Unha encravada em bebês: como identificar e tratar - Hospital Pequeno Príncipe

Notícias

Unha encravada em bebês: como identificar e tratar

Especialista do Pequeno Príncipe explica que o formato da unha dos recém-nascidos ou o corte inadequado pode gerar lesões e até mesmo infecções
06/10/2021
É sempre importante que a família procure um pediatra para identificar a causa da unha encravada, que pode ser hereditária, adquirida ou infecciosa.

 

Mais comum do que muita gente imagina são as unhas encravadas em bebês. A condição pode ocorrer nas mãos, mas é bem mais frequente nos pés dos pequenos. O primeiro fator que pode desencadear a lesão é o traumatismo, seja por meio do uso de macacão, meias ou sapatos apertados. O segundo motivo é por questões hereditárias, como o desalinhamento lateral do dedão do pé (hálux).

De acordo com a dermatologista Nadia Aparecida Pereira de Almeida, do Pequeno Príncipe, é sempre importante que a família procure um pediatra para identificar a causa da unha encravada, que pode ser hereditária, adquirida ou infecciosa. “No caso dos bebês, eles reagem à dor quando mexemos em seus dedos e chegam até a mancar ao caminhar. Por isso, é importante estar sempre atento à vermelhidão e ao processo inflamatório ao redor dos dedos, principalmente do dedão do pé.”

Para evitar ou tratar unhas encravadas decorrentes de traumatismos, a especialista recomenda que o bebê utilize roupas e sapatos mais frouxos; e, de preferência, que os pais deixem os pequenos andarem descalço em casa. “Já quando o desalinhamento é hereditário e os pais têm o mesmo problema, é possível fazer a correção por meio de cirurgia. A indicação é que a intervenção seja feita antes dos 2 anos de idade, para corrigir a matriz da unha e ser um tratamento definitivo”, enfatiza a médica.

Mas, afinal, o jeito de cortar as unhas interfere?
Sim, a especialista ressalta que aparar a unha que está grande do jeito certo é muito importante para evitar que ela encrave. “Em todos os casos, seja em bebês, crianças ou adolescentes, a unha deve ser cortada no formato reto, sem retirar os cantos ou arredondar. Deixar que a borda fique livre para crescer normalmente é essencial para não encravar nas laterais dos dedos”, explica a dermatologista.

 

 

+ Notícias

04/10/2022

Convivência com animais de estimação beneficia desenvolvimento das crianças

Ao crescer ao lado de um bichinho, os pequenos vivenciam diferentes experiências que contribuem para a saúde física e mental
03/10/2022

Rede Nacional de Doenças Raras se reúne no Pequeno Príncipe

O encontro dos centros de referência brasileiros discutiu inquérito nacional dos serviços que vai servir de base para o Ministério da Saúde
30/09/2022

Setembro Amarelo: é preciso falar sobre tentativa de suicídio na infância e adolescência

O Hospital Pequeno Príncipe, referência em atendimentos pediátricos, registrou um aumento de 95% dos casos do primeiro semestre de 2021 para 2022
29/09/2022

Coração dá sinais de que precisa de cuidado

Neste Dia Mundial do Coração, o Hospital Pequeno Príncipe alerta quando é necessário buscar um pediatra
27/09/2022

Doação de órgãos e tecidos: uma decisão que transforma vidas

O Hospital Pequeno Príncipe, que até agosto de 2022 realizou 183 transplantes de órgãos, reforça a importância do diálogo sobre o tema
26/09/2022

Voluntários celebram o brincar em retorno ao Pequeno Príncipe

Neste ano, o Dia do Voluntário Paranaense é cercado de ainda mais emoção, devido à retomada das atividades presenciais
Ver mais