Semana Mundial do Aleitamento Materno: um ato que previne doenças e garante o desenvolvimento saudável das crianças - Hospital Pequeno Príncipe

Notícias

Semana Mundial do Aleitamento Materno: um ato que previne doenças e garante o desenvolvimento saudável das crianças

Celebrada entre 1.º e 7 de agosto, a data é importante também para reforçar a importância da amamentação para fortalecer os vínculos entre a mãe e o bebê
01/08/2018
Além de um ato de amor, a amamentação previne doenças e reduz a mortalidade infantil.

A amamentação é fundamental para o desenvolvimento dos bebês e previne, por exemplo, alergias, anemias e infecções respiratórias. Por conta disso, na Semana Mundial do Aleitamento Materno, celebrada entre 1.º e 7 de agosto, o Hospital Pequeno Príncipe  reforça a importância desse ato de amor para assegurar o desenvolvimento saudável das crianças.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), se todos os meninos e meninas do mundo fossem amamentados, seria possível salvar a vida de 820 mil crianças de até 5 anos anualmente. “O leite materno é insubstituível. Rico em proteínas, gorduras e vitaminas. Ele é nutricionalmente bom e sua capacidade de digestão é perfeita”, explicou o médico pediatra neonatologista do Pequeno Príncipe, Luiz Renato Valério.

Orientações da OMS e do Ministério da Saúde reforçam que a amamentação, em até uma hora após o nascimento, protege o bebê de infecções e reduz a mortalidade infantil. Mesmo com inúmeros benefícios, não são todas as crianças que recebem esse cuidado exclusivo e necessário.

Dados
Um levantamento da Organização Mundial da Saúde, referente ao ano de  2017, aponta que apenas 38% das crianças são alimentadas exclusivamente com o leite da mãe até os 6 meses. Os dados revelam ainda que apenas 32% delas continuam sendo amamentadas até os 2 anos.

Além de sua importância nutricional, a amamentação é um ato repleto de amor. O contato entre a mãe e o bebê fortalece vínculos e auxilia no desenvolvimento dos pequenos.

“O leite materno é insubstituível. Rico em proteínas, gorduras e vitaminas. Ele é nutricionalmente bom e sua capacidade de digestão é perfeita”, lembra o médico pediatra neonatologista Luiz Renato Valério.

Se houver alguma dificuldade no aleitamento, é preciso verificar se a posição do bebê está correta e se a mãe está emocionalmente bem. Diversos fatores podem interferir na amamentação, por conta disso, os estímulos de profissionais de saúde e familiares são fundamentais.

Apesar disso, nem todas as mulheres conseguem amamentar. “Elas não devem se sentir culpadas por isso. Muitas mães simplesmente não produzem leite e outras podem ser vítimas de doenças infecciosas, que no aleitamento podem ser transmitidas aos bebês”, aponta o médico. Nesses casos, faz-se necessário o uso das fórmulas infantis ou compostos lácteos. “O mercado desses produtos é enorme e conta com variações de composição e sabores. Por isso, eles devem sempre ser indicados pelo pediatra, que irá definir qual é o melhor leite ou composto para a quantidade de nutrientes a ser reposto”, destaca Luiz Renato Valério.

+ Notícias

29/11/2022

Dia de Doar: renúncia fiscal tem potencial de arrecadar até R$ 8 bilhões

Data criada há 20 anos nos Estados Unidos pretende fortalecer cultura de doações no Brasil. Doações via Imposto de Renda podem ser feitas até dia 29 de dezembro
25/11/2022

Hemodinâmica: cateterismo evita cirurgias de grande porte em neonatos

O serviço do Hospital Pequeno Príncipe é referência nacional em pediatria e, em 2021, realizou 297 cateterismos
24/11/2022

Pequeno Príncipe vence o Prêmio Líderes Regionais Paraná 2022

A instituição foi premiada na categoria ESG – Responsabilidade Social. O reconhecimento destaca empresas, organizações e empresários que contribuíram para o desenvolvimento do estado
23/11/2022

Câncer pediátrico: diagnóstico precoce pode salvar até 84% dos pacientes

Referência nacional no tratamento de doenças onco-hematológicas há meio século, Hospital Pequeno Príncipe alerta sobre sintomas
21/11/2022

Pequeno Príncipe atua na prevenção da resistência aos antimicrobianos

A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que 1,3 milhão de pessoas morram a cada ano devido aos efeitos dessa resistência  
20/11/2022

Dia Mundial da Criança chama atenção à defesa de direitos

Em sua trajetória centenária, o Hospital Pequeno Príncipe desenvolve uma série de iniciativas em favor da proteção integral de meninos e meninas  
Ver mais