Semana alerta para a importância da doação de medula óssea - Hospital Pequeno Príncipe

Notícias

Semana alerta para a importância da doação de medula óssea

Um dos maiores centros pediátricos do Brasil a realizar transplante de medula pelo SUS, o Hospital Pequeno Príncipe, também se engajou nesta campanha fundamental para salvar vidas
14/12/2018
Samuel e Daniel antes do transplante de medula óssea

Samuel Alves e Daniel Alves, de quatro anos, são irmãos gêmeos e foram diagnosticados com uma doença rara. A única chance de cura para os meninos seria um transplante de medula óssea (TMO). Infelizmente, ninguém da família era compatível, mas um doador não aparentado salvou a vida dos dois.

Histórias lindas como essa, vivenciada no Hospital Pequeno Príncipe, só são possíveis porque pessoas se cadastram para ser doadoras.

Por conta disso, o Ministério da Saúde lançou a Semana de Mobilização Nacional para a Doação de Medula Óssea, que começa hoje, dia 14, e se estende até o dia 21. Para doar, é preciso se cadastrar no Registro Nacional de Doares Voluntários de Medula Óssea (Redome) e manter os dados sempre atualizados.

Além disso, é importante que diferentes tipos de pessoas estejam dispostas a doar. “A nossa população brasileira é muito miscigenada. Nós somos feitos de várias raças e cores diferentes. Por isso, é importante que várias pessoas, de etnias distintas, cadastrem-se no Redome, para representar bem a população. Assim, maiores são as chances de encontrar um doador para quem precisa”, explicou a médica do Serviço de TMO do Pequeno Príncipe, Cilmara Kuawahara.

Como doar
Para doar, é preciso ir até um hemocentro com um documento com foto em mãos. Após preencher um ficha com informações pessoais e assinar um termo de consentimento livre e esclarecido, será retirada uma amostra de sangue. A partir dela, será feito um  exame de histocompatibilidade (HLA), que identificará a característica genética do doador. As informações são enviadas para o Redome. Em seguida, os dados são cruzados com os de quem precisa de transplante. O doador só é acionado quando aparecer um paciente com a medula compatível.
Daniel e Samuel um ano após o transplante de medula óssea

TMO no Pequeno Príncipe
Desde 2011, o Hospital realiza transplantes de medula óssea. Em dezembro de 2016, o serviço mais do que triplicou as suas atividades. O número de leitos aumentou de três para dez e a instituição passou a ser um dos maiores centros pediátricos do país a realizar o procedimento pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Neste ano, foram realizados 44 transplantes. Desde quando começou, 160 transplantes já foram feitos e muitas vidas foram transformadas.

+ Notícias

11/04/2024

Renúncia fiscal transforma a vida de crianças e adolescentes

Destinação do Imposto de Renda contribui para a equidade no atendimento em saúde a pacientes vindos de todo o país
08/04/2024

Pronon e Pronas: Pequeno Príncipe contribui com consulta pública

Há dez anos, o Hospital elabora, executa e presta contas de projetos desenvolvidos dentro dos programas
07/04/2024

Dia Mundial da Saúde: “Minha Saúde, Meu Direito”

O Hospital Pequeno Príncipe desenvolve uma série de iniciativas em favor da proteção integral de meninos e meninas
02/04/2024

TDAH e autismo: quais são as semelhanças e diferenças?

A identificação da manifestação dos sintomas é crucial para o diagnóstico e tratamento adequados e individualizados
30/03/2024

Como ajudar a criança ou o adolescente com transtorno bipolar?

Por ser uma doença crônica, que não tem cura, o apoio dos pais, familiares e amigos é essencial
25/03/2024

Sociedade Paranaense de Pediatria: 90 anos em prol da saúde infantojuvenil

Berço da pediatria no Paraná, o Pequeno Príncipe se orgulha da semente plantada naquele 25 de março de 1934
Ver mais