Riscos da automedicação em destaque no Dia Nacional do Uso Racional de Medicamentos - Hospital Pequeno Príncipe

Notícias

Riscos da automedicação em destaque no Dia Nacional do Uso Racional de Medicamentos

Quando não feito de maneira adequada, o uso dos fármacos pode levar à intoxicação, retardar o diagnóstico de outras doenças, causar dependências químicas e prejuízos mais sérios
05/05/2017

Usar racionalmente um medicamento significa utilizar os fármacos corretos, nas doses indicadas e pelo período necessário. Quando isso não é feito de maneira adequada, pode levar à intoxicação, retardar o diagnóstico de outras doenças, causar dependências químicas e prejuízos mais sérios. Por isso, neste Dia Nacional do Uso Racional de Medicamentos, lembrado em 5 de maio, o alerta é para a conscientização da sociedade sobre os riscos da automedicação e para a importância da assistência médica e farmacêutica.

No Hospital Pequeno Príncipe, em 2016, 31 crianças e adolescentes foram atendidos vítimas de intoxicação por medicamentos. Apenas neste ano, de janeiro a março, já foram identificados dez casos desse tipo. “É fundamental utilizar os fármacos apenas quando indicados pelo médico, na dose correta, respeitando o intervalo entre as medicações. Vale a pena lembrar também que nem sempre o remédio que é bom para uma pessoa fará o mesmo efeito na outra”, destaca a coordenadora do Setor de Farmácia da instituição, Julliana Bassani.

Fique atento à data de validade dos medicamentos

Ficar atento à validade dos medicamentos, cuidar com a semelhança das embalagens, guardá-las sempre em locais altos e fechados, e não armazenar os fármacos em cozinhas e banheiros, por conta da umidade, também são algumas dicas. “Outro cuidado essencial é não retirar os comprimidos utilizados com frequência das cartelas, pois eles podem perder a eficácia”, afirma a farmacêutica.

Descarte correto dos medicamentos
O Brasil é o 6.º mercado mundial em volume de medicamentos vendidos, de acordo com dados do Guia Interfarma 2014. Estima-se que, por ano, a população brasileira gere mais de 10 mil toneladas de resíduos de medicamentos, sejam eles vencidos ou que sobram de tratamentos.

Porém, muitos fármacos não são descartados de maneira adequada. “As pessoas jogam os remédios na pia, em terrenos ou lixos comuns. Isso pode ser um perigo para os indivíduos que encontrarem esses medicamentos e também gerar um problema ambiental enorme”, explica Julliana. Por isso, o ideal é procurar os pontos de coleta mais próximos para fazer o descarte correto. Confira onde podem ser entregues os medicamentos vencidos em Curitiba:
Em caminhões localizados próximos a terminais de ônibus
Em farmácias

+ Notícias

12/08/2022

Vacinação contra a COVID-19 é fundamental para proteção de crianças de 3 a 5 anos

Especialista do Pequeno Príncipe, maior hospital exclusivamente pediátrico do Brasil, reforça pontos positivos para os responsáveis que adotam essa medida de prevenção
10/08/2022

“Nosso meio ambiente”: pacientes do Projeto Integra participam de ação ambiental

A iniciativa, realizada na sede que abrigará o Pequeno Príncipe Norte, proporcionou a experiência de explorar o vasto universo do ecossistema presente no local
08/08/2022

Colesterol pode ser prevenido com consumo de alimentos saudáveis

O Hospital Pequeno Príncipe ressalta a importância da adoção de bons hábitos para melhor qualidade de vida desde a infância
05/08/2022

Cirurgia de correção de malformação rara é realizada no Pequeno Príncipe

A reparação da extrofia de cloaca foi feita com a técnica de Kelley, considerada inovadora
04/08/2022

Cientistas estão desenvolvendo gel bucal para tratar mucosite

Principal reação adversa da quimioterapia, a mucosite oral causa intensa dor e pode ser porta de entrada para outras infecções
02/08/2022

Doenças raras é tema de mesa-redonda organizada pelo Pequeno Príncipe

A iniciativa fez parte da programação da 74.ª reunião anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC)
Ver mais