Quando levar a criança ao dermatologista?

Notícias

Quando levar a criança ao dermatologista?

Hospital Pequeno Príncipe destaca quais são as doenças de pele mais comuns e os cuidados desde a infância
15/02/2024
Quando levar a criança ao dermatologista?
A dermatologista Nadia Almeida explica quando levar a criança ao dermatologista, doenças mais comuns e cuidados com a pele.

A saúde da pele precisa ser observada e cuidada desde o momento do nascimento. Isso é fundamental tanto para prevenir doenças como para detectar precocemente qualquer alteração. Afinal, a pele é uma barreira de proteção do corpo contra o meio externo. E alguns sinais exigem o encaminhamento ao dermatologista ainda bebê, pois certas doenças congênitas podem manifestar-se logo nos primeiros anos de vida.

A médica Nadia Almeida, responsável pelo Serviço de Dermatologia do Hospital Pequeno Príncipe, orienta que os pais fiquem atentos às alterações, como lesões extensas, com progressão ou formação de tumorações. “Geralmente um neonatologista ou pediatra já irá detectar essas reações e encaminhar para avaliação de um dermatologista”, diz. 

Doenças de pele mais comuns

  • Doenças congênitas: logo ao nascer, o hemangioma (tumor vascular benigno) é a doença de pele mais comum, seguida pelo nevo melanocítico, a tradicional pinta.
  • Doenças inflamatórias: na infância, a dermatite atópica (processo alérgico relacionado a fatores ambientais, genéticos e características da pele) geralmente está associada com histórico familiar. Já na adolescência, é comum a dermatite seborreica (manchas vermelhas e descamativas, como a caspa) e a acne, quando as glândulas sebáceas inflamam e provocam cravos ou espinhas.
  • Doenças infecciosas: as mais comuns são as piodermites (infecções causadas principalmente por bactérias) e a escabiose (doença altamente contagiosa provocada por um ácaro), conhecida como sarna humana.

Cuidados com a pele

Higienização adequada
É fundamental realizar uma limpeza cuidadosa, especialmente em áreas de dobras, como pescoço, axilas, região genital e pés. Além disso, evitar o uso excessivo de sabonetes e buchas para preservar a barreira natural da pele.

Hidratação diária
O uso de hidratantes é indispensável, pois algumas condições dermatológicas, como a coceira, estão relacionadas à pele seca. Incentivar o hábito de usar cremes desde a infância pode promover uma pele saudável ao longo da vida. Importante também escolher um creme que seja próprio para pele, seja ela seca, mista ou oleosa.

Proteção solar
No contexto de um país com clima tropical, o uso diário de protetor solar, de fator 30 a 50, é crucial para prevenir danos causados pela exposição solar em longo prazo. O uso de tecidos contra raios ultravioleta também é muito útil para todas as idades, especialmente em atividades ao ar livre. Além disso, vale ficar atento ao horário de exposição ao sol – sempre antes das 10h e após as 16h.

Não realize automedicação
Algumas medicações podem funcionar para uma pessoa e ser ineficientes para outras. Por isso, é preciso muita cautela. E, antes de usar qualquer produto, consultar um dermatologista para não haver o risco de agravar uma situação ou até desencadear uma outra doença por uma medicação indevida. 

Serviço de Dermatologia

O Serviço de Dermatologia do Hospital Pequeno Príncipe oferece atendimento a crianças e adolescentes por meio de consultas e participa do trabalho multiprofissional da instituição, com atendimento aos pacientes internados. Além disso, a especialidade médica atua no diagnóstico, prevenção e tratamento de doenças relacionadas à pele, como dermatite atópica, dermatite seborreica, doenças genéticas, micoses, verrugas, entre outras.

O Pequeno Príncipe é signatário do Pacto Global desde 2019. A iniciativa presente nesse conteúdo contribui para o alcance do Objetivo de Desenvolvimento Sustentável (ODS): Saúde e Bem-Estar (ODS 3).

Acompanhe os conteúdos também nas redes sociais do Pequeno Príncipe e fique por dentro de informações de qualidade – FacebookInstagramTwitterLinkedIn e YouTube.

+ Notícias

16/04/2024

COVID-19 e dengue são ameaças à saúde das crianças no Brasil

Primeiro trimestre de 2024 foi marcado pela elevação do número de casos e de mortes provocadas pelas duas doenças
11/04/2024

Renúncia fiscal transforma a vida de crianças e adolescentes

Destinação do Imposto de Renda contribui para a equidade no atendimento em saúde a pacientes vindos de todo o país
08/04/2024

Pronon e Pronas: Pequeno Príncipe contribui com consulta pública

Há dez anos, o Hospital elabora, executa e presta contas de projetos desenvolvidos dentro dos programas
07/04/2024

Dia Mundial da Saúde: “Minha Saúde, Meu Direito”

O Hospital Pequeno Príncipe desenvolve uma série de iniciativas em favor da proteção integral de meninos e meninas
02/04/2024

TDAH e autismo: quais são as semelhanças e diferenças?

A identificação da manifestação dos sintomas é crucial para o diagnóstico e tratamento adequados e individualizados
30/03/2024

Como ajudar a criança ou o adolescente com transtorno bipolar?

Por ser uma doença crônica, que não tem cura, o apoio dos pais, familiares e amigos é essencial
Ver mais