Telepediatria do Pequeno Príncipe chega à Paranaguá

Notícias

Telepediatria do Pequeno Príncipe chega à Paranaguá

Cidade litorânea é a primeira a receber o serviço no estado do Paraná
16/08/2022
telepediatria
O encontro firmou a parceria viabilizada pelo projeto Telepediatria Pequeno Príncipe.

 

O Pequeno Príncipe, maior hospital exclusivamente pediátrico do Brasil, recebeu, nesta terça-feira, dia 16, a equipe da Prefeitura de Paranaguá. O encontro firmou a parceria, viabilizada pelo projeto Telepediatria Pequeno Príncipe, entre a instituição e a cidade do litoral. A iniciativa tem o objetivo de complementar o atendimento aos pacientes em Paranaguá e fornecer consultas clínicas às crianças e adolescentes via telemedicina.

“Nós acreditamos na telessaúde há muitos anos, pois funciona como a intermediação entre o conhecimento que está em um lugar e um paciente que precisa de orientação, mas está distante. A telepediatria está levando o Pequeno Príncipe mais longe, cumprindo a nossa missão de levar atendimento de qualidade e para o maior número de crianças. Ficamos muito felizes em começar este projeto em Paranaguá”, pontuou o diretor-corporativo do Complexo Pequeno Príncipe, José Álvaro da Silva Carneiro.

As teleconsultas contam com o TytoCare, um dispositivo que possui a capacidade de realizar exame físico de modo remoto. Além de serem transmitidos em tempo real, os resultados ficam arquivados em uma plataforma digital, à qual o médico tem acesso e pode analisar os dados para chegar a um diagnóstico mais preciso e então prescrever o tratamento.

“É uma honra para nós ser a primeira cidade do Paraná a receber a telepediatria do Pequeno Príncipe. Essa união de esforços, do município e do Pequeno Príncipe, será de grande ajuda para as unidades básicas de saúde [UBSs] do município de Paranaguá, por isso estamos muito felizes com a parceria”, comentou o prefeito de Paranaguá, Marcelo Elias Roque. O encontro também teve a participação do vice-prefeito, José Carlos Borba; da secretária municipal de Saúde, Lígia Regina de Campos Cordeiro; e da diretora da Fundação de Assistência à Saúde de Paranaguá (FASP), Everlin Dina de Camargo Guiguer.

Tecnologia da telepediatria

A tecnologia da telepediatria que será levada a Paranaguá permite medir a temperatura, aferir a frequência cardíaca do paciente e fazer ausculta do coração, pulmões e região abdominal. Além disso, gera imagens com precisão e alta qualidade da garganta, do ouvido e da pele.

A parceria, com duração de 12 meses, terá os primeiros treinamentos em agosto; e os atendimentos, com previsão para início em setembro deste ano. O projeto – que futuramente poderá ser expandido para outras localidades do Paraná – do Pequeno Príncipe foi submetido e aprovado pelo Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente (CEDCA), via Fundo da Infância e Adolescência (FIA).

Acompanhe os conteúdos também nas redes sociais do Pequeno Príncipe e fique por dentro de informações de qualidade – Facebook, InstagramTwitterLinkedInYouTube

+ Notícias

12/06/2024

Cardiopatias congênitas: diagnóstico precoce evita complicações graves

Neste Dia Nacional de Conscientização da Cardiopatia Congênita, o alerta é para os exames disponíveis para diagnóstico e à importância do tratamento adequado para cada caso
11/06/2024

Gala Pequeno Príncipe 2024 será realizado em São Paulo

Jantar com a participação das madrinhas marcou o lançamento do evento, programado para o dia 30 de setembro
10/06/2024

Semana da Coluna tem mutirão com cirurgias de alta complexidade

Oito crianças passarão por procedimentos no Hospital, que é referência nacional em ortopedia pediátrica
06/06/2024

16.ª Noite dos Chefs une gastronomia e solidariedade

O evento tradicional une gastronomia e solidariedade com o objetivo de arrecadar recursos
05/06/2024

Como trabalhar a educação ambiental desde a infância?

Neste Dia Mundial do Meio Ambiente, o Hospital Pequeno Príncipe dá dicas sobre como falar a respeito da conservação do planeta com as crianças
04/06/2024

Doenças que mais acometem as crianças devido às enchentes

Além da destruição, as inundações no Rio Grande do Sul também preocupam pelo grande aumento de doenças infectocontagiosas e de pele
Ver mais