Vacinação contra a COVID-19 é fundamental para proteção

Notícias

Vacinação contra a COVID-19 é fundamental para proteção de crianças de 3 a 5 anos

Especialista do Pequeno Príncipe, maior hospital exclusivamente pediátrico do Brasil, reforça pontos positivos para os responsáveis que adotam essa medida de prevenção
12/08/2022
vacinação COVID-19
Estudos bem consolidados e seguros garantem a eficácia da vacinação contra a COVID-19.

 

A vacinação é um direito assegurado por lei. No caso de crianças, cabe ao adulto responsável tomar essa importante decisão, que, além de ser um ato com impactos coletivos, é um procedimento fundamental para a segurança e proteção dos pequenos.

Para a pediatra Heloisa Ihle Garcia Giamberardino, do Pequeno Príncipe, a inclusão das crianças a partir dos 3 anos de idade no calendário de vacinação contra o coronavírus é um avanço significativo. “Nós precisamos avançar ainda mais. Diariamente duas crianças brasileiras nesta faixa etária evoluem para óbito por COVID-19, portanto é fundamental dar o direito às crianças entre 3 e 5 anos de serem vacinadas, assim como toda a população acima desta faixa já usufruiu esta proteção. Países como os Estados Unidos, por exemplo, já autorizaram a vacinação de crianças a partir dos 6 meses de idade há alguns meses. Apenas em 2022, em torno de 400 crianças com menos de 5 anos evoluíram ao óbito no Brasil pela COVID-19. Além disso, temos a COVID longa, que acarreta complicações, como a síndrome de resposta inflamatória multissistêmica, além das complicações pulmonares, cardíacas, vasculares, entre outras. Os riscos concretos que a doença COVID-19 pode causar nas crianças brasileiras podem agora ser finalmente evitados com a vacina”, reforça.

Importância do ciclo de vacinação completo em crianças

— Com as flexibilizações quanto a aglomerações e uso de máscaras, esse grupo, por não estar vacinado, encontrava-se ainda mais desprotegido. Agora, podendo iniciar seu ciclo de vacinação contra a doença, é essencial realizar esse ato para uma maior proteção contra posteriores agravamentos e hospitalizações gerados pela COVID-19.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou o uso da CoronaVac para crianças de 3 a 5 anos contra a COVID-19. A vacinação é segura e muito importante para essa faixa etária. No Hospital Pequeno Príncipe, aproximadamente 65% dos internamentos pela infecção em 2022 foram de crianças de até 5 anos.

A resposta imunológica em crianças é rápida e expressiva. Estudos clínicos, como o realizado no Chile, mostram um maior número de anticorpos e menos reações à vacina em relação aos adultos. “Estudos bem consolidados e seguros garantem a eficácia dessa vacina de vírus inativado que foi autorizada no Brasil para essa faixa etária de até 5 anos. É uma vacina que temos bastante segurança de uso e sabemos que a resposta das crianças é bem melhor que em adultos e até adolescentes”, acrescenta a pediatra.

— A letalidade em crianças, apesar de menor que em adultos, ainda existe. O número, que chega a 8%, segundo a Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm), reforça a vacinação como uma das principais formas de combate ao agravamento e óbito pela doença.

— Em Curitiba, para a primeira e segunda doses da vacina em crianças com mais de 3 anos, basta comparecer a qualquer uma das 106 unidades de vacinação disponíveis, sempre de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h. “São duas doses com intervalo de 28 dias. Os casos de coronavírus estão cada vez mais deslocando-se para essa faixa etária, pois o restante da população já está vacinada, então é essencial buscar completar esse ciclo de vacinação assim que possível”, complementa a especialista. A lista completa com os locais e endereços você pode acessar pelo site Imuniza Já.

Acompanhe os conteúdos também nas redes sociais do Pequeno Príncipe e fique por dentro de informações de qualidade – Facebook, InstagramTwitterLinkedInYouTube

+ Notícias

18/05/2024

Aumentam registros de violência contra crianças e adolescentes

Nas últimas duas décadas, foram mais de nove mil pacientes atendidos no Hospital Pequeno Príncipe por maus-tratos; violência sexual predomina
17/05/2024

Pequeno Príncipe mobilizado pelo Rio Grande do Sul

Iniciativas vão desde teleconsultas a crianças e adolescentes em parceria com hospital gaúcho até mobilização de profissionais
15/05/2024

Como falar sobre as enchentes com as crianças?

Hospital Pequeno Príncipe destaca a importância de agir com sensibilidade e estar atento aos sinais de sofrimento manifestados pelos pequenos
13/05/2024

É normal a criança ter amigos imaginários?

A criação desses personagens é comum no desenvolvimento infantil, mas veja alguns sinais que indicam atenção a essa prática
09/05/2024

Ministra da Saúde visita área onde será o Pequeno Príncipe Norte

Nísia Trindade de Lima destacou a importância do projeto e da instituição para a saúde infantil do país
07/05/2024

Hospital se destaca em encontro internacional por ações ambientais

Instituição é a única entre as organizações de 12 países a ter um indicador em saúde ambiental 
Ver mais