“A vida é um sopro. Então, temos que ser feliz!” - Hospital Pequeno Príncipe

Notícias

“A vida é um sopro. Então, temos que ser feliz!”

Longe da família que mora no sudoeste do Paraná, a técnica de enfermagem Marlene Jandira Chimanski venceu a COVID-19 e teve acolhimento e amparo do Hospital
28/09/2020

Ficar doente sempre é difícil. Mas passar por isso sem ter a família perto para amparar é um grande aprendizado. A técnica de enfermagem Marlene Jandira Chimanski, de 47 anos, não atende casos de coronavírus, mas desde que a pandemia começou, sentia muito medo de ter a doença. Os dias passavam e ela agradecia por amanhecer bem.

Até que entre suas idas e vindas entre um hospital e outro, já que trabalha em dois locais, sentiu dores no estômago e os sintomas se agravaram. “No fim de semana comecei a ter uma crise de tosse e na segunda-feira tive febre e falta de ar ao subir a escada. Fui ao médico, que falou que só pela escuta do meu pulmão era 99% de chances de ser COVID-19”, lembra a profissional.

Ao fazer uma ecografia do pulmão, um susto: várias manchas apontaram que o coronavírus havia se instalado. O isolamento é uma realidade para aqueles que são infectados pela doença. “Minha família é do sudoeste do Paraná. Não tenho ninguém próximo para ajudar, então me vi completamente sozinha e nesse momento muitas coisas passam pela cabeça”, desabafa Marlene.

Cuidado que faz a diferença
Com o suporte e acolhimento do Pequeno Príncipe, Marlene se sentiu amparada nesse momento tão delicado. “Por mais que eu estivesse sozinha fisicamente, eu tive todo o cuidado dos meus colegas, da minha gestora e também do setor de Medicina do Trabalho da instituição. Todos ligavam sempre para saber como eu estava. Juro que não tenho palavras para agradecer”, conta.

E esse cuidado do Pequeno Príncipe é percebido por Marlene nas pequenas atitudes, desde o início da pandemia. “Me sinto muito segura trabalhando no Hospital. Nós temos muitos treinamentos e não são apenas sobre coronavírus. Nunca me faltou equipamento de proteção individual (EPI). E me sinto muito valorizada, olham para nós e se preocupam. Eu amo esse lugar”, agradece a técnica de enfermagem.

Valorizar as pequenas coisas
“A sensação que eu tenho é de que tudo o que aprendi até agora foi para viver este momento.” Há 12 anos atuando no Pequeno Príncipe, Marlene ressalta que, se antes a assistência que prestava era segura, hoje é ainda mais. “A essência da enfermagem é o cuidado, então sei que essa é minha missão”, reforça.

Com essa experiência, a profissional aprendeu a valorizar ainda mais tudo o que tem e às pessoas que estão ao redor. “A vida é um sopro. Então, temos que ser feliz!”

+ Notícias

05/08/2022

Cirurgia de correção de malformação rara é realizada por Pequeno Príncipe

A correção da extrofia de cloaca foi realizada pela técnica de Kelley, considerada inovadora
04/08/2022

Cientistas estão desenvolvendo gel bucal para tratar mucosite

Principal reação adversa da quimioterapia, a mucosite oral causa intensa dor e pode ser porta de entrada para outras infecções
02/08/2022

Doenças raras é tema de mesa-redonda organizada pelo Pequeno Príncipe

A iniciativa fez parte da programação da 74.ª reunião anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC)
01/08/2022

Aleitamento materno favorece desenvolvimento da inteligência e estrutura da face

Especialistas do Hospital Pequeno Príncipe explicam ligação entre o neurodesenvolvimento e o crescimento ósseo adequado da face
28/07/2022

Hepatites A e B podem ser prevenidas por meio da vacinação

O Centro de Vacinas Pequeno Príncipe disponibiliza imunizantes contra essas duas formas da doença, que ocorrem de forma endêmica no Brasil
27/07/2022

Único hospital do Brasil com 35 especialidades pediátricas atrai estudantes de todo o país

Com 50 anos de existência, a residência em pediatria do Pequeno Príncipe ajuda a melhorar o déficit de especialistas em diversos estados brasileiros
Ver mais