Semana alerta para a importância da doação de medula óssea - Hospital Pequeno Príncipe

Notícias

Semana alerta para a importância da doação de medula óssea

Um dos maiores centros pediátricos do Brasil a realizar transplante de medula pelo SUS, o Hospital Pequeno Príncipe, também se engajou nesta campanha fundamental para salvar vidas
14/12/2018
Samuel e Daniel antes do transplante de medula óssea

Samuel Alves e Daniel Alves, de quatro anos, são irmãos gêmeos e foram diagnosticados com uma doença rara. A única chance de cura para os meninos seria um transplante de medula óssea (TMO). Infelizmente, ninguém da família era compatível, mas um doador não aparentado salvou a vida dos dois.

Histórias lindas como essa, vivenciada no Hospital Pequeno Príncipe, só são possíveis porque pessoas se cadastram para ser doadoras.

Por conta disso, o Ministério da Saúde lançou a Semana de Mobilização Nacional para a Doação de Medula Óssea, que começa hoje, dia 14, e se estende até o dia 21. Para doar, é preciso se cadastrar no Registro Nacional de Doares Voluntários de Medula Óssea (Redome) e manter os dados sempre atualizados.

Além disso, é importante que diferentes tipos de pessoas estejam dispostas a doar. “A nossa população brasileira é muito miscigenada. Nós somos feitos de várias raças e cores diferentes. Por isso, é importante que várias pessoas, de etnias distintas, cadastrem-se no Redome, para representar bem a população. Assim, maiores são as chances de encontrar um doador para quem precisa”, explicou a médica do Serviço de TMO do Pequeno Príncipe, Cilmara Kuawahara.

Como doar
Para doar, é preciso ir até um hemocentro com um documento com foto em mãos. Após preencher um ficha com informações pessoais e assinar um termo de consentimento livre e esclarecido, será retirada uma amostra de sangue. A partir dela, será feito um  exame de histocompatibilidade (HLA), que identificará a característica genética do doador. As informações são enviadas para o Redome. Em seguida, os dados são cruzados com os de quem precisa de transplante. O doador só é acionado quando aparecer um paciente com a medula compatível.
Daniel e Samuel um ano após o transplante de medula óssea

TMO no Pequeno Príncipe
Desde 2011, o Hospital realiza transplantes de medula óssea. Em dezembro de 2016, o serviço mais do que triplicou as suas atividades. O número de leitos aumentou de três para dez e a instituição passou a ser um dos maiores centros pediátricos do país a realizar o procedimento pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Neste ano, foram realizados 44 transplantes. Desde quando começou, 160 transplantes já foram feitos e muitas vidas foram transformadas.

+ Notícias

12/08/2022

Vacinação contra a COVID-19 é fundamental para proteção de crianças de 3 a 5 anos

Especialista do Pequeno Príncipe, maior hospital exclusivamente pediátrico do Brasil, reforça pontos positivos para os responsáveis que adotam essa medida de prevenção
10/08/2022

“Nosso meio ambiente”: pacientes do Projeto Integra participam de ação ambiental

A iniciativa, realizada na sede que abrigará o Pequeno Príncipe Norte, proporcionou a experiência de explorar o vasto universo do ecossistema presente no local
08/08/2022

Colesterol pode ser prevenido com consumo de alimentos saudáveis

O Hospital Pequeno Príncipe ressalta a importância da adoção de bons hábitos para melhor qualidade de vida desde a infância
05/08/2022

Cirurgia de correção de malformação rara é realizada no Pequeno Príncipe

A reparação da extrofia de cloaca foi feita com a técnica de Kelley, considerada inovadora
04/08/2022

Cientistas estão desenvolvendo gel bucal para tratar mucosite

Principal reação adversa da quimioterapia, a mucosite oral causa intensa dor e pode ser porta de entrada para outras infecções
02/08/2022

Doenças raras é tema de mesa-redonda organizada pelo Pequeno Príncipe

A iniciativa fez parte da programação da 74.ª reunião anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC)
Ver mais