Vacina BCG protege contra tuberculose e pode indicar imunodeficiências primárias - Hospital Pequeno Príncipe

Notícias

Vacina BCG protege contra tuberculose e pode indicar imunodeficiências primárias

Neste dia 1.° de julho é lembrada a importância dessa imunização, que foi criada nesta mesma data em 1920
30/06/2017

Ainda no primeiro mês de vida, os bebês devem receber a vacina do Bacilo de Calmette-Guérin, conhecida nacionalmente por BCG. Além de proteger contra as formas graves de tuberculose, seu efeito adverso é um dos sinais que podem indicar imunodeficiência primária. Com o objetivo de conscientizar as pessoas sobre o tema, neste sábado, 1.° de julho, é lembrado o Dia da Vacina BCG, que também é a data de sua criação, em 1920.

Essa forma de imunização é fornecida pela Rede Pública de Saúde. Em alguns locais, é aplicada pela própria maternidade, sempre no braço direito, conforme as normas de saúde. “Ela é contraindicada para bebês com menos de 2Kg e que têm imunodeficiências adquiridas (por infecções virais, como o HIV) e imunodeficiências primárias (de origem genética)”,  explica a médica alergista e imunologista do Hospital Pequeno Príncipe, Carolina Prando.


Após a vacina, não se deve passar produtos ou colocar curativos no local da aplicação. “É necessário também ficar atento à formação de uma lesão, que deve cicatrizar entre 6 a 10 semanas da vacinação”, destaca a médica. As reações à vacina variam de vermelhidão ao redor e até mesmo pus no local. Uma infecção em forma de caroço também pode se formar na região da axila ou na região cervical direita (porção da coluna vertebral que forma o pescoço).

Quando não for possível verificar a marquinha da vacina no bebê, é necessário procurar por uma Unidade Básica de Saúde para receber uma nova dose da vacina, após seis meses da primeira. As recomendações são do Ministério da Saúde. ”Se o bebê já apresentou outras infecções de ouvido, pneumonia, diarreia persistente ou dificuldade de ganho de peso, é importante verificar se o sistema imunológico está funcionando corretamente antes de aplicar a segunda dose”, afirma a profissional.

Além disso, caso o bebê apresente alguma falha no sistema imunológico, a lesão da vacina pode ser muito grande e ter uma quantidade aumentada de pus. “Nesse caso, pode ocorrer uma infecção na região da vacinação e também em órgãos internos do corpo”, aponta Carolina Prando. Diante disso, é preciso procurar imediatamente por um imunologista. Quanto antes for feito o diagnóstico de uma imunodeficiência primária, maiores são as chances de um tratamento dirigido que aumente a qualidade e expectativa de vida do paciente.

Sobre as imunodeficiências primárias
O sistema imunológico é responsável pela defesa do organismo. Porém, algumas pessoas podem nascer com modificações em genes desse sistema, que alteram a produção ou o funcionamento das células. Isso faz com que elas apresentem infecções de repetição. Essas modificações fazem parte de um grupo de doenças conhecido como imunodeficiências primárias.

Sobre a tuberculose
A tuberculose, uma infecção transmissível causada pelo Mycobacterium tuberculosis, é um problema sério de saúde pública. Apesar do Brasil ter reduzido o número de casos da doença em 20% nos últimos dez anos, o país ainda está entre os 20 com o maior índice dessa enfermidade. São diagnosticados 70 mil novos casos e ocorrem 4,5 mil mortes por ano.

+ Notícias

25/11/2022

Hemodinâmica: cateterismo evita cirurgias de grande porte em neonatos

O serviço do Hospital Pequeno Príncipe é referência nacional em pediatria e, em 2021, realizou 297 cateterismos
24/11/2022

Pequeno Príncipe vence o Prêmio Líderes Regionais Paraná 2022

A instituição foi premiada na categoria ESG – Responsabilidade Social. O reconhecimento destaca empresas, organizações e empresários que contribuíram para o desenvolvimento do estado
23/11/2022

Câncer pediátrico: diagnóstico precoce pode salvar até 84% dos pacientes

Referência nacional no tratamento de doenças onco-hematológicas há meio século, Hospital Pequeno Príncipe alerta sobre sintomas
21/11/2022

Pequeno Príncipe atua na prevenção da resistência aos antimicrobianos

A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que 1,3 milhão de pessoas morram a cada ano devido aos efeitos dessa resistência  
20/11/2022

Dia Mundial da Criança chama atenção à defesa de direitos

Em sua trajetória centenária, o Hospital Pequeno Príncipe desenvolve uma série de iniciativas em favor da proteção integral de meninos e meninas  
18/11/2022

Eletrofisiologia: Pequeno Príncipe é pioneiro em pediatria e mapeamento do coração em procedimento cirúrgico

O serviço também é referência no Brasil na realização de procedimentos invasivos e colocação de dispositivos eletrônicos no público infantojuvenil
Ver mais