Urina: perda involuntária durante o sono precisa de atenção

Notícias

Enurese: perda involuntária de urina durante o sono precisa de atenção

O diagnóstico desse distúrbio ocorre em crianças com mais de 5 anos que molham a cama, pelo menos, de duas a três vezes por semana e por três meses
14/03/2022
urina na cama
A enurese é diagnosticada em crianças com idade superior a 5 anos que molham a cama durante o sono.

As crianças podem adquirir o controle esfincteriano noturno e sair da fralda até completarem 5 anos. A partir dessa idade, a perda involuntária de urina durante o sono é chamada de enurese. A situação é diagnosticada em crianças com idade superior a 5 anos que molham a cama, pelo menos, de duas a três vezes por semana e por três meses.

De acordo com a nefrologista pediátrica Mariana Cunha, do Hospital Pequeno Príncipe, essa situação é comum, afetando até 10% das crianças aos 7 anos. “É importante a família buscar ajuda especializada quando há enurese associada a infecção urinária, constipação intestinal, ausência de controle esfincteriano diurno após os 4 anos, doença neurológica ou, ainda, desgaste psicológico da criança e/ou família”, frisa a médica.

Em mais de 90% das crianças, a enurese tem causa funcional. “A genética influencia muito e se ambos os pais fizeram xixi na cama, a chance de o filho também fazer é de 77%”, comenta a nefrologista. A minoria dos casos tem problemas psicológicos como causa. As consequências, entretanto, estão relacionadas especialmente ao quadro emocional, com baixa autoestima, ansiedade, baixo rendimento escolar e problemas sociais.

Quando o diagnóstico da enurese é confirmado, e dependendo de algumas características do quadro clínico, pode ser indicado o uso de alarme de condicionamento, medicações específicas, sempre em conjunto com as mudanças de comportamento. A psicoterapia é eficaz em vários casos, e situações específicas também podem beneficiar-se com fisioterapia. “A criança sofre com essa situação, por isso é preciso apoiar com paciência, para ela entender que não está sozinha e que o mesmo pode acontecer com milhares de crianças”, finaliza a nefrologista.

Serviço de Nefrologia

O Serviço de Nefrologia do Hospital Pequeno Príncipe é o único exclusivamente pediátrico do Paraná e o único que realiza hemodiálise em crianças no estado. Além disso, é considerado um dos mais completos do Brasil e também oferece diálise peritoneal, transplante renal, hemodiafiltração, plasmaferese e urodinâmica, além de ambulatório geral de nefrologia e ambulatórios especializados para atender pacientes com doença renal crônica em tratamento conservador, litíase, tubulopatias, glomerulopatias, bexiga neurogênica e hipertensão arterial.

Acompanhe os conteúdos também nas redes sociais do Pequeno Príncipe e fique por dentro de informações de qualidade – Facebook, InstagramTwitterLinkedInYouTube

+ Notícias

18/05/2024

Aumentam registros de violência contra crianças e adolescentes

Nas últimas duas décadas, foram mais de nove mil pacientes atendidos no Hospital Pequeno Príncipe por maus-tratos; violência sexual predomina
17/05/2024

Pequeno Príncipe mobilizado pelo Rio Grande do Sul

Iniciativas vão desde teleconsultas a crianças e adolescentes em parceria com hospital gaúcho até mobilização de profissionais
15/05/2024

Como falar sobre as enchentes com as crianças?

Hospital Pequeno Príncipe destaca a importância de agir com sensibilidade e estar atento aos sinais de sofrimento manifestados pelos pequenos
13/05/2024

É normal a criança ter amigos imaginários?

A criação desses personagens é comum no desenvolvimento infantil, mas veja alguns sinais que indicam atenção a essa prática
09/05/2024

Ministra da Saúde visita área onde será o Pequeno Príncipe Norte

Nísia Trindade de Lima destacou a importância do projeto e da instituição para a saúde infantil do país
07/05/2024

Hospital se destaca em encontro internacional por ações ambientais

Instituição é a única entre as organizações de 12 países a ter um indicador em saúde ambiental 
Ver mais