize, pois o choro também é uma forma de comunicação; e
  • disponibilizar à mãe o recolhimento para amamentação em ambiente calmo e seguro, sem a intervenção dos visitantes.

A orientação geral é para que as crianças recém-nascidas não sejam expostas a ambientes populosos e pouco ventilados, ou com a presença de pessoas com histórico recente de viroses respiratórias, mesmo sendo em reuniões familiares. Entre esses ambientes estão shoppings, festas e reuniões sociais.

Se for muito necessário sair com o bebê, é fundamental que se opte por ambientes abertos, controlados, não muito aquecidos, nem com temperatura abaixo do conforto térmico. Esses cuidados são essenciais para preservar o equilíbrio e, assim, a capacidade de resposta imunológica da criança, que é adquirida por meio do aleitamento materno e amadurecida com a idade. Essas precauções ajudam a garantir um desenvolvimento saudável para o bebê nos primeiros meses de vida, de maneira que ele e sua família possam receber as visitas e o apoio dos familiares no momento adequado e de forma segura.

  • Confira vídeo sobre os cuidados com recém-nascido na pandemia:

Acompanhe os conteúdos também nas redes sociais do Pequeno Príncipe e fique por dentro de informações de qualidade – Facebook, InstagramTwitterLinkedInYouTube

+ Notícias

25/11/2022

Hemodinâmica: cateterismo evita cirurgias de grande porte em neonatos

O serviço do Hospital Pequeno Príncipe é referência nacional em pediatria e, em 2021, realizou 297 cateterismos
24/11/2022

Pequeno Príncipe vence o Prêmio Líderes Regionais Paraná 2022

A instituição foi premiada na categoria ESG – Responsabilidade Social. O reconhecimento destaca empresas, organizações e empresários que contribuíram para o desenvolvimento do estado
23/11/2022

Câncer pediátrico: diagnóstico precoce pode salvar até 84% dos pacientes

Referência nacional no tratamento de doenças onco-hematológicas há meio século, Hospital Pequeno Príncipe alerta sobre sintomas
21/11/2022

Pequeno Príncipe atua na prevenção da resistência aos antimicrobianos

A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que 1,3 milhão de pessoas morram a cada ano devido aos efeitos dessa resistência  
20/11/2022

Dia Mundial da Criança chama atenção à defesa de direitos

Em sua trajetória centenária, o Hospital Pequeno Príncipe desenvolve uma série de iniciativas em favor da proteção integral de meninos e meninas  
18/11/2022

Eletrofisiologia: Pequeno Príncipe é pioneiro em pediatria e mapeamento do coração em procedimento cirúrgico

O serviço também é referência no Brasil na realização de procedimentos invasivos e colocação de dispositivos eletrônicos no público infantojuvenil
Ver mais