Referência em transplantes pediátricos, Hospital Pequeno Príncipe celebra o Dia Nacional da Doação de Órgãos - Hospital Pequeno Príncipe

Notícias

Referência em transplantes pediátricos, Hospital Pequeno Príncipe celebra o Dia Nacional da Doação de Órgãos

A instituição realizou, em 2015, 21 procedimentos de alta complexidade, mas ainda há muitas crianças e adolescentes aguardando por uma cirurgia que pode modificar completamente suas vidas
27/09/2016

dia_doador_orgaosConsiderado um dos principais centros de transplante pediátrico do Paraná, o Hospital Pequeno Príncipe realizou, em 2015, 21 procedimentos de alta complexidade. Apesar dos excelentes resultados, a lista de espera por um órgão ainda é grande.

No Paraná, 26 crianças aguardam por um transplante. Por conta disso, neste 27 de setembro, Dia Nacional da Doação de Órgãos, o alerta ainda é para a conscientização. “O direito à vida é um princípio fundamental. Não é apenas papel do Estado garantir isso, mas de todos nós, como cidadãos que somos”, defende o Diretor de Assistência do Hospital Pequeno Príncipe, Donizetti Dimer Giamberardino Filho.

festa_transplantados_10_12_2014-223Superação
Maria Isabela de Castro, 10 anos, foi para a fila de espera prioritária, em 2014, para receber um novo coração. Isso depois de ser diagnosticada com uma dilatação no ventrículo esquerdo e sofrer um Acidente Vascular Cerebral (AVC).

Em menos de 15 dias, a garota conseguiu um doador compatível e foi submetida a um transplante de coração. A cirurgia foi um sucesso e, depois de três anos, a menina comemora as conquistas obtidas. “Eu me recuperei bem do meu transplante e os meus exames deram todos certos. Depois da cirurgia também pude aprender a andar de skate, esse era o meu sonho”, contou.

Histórias como a da Maria Isabela podem se repetir, como revelam dados divulgados recentemente pela Associação Brasileira de Transplante de Órgãos (ABTO).  A Região Sul apresentou um aumento no número de doadores efetivos de órgãos. O previsto para este ano era de 16 doadores por milhão de população (pmp), mas as taxas de Santa Catarina, Paraná e Rio Grande do Sul são superiores a 25 pmp.

apg_CIHDOTT2014_

CIHDOTT
O Hospital Pequeno Príncipe mantém a Comissão Intra-Hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplante (CIHDOTT). Formada por uma equipe multiprofissional, atua com o objetivo de tornar o processo de doação mais ágil, eficiente e de acordo com os parâmetros éticos e morais. A Comissão tem a responsabilidade de contatar a família do paciente com parada cardiorrespiratória evoluindo para óbito ou suspeita de morte cerebral, explicar como funciona a doação de órgãos para transplante, quais os benefícios que gera e como os familiares precisam proceder para autorizar.

dsc_0112Também promove atividades educativas voltadas aos profissionais do Pequeno Príncipe e comunidade. “Aproveitamos a data de 27 de setembro para sensibilizar crianças, adultos e idosos sobre a importância da doação de órgãos. Muitas pessoas ainda têm receio em falar sobre o assunto com os familiares, mas é um tema que precisa entrar nas rodas de conversa para facilitar a decisão, em um momento que vier a precisar”, pontua a coordenadora da CIHDOTT, enfermeira Karyme David.

+ Notícias

23/06/2022

Festas juninas pedem atenção redobrada com a alimentação das crianças

Pequeno Príncipe alerta que o consumo de doces e de comidas típicas pode prejudicar condições de saúde já existentes
21/06/2022

Asma: vacinas atuam na redução de doenças que afetam o sistema respiratório

A doença não possui um imunizante específico, mas existem outras vacinas que auxiliam nas síndromes respiratórias
17/06/2022

Corpus Christi: Pequeno Príncipe recebe bênção do Santíssimo Sacramento

A ação, realizada em carro aberto, fez parte da programação especial organizada pela Arquidiocese de Curitiba
14/06/2022

Doar sangue é um ato de amor ao próximo

Neste Dia Mundial do Doador de Sangue, o Pequeno Príncipe reforça a importância desse ato de solidariedade, que pode salvar até quatro vidas
13/06/2022

Albinismo é distúrbio raro que precisa de cuidado multidisciplinar

A condição é definida pela ausência ou diminuição importante na produção de melanina – pigmento que determina a cor da pele, dos olhos e do cabelo
12/06/2022

Cardiopatias congênitas: diagnóstico precoce é fundamental para tratamento assertivo

O conjunto de doenças pode ser descoberto ainda na gravidez, com o ecocardiograma fetal, ou nos primeiros dias após o nascimento, por meio do teste do coraçãozinho
Ver mais