Pequeno Príncipe recebe novos participantes dos programas de Residência Médica e dos Cursos de Especialidades em Doenças da Criança e do Adolescente - Hospital Pequeno Príncipe

Notícias

Pequeno Príncipe recebe novos participantes dos programas de Residência Médica e dos Cursos de Especialidades em Doenças da Criança e do Adolescente

A instituição, reconhecida como Hospital de Ensino pelo MEC, já formou mais de 2 mil médicos em diferentes áreas
27/02/2020
O diretor técnico do Hospital Pequeno Príncipe, o médico Donizetti Giamberardino Filho, dá as boas-vindas aos profissionais que farão parte dos programas de Residência Médica e dos Cursos de Especialidades em Doenças da Criança e do Adolescente.

Reconhecido como Hospital de Ensino pelo MEC, desde os anos de 1970, o Pequeno Príncipe recebeu, no dia 26 de fevereiro, os médicos aprovados para participar dos programas de Residência Médica e dos Cursos de Especialidades em Doenças da Criança e do Adolescente. Mais de dois mil médicos pediatras, anestesistas, ortopedistas, cardiologistas, cancerologistas e cirurgiões pediátricos de todo o Brasil já complementaram sua formação e especialização na instituição.

O diretor técnico do Hospital Pequeno Príncipe, o médico Donizetti Giamberardino Filho, destacou características marcantes da instituição centenária. “Estamos sempre de portas abertas, prontos para ajudar. Faz parte da nossa cultura e nos destacamos por ter quase todas as especialidades médicas em prol da saúde infantojuvenil. Os nossos programas de residência começaram em 1972 e eu tenho certeza que esta casa é um ambiente muito acolhedor. Os nossos pacientes são o nosso valor principal e, nesses anos que vocês estarão aqui, esperamos manter nossos valores de amor à criança e ajuda ao próximo e de sempre estar disposto a ajudar alguém. Nosso trabalho é difícil, mas é recompensador”, comentou.

A diretora executiva do Hospital Pequeno Príncipe, Ety Cristina Forte Carneiro, enfatizou as emoções que farão parte da rotina na instituição.

Como forma de incentivo, a diretora executiva do Hospital, Ety Cristina Forte Carneiro, destacou que a vida dos profissionais de Medicina será movida por muitas emoções. “Desejo profundamente que isso aconteça. Aqui no Pequeno Príncipe, vocês vão perceber a importância de trabalhar em equipe e vão viver momentos complexos, de decisões delicadas e até alguns momentos de perda, mas também de cura e até de milagres”, enfatizou.

Para o diretor corporativo do Complexo Pequeno Príncipe, José Álvaro da Silva Carneiro, o Hospital é – antes de tudo – um ambiente acolhedor. “As pessoas não apenas se preocupam com que vocês aprendam, mas também com que desenvolvam valores, principalmente quando lidamos com questões de saúde”, completou.

O diretor corporativo do Complexo Pequeno Príncipe, José Álvaro da Silva Carneiro, também participou do evento de boas-vindas aos profissionais.

+ Notícias

23/05/2022

Voluntários do Pequeno Príncipe retornam às atividades presenciais

A retomada foi possível com todos os cuidados que o momento de pandemia do coronavírus ainda exige
19/05/2022

Representantes do CEDCA visitam o Centro de Reabilitação e Convivência Pequeno Príncipe

A unidade, que foi reestruturada, atende a diferentes tipos de deficiências de forma integral e humanizada
18/05/2022

Em um ano, Hospital atende mais de 600 crianças e adolescentes vítimas de violência

Em comparação com o ano anterior, o aumento de casos foi de 11%; mais da metade das ocorrências aconteceu na residência da própria criança
17/05/2022

Pequeno Príncipe inicia campanha televisiva para captação de recursos

A iniciativa busca dar mais visibilidade para a causa da saúde infantojuvenil, além de contribuir para a sustentabilidade econômico-financeira da instituição
16/05/2022

Atualização do calendário vacinal pode prevenir casos de SRAG no público infantojuvenil

Diversas doenças respiratórias podem evoluir para a síndrome aguda grave. O Pequeno Príncipe alerta que as medidas de prevenção, como a imunização, precisam ser mantidas
15/05/2022

Sintomas da mucopolissacaridose aparecem na primeira infância

A doença rara é genética e neurodegenerativa, que evolui com sintomas multissistêmicos
Ver mais