Pequeno Príncipe recebe Prêmio ODM Brasil - Hospital Pequeno Príncipe

Notícias

Pequeno Príncipe recebe Prêmio ODM Brasil

Atividades desenvolvidas no Setor de Educação e Cultura levaram ao reconhecimento nacional
23/05/2014

O Hospital Pequeno Príncipe recebeu nesta sexta-feira, dia 23, o Prêmio ODM Brasil, por estar entre as principais instituições brasileiras que trabalham em prol do cumprimento dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio, estabelecidos pela Organização das Nações Unidas (ONU) em 2000.

A cerimônia contou com a presença da presidente Dilma Rousseff e foi realizada no Centro Internacional de Convenções do Brasil (CICB), em Brasília. O Complexo Pequeno Príncipe foi representado pelo seu diretor-corporativo, José Álvaro Carneiro; pela assessora de diretoria, Thelma Alves de Oliveira; e pelo coordenador do Setor de Educação e Cultura do Hospital (Educ), Claudio Teixeira.

O prêmio é um reconhecimento ao trabalho desenvolvido pelo Educ com as crianças e adolescentes em tratamento no Hospital. Na entrega, além de ter participado de uma mostra com as outras 29 iniciativas premiadas, o Setor de Educação e Cultura foi apresentado ao público presente.

Para José Álvaro Carneiro, a conquista é extremamente gratificante. “Receber este prêmio num período em que estamos com a capacidade de atendimento 100% tomada, apenas reforça a importância desta instituição na vida das nossas crianças e adolescentes. É um orgulho especial para todos nós. O grande vencedor são as crianças e seus familiares, porque são eles que nos motivam”, afirmou.

A quinta edição do prêmio recebeu 1.090 inscrições. Desse total, 65 projetos foram selecionados, e as instituições responsáveis por eles receberam a visita de representantes do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) e da Escola Nacional de Administração Pública (ENAP), encarregados da coordenação técnica. No processo de avaliação foram observados vários critérios, como o caráter inovador, possibilidade de tornar-se referência, perspectiva de continuidade, integração com outras políticas, e participação da comunidade.

A Região Sul do Brasil se destacou, com 11 iniciativas entre as finalistas. Dessas, ao lado do Setor de Educação e Cultura do Hospital Pequeno Príncipe, também venceram: o Projeto de Atendimento à Criança e ao Adolescente – PACA, da Associação Fênix, de Curitiba, e o Projeto Crescer Conversando com Adolescentes, realizado pela Secretaria de Estado da Justiça, Cidadania e Direitos Humanos na Penitenciária Estadual de Maringá.

odm2Sobre o Setor de Educação e Cultura
O Setor de Educação e Cultura do Hospital Pequeno Príncipe desenvolve atividades educativas e culturais voltadas às crianças e aos adolescentes hospitalizados. Elas são aliadas aos serviços médico-hospitalares, que são referência em todo o Brasil. As atividades educacionais garantem a continuidade do estudo durante o período de internação e facilitam o retorno à escola de origem. Acrescidas de música, teatro, oficinas de artes, e outras expressões artísticas, proporcionam um ambiente culturalmente estimulante aos meninos e às meninas em tratamento, promovendo o aprendizado e contribuindo para o bem-estar dos pacientes.

+ Notícias

16/04/2024

COVID-19 e dengue são ameaças à saúde das crianças no Brasil

Primeiro trimestre de 2024 foi marcado pela elevação do número de casos e de mortes provocadas pelas duas doenças
11/04/2024

Renúncia fiscal transforma a vida de crianças e adolescentes

Destinação do Imposto de Renda contribui para a equidade no atendimento em saúde a pacientes vindos de todo o país
08/04/2024

Pronon e Pronas: Pequeno Príncipe contribui com consulta pública

Há dez anos, o Hospital elabora, executa e presta contas de projetos desenvolvidos dentro dos programas
07/04/2024

Dia Mundial da Saúde: “Minha Saúde, Meu Direito”

O Hospital Pequeno Príncipe desenvolve uma série de iniciativas em favor da proteção integral de meninos e meninas
02/04/2024

TDAH e autismo: quais são as semelhanças e diferenças?

A identificação da manifestação dos sintomas é crucial para o diagnóstico e tratamento adequados e individualizados
30/03/2024

Como ajudar a criança ou o adolescente com transtorno bipolar?

Por ser uma doença crônica, que não tem cura, o apoio dos pais, familiares e amigos é essencial
Ver mais