Primeiríssima Infância: o que é?

Notícias

    Da gestação aos 3 anos: conheça a Primeiríssima Infância

    É nesse período que as crianças precisam receber cuidados e estímulos adequados para o seu desenvolvimento pleno
    15/03/2024
    Primeiríssima Infância
    É na Primeiríssima Infância que o cérebro mais precisa de estímulos, uma vez que 90% das conexões cerebrais são estabelecidas até os 6 anos de idade.

    A Primeiríssima Infância abrange o período da gestação aos 3 anos de idade. É nessa fase que o cérebro do bebê passa por um crescimento acelerado, estabelecendo as bases para todas as habilidades futuras, desde as motoras até as competências sociais e emocionais.

    As condições adequadas de nutrição, cuidado, atenção, interação social e aprendizado na infância exercem impacto no crescimento pleno da criança. Além disso, esse conjunto de fatores influencia na trajetória e no potencial cognitivo ao longo da vida.

    A educadora Dreice Duarte, do Hospital Pequeno Príncipe, explica que o desenvolvimento infantil é como a construção de uma casa. “A Primeiríssima Infância é como a fundação e o chão da estrutura da casa. E, assim como algo mal construído, a falta de experiências adequadas na gestação até os 3 anos de idade pode afetar negativamente o desenvolvimento infantil”, enfatiza.

    O que a criança desenvolve na Primeiríssima Infância?

    • Desenvolvimento físico: faz parte o crescimento do corpo e do cérebro, o desenvolvimento das habilidades sensoriais e motoras, bem como a manutenção da saúde física.
    • Desenvolvimento cognitivo: constituído pelas mudanças e estabilidades nas capacidades mentais, como aprendizagem, memória, linguagem, pensamento e criatividade.
    • Desenvolvimento psicossocial: compreende a manifestação da personalidade, do desenvolvimento relacional e da integração social.

    Nesse período, é essencial reconhecer a importância de aspectos como atenção, cuidado, afeto, socialização e estabelecimento de rotinas. Além disso, buscar cultivar um ambiente de cuidado responsivo, amoroso e estimulante, que proteja e eduque.

    Primeiríssima Infância
    É na Primeiríssima Infância que o cérebro do bebê passa por um crescimento acelerado, estabelecendo as bases para todas as habilidades.

    Os cinco sentidos do bebê

    É na Primeiríssima Infância que o cérebro mais precisa de estímulos, uma vez que 90% das conexões cerebrais são estabelecidas até os 6 anos de idade. “O cérebro, junto dos órgãos que compõem os sentidos [tato, olfato, paladar, audição e visão], coleta informação por meio de estímulos vindos do ambiente. Falar com o bebê, por exemplo, estimula que ele se aproxime da linguagem oral e comece a se expressar por meio de palavras”, esclarece a educadora.

    – Tato: é um importante meio de comunicação e formação do vínculo entre a criança e os pais. É por meio dele que o bebê tenta entender as formas e texturas em sua volta. Para estimular esse sentido na criança é essencial o toque pele a pele, o abraço, o carinho e suaves massagens. Além de fortalecer o vínculo e acalmar, o toque ajuda a criança a descobrir mais sobre si mesma e sobre o outro.

    Olfato: é especialmente importante no começo da vida. O olfato proporciona ao bebê suas primeiras percepções das pessoas e ambientes ao seu redor, além de ser uma poderosa fonte de estimulação sensorial. Por isso, é essencial tomar cuidado com cheiros artificiais ou muito fortes, como perfumes e produtos de limpeza.

    – Paladar: mesmo antes de nascer, o bebê já consegue sentir diferentes sabores no líquido que o envolve. Até o sexto mês após o nascimento, o leite materno é o alimento indicado para o bebê. No momento da introdução de alimentos com a orientação de um pediatra de confiança, o paladar deve ser estimulado.

    – Audição: a partir da 21.ª semana de gestação, o feto consegue ouvir o coração e a voz da mãe, bem como os sons do ambiente externo. Ao nascer, o bebê ouve perfeitamente, mas não sabe identificar todos os tipos de sons. O bom desenvolvimento da audição vai depender fundamentalmente das experiências auditivas dele. Por isso, conversas, canções e leituras são sempre bem-vindas.

    – Visão: o último sentido a ser desenvolvido. Ao nascer, o bebê não enxerga bem e vê tudo um pouco embaçado, porém reconhece e demonstra preferência pelo rosto humano. É somente entre o primeiro e o segundo ano de vida que a criança terá a visão parecida com a de um adulto. Para estimular a visão, é indicado o uso de objetos variados em cores contrastantes, como móbiles.

    Programa Primeiríssima Infância

    O objetivo do Programa Primeiríssima Infância do Hospital Pequeno Príncipe é empoderar os cuidadores, durante o tempo de internamento, por meio do compartilhamento de informações e reflexões sobre temas relacionados ao desenvolvimento infantil. Essa troca de informações com os pais ou responsáveis acontece mediante rodas d e conversas, diversas oficinas, como as de musicalização, e ainda com relaxamento, brinquedos e brincadeiras, shantala e leitura.

    • Confira, na playlist a seguir, mais informações sobre a Primeiríssima Infância:

    O Pequeno Príncipe é signatário do Pacto Global desde 2019. A iniciativa presente nesse conteúdo contribui para o alcance do Objetivo de Desenvolvimento Sustentável (ODS): Saúde e Bem-Estar (ODS 3).

    Acompanhe os conteúdos também nas redes sociais do Pequeno Príncipe e fique por dentro de informações de qualidade – FacebookInstagramTwitterLinkedIn e YouTube.

     

    + Notícias

    16/04/2024

    COVID-19 e dengue são ameaças à saúde das crianças no Brasil

    Primeiro trimestre de 2024 foi marcado pela elevação do número de casos e de mortes provocadas pelas duas doenças
    11/04/2024

    Renúncia fiscal transforma a vida de crianças e adolescentes

    Destinação do Imposto de Renda contribui para a equidade no atendimento em saúde a pacientes vindos de todo o país
    08/04/2024

    Pronon e Pronas: Pequeno Príncipe contribui com consulta pública

    Há dez anos, o Hospital elabora, executa e presta contas de projetos desenvolvidos dentro dos programas
    07/04/2024

    Dia Mundial da Saúde: “Minha Saúde, Meu Direito”

    O Hospital Pequeno Príncipe desenvolve uma série de iniciativas em favor da proteção integral de meninos e meninas
    02/04/2024

    TDAH e autismo: quais são as semelhanças e diferenças?

    A identificação da manifestação dos sintomas é crucial para o diagnóstico e tratamento adequados e individualizados
    30/03/2024

    Como ajudar a criança ou o adolescente com transtorno bipolar?

    Por ser uma doença crônica, que não tem cura, o apoio dos pais, familiares e amigos é essencial
    Ver mais