Pequeno Príncipe recebe especialista de Madrid para uma troca de experiências com seus profissionais - Hospital Pequeno Príncipe

Notícias

Pequeno Príncipe recebe especialista de Madrid para uma troca de experiências com seus profissionais

O tema do encontro foi o uso da toxina botulínica para o tratamento de crianças espásticas
14/08/2015

Dr_Samuel_Pascual_Pascual (1)O Hospital Pequeno Príncipe foi escolhido pelo grupo farmacêutico IPSEN para uma troca de experiências sobre práticas internacionais em reabilitação neuropediátrica, com o especialista espanhol Samuel Ignácio Pascual-Pascual. No Brasil, mais quatro instituições foram selecionadas para o encontro, em Minas Gerais, São Paulo, Rio de Janeiro e Goiás.

Em Curitiba, o evento ocorreu nesta quinta-feira, dia 13, e reuniu profissionais da instituição, de Santa Catarina e do Rio Grande do Sul. Durante o encontro, foram apresentados aos participantes os mais novos estudos clínicos com o uso do medicamento Dysport® (toxina botulínica A).

Dr_Luiz_Antonio_Munhoz_da_Cunha_Dr (3)
Luiz Antonio Munhoz da Cunha, Samuel Ignácio Pascual-Pascual e Donizetti Dimer Giamberardino Filho

De acordo com o palestrante, a novidade está no tratamento de crianças com paralisia cerebral. “A toxina bloqueia a ordem de movimento do músculo de três a cinco meses. Nos casos de paralisia cerebral, ela faz com que os rostos dos pacientes deformem em menor proporção”, contou Pascual.

Dr_Donizetti (16)Uso da toxina botulínica no HPP
No Hospital Pequeno Príncipe, a toxina botulínica já é utilizada há aproximadamente 15 anos, e tem contribuído para a melhora de pacientes espásticos – que apresentam contrações musculares involuntárias. “Essa toxina relaxa o músculo e com isso, diminui a sua ação. O objetivo da técnica é melhorar a função motora dos pacientes em longo prazo”, explicou o ortopedista do Hospital, Edilson Forlin.

De acordo com o especialista, o medicamento é indicado para crianças mais novas, na faixa dos dois anos. “Ele é utilizado quando as contrações ainda estão em fase inicial, pois com o passar do tempo, o músculo vai encurtando. A toxina relaxa, mas não tem o poder de alongar o músculo”, relatou Forlin.

+ Notícias

01/03/2024

Pequeno Príncipe celebra a formatura de 75 residentes

A entrega dos certificados de conclusão dos programas de residência e especialização médica reuniu 350 convidados em uma noite de comemoração
29/02/2024

Doenças raras: diagnóstico precoce é decisivo para qualidade de vida

Quando descobertas de maneira rápida, as doenças podem ser controladas com medicamentos; e algumas, curadas por meio de transplantes
28/02/2024

Prêmio Mais Saúde TOPVIEW homenageia Pequeno Príncipe

A instituição foi reconhecida em duas categorias: Melhor Hospital Filantrópico e Melhor Clínica de Pediatria
22/02/2024

O que é e como identificar o transtorno de personalidade borderline?

Conheça os sintomas, as causas e a importância da psicoterapia como forma de tratamento
20/02/2024

Crianças podem ter uma dieta vegetariana?

A prática é adequada em qualquer fase da vida, mas é preciso garantir o consumo de todos os nutrientes necessários para o desenvolvimento infantil
15/02/2024

Quando levar a criança ao dermatologista?

Hospital Pequeno Príncipe destaca quais são as doenças de pele mais comuns e os cuidados desde a infância
Ver mais