Programa Appam ganha brinquedoteca - Hospital Pequeno Príncipe

Notícias

Programa Appam ganha brinquedoteca

Inaugurada no dia 04 de dezembro, espaço oferecerá atividades recreativas para crianças e adolescentes em tratamento
05/12/2013

DSC_0005Crianças e adolescentes atendidos pelo Programa APPAM (Apoio, Proteção e Assistência às Crianças e Adolescentes com Mielomeningocele), do Hospital Pequeno Príncipe, ganharam uma brinquedoteca na última quarta-feira (dia 04). Graças ao trabalho de colaboradores da transportadora Ouro Verde, por meio do programa de voluntariado Juntos Somos Mais, as crianças terão um espaço próprio para as brincadeiras e atividades recreativas, enquanto aguardam as consultas e terapias. Após reforma e adequação da sala, foram instalados móveis adaptados e disponibilizados brinquedos, jogos e livros para as atividades. Tudo viabilizado pela empresa por meio do programa de voluntariado.

Vanessa da Cunha, coordenadora do Programa Juntos Somos Mais, conta que aproximadamente 70 colaboradores participam das ações de voluntariado da empresa. “Já está instituída na empresa essa questão do voluntariado. Todo ano os colaboradores ficam aguardando para participar dos projetos”. Segundo ela, a implantação da brinquedoteca vem a contribuir para um momento de lazer para as crianças e adolescentes atendidos. “É muito gratificante saber que estamos ajudando a fazer essas crianças mais felizes. E além disso contribuir com o desenvolvimento intelectual delas, por meio dos jogos e brinquedos”.

A APPAM
DSC_0041A Associação dos Pais e Amigos das Crianças Portadoras de Mielomeningocele foi uma instituição criada por pais, médicos, assistentes sociais e outras pessoas envolvidas com a Mielomeningocele, em 1992. Atualmente, após um período de transição, foi incorporada à Associação Dr. Raul Carneiro e hoje é um Programa do Pequeno Príncipe chamado: APPAM – Apoio, Proteção e Assistência às Crianças e Adolescentes com Mielomeningocele. No Paraná, a APPAM é uma referência já que fornece fisioterapia e hidroterapia além das atividades de orientação, acompanhamento e assistência.

Em 2012, foram quase 2000 atendimentos de fisioterapia e hidroterapia, entrega de mais de 500 cestas básicas, mais de 120 atendimentos sociais e mais de 45 mil materiais hospitalares entregues para apoio ao tratamento das crianças e adolescentes. Além disso, o Complexo ainda levará para a APPAM cursos como os de complementação de renda familiar, qualificação de adolescentes e voltados à obtenção do primeiro emprego.

Mielomeningocele
Trata-se de uma doença congênita que provoca má formação na coluna vertebral (espinha bífida). Esta é uma das mais graves anormalidades do tubo neural, podendo variar do tipo oculto até uma espinha aberta, o que causaria uma incapacidade neurológica grave ou até mesmo a morte. A mielomeningocele não tem cura, mas com alguns tratamentos específicos é possível ter uma melhor qualidade de vida para essas crianças.

+ Notícias

08/02/2023

Gravidez na adolescência: a prevenção começa com educação e diálogo

Um ambiente acolhedor e de confiança é fundamental para o desenvolvimento saudável de meninos e meninas  
07/02/2023

Nota de pesar pelo falecimento do pediatra Danilo Cerqueira Leite Junior

O médico, com mais de 50 de formação, atuou no Pequeno Príncipe e contribuiu com cuidados a milhares de crianças e adolescentes que passaram pelo Hospital nas últimas décadas
06/02/2023

ALTA COMPLEXIDADE | Serviço de Cirurgia Vascular

O Hospital Pequeno Príncipe tem equipe especializada no tratamento de doenças do sistema circulatório em crianças e adolescentes
03/02/2023

Gravidez na adolescência: quais são os riscos?

A gestação nessa fase, que compreende dos 10 aos 19 anos, gera uma série de consequências para a vida da mãe e do bebê
01/02/2023

Volta às aulas e a imunização de crianças e adolescentes

As medidas de higiene das mãos, etiqueta ao tossir e uso de máscara também auxiliam a evitar a disseminação de doenças
27/01/2023

Hanseníase: atenção aos sinais e sintomas auxilia diagnóstico

Neste Dia Mundial de Combate à Hanseníase, o Hospital Pequeno Príncipe reforça a importância de se buscar os serviços de saúde logo no aparecimento dos primeiros sinais e lembra que a doença tem cura
Ver mais