Pequeno Príncipe presta contas para apoiadores paranaenses - Complexo Pequeno Príncipe

Complexo, Hospital, Instituto de Pesquisa

Pequeno Príncipe presta contas para apoiadores paranaenses

Mais de 40 empresas foram representadas no evento realizado nesta sexta-feira em Curitiba, que mostrou como estão sendo aplicados os recursos que são repassados ao Complexo

DSC_0026Apresentar os resultados dos investimentos feitos por apoiadores é uma ação pioneira do Complexo Pequeno Príncipe, que preza pela transparência nos seus trabalhos. Nesta sexta-feira, dia 11, a instituição reuniu investidores para um café da manhã de prestação de contas no Pestana Curitiba Hotel. Ao todo, 54 pessoas participaram do evento, representando mais de 40 empresas.

“Nós agradecemos a parceria de todos, que vivem um sonho que sonhamos juntos”, afirmou a diretora-executiva do Hospital Pequeno Príncipe, Ety Cristina Forte Carneiro, no início do evento. “A contribuição continuada é importante, pois as melhorias no Complexo são constantes e os resultados chegam para a toda a comunidade”, completou.

Ety lembrou que os investimentos resultam em melhor estrutura, novos e modernos materiais e equipamentos, e novidades em métodos de diagnóstico que levam à descoberta precoce de doenças e à sua cura, por exemplo. “É um trabalho que exige tempo e ousadia. Mas vocês estão ajudando a construir essa história e participando do processo de transformação do Pequeno Príncipe”, ressaltou.

A diretora-executiva salientou as mudanças que ocorreram no Hospital nos últimos anos graças a essas contribuições e que ajudam a oferecer o melhor da medicina para pacientes de todo o Brasil que são atendidos pela instituição. Entre as melhorias estão a construção de quatro novos andares no Pequeno Príncipe; a aquisição de aparelhos de diagnóstico; a estruturação do Setor de Oncologia, Hematologia e Transplante de Medula Óssea (OHTMO), e os trabalhos do Setor de Educação e Cultura (Educ) e do Instituto de Pesquisa Pelé Pequeno Príncipe.

Ajuda fundamental
Após o evento, apoiadores do Complexo destacaram os motivos que os levam a investir na saúde infantojuvenil. “A causa do Pequeno Príncipe é muito nobre. A gente reconhece a importância do Hospital, da sua atuação e de todo o trabalho que é desenvolvido não somente pela instituição como pela unidade de pesquisa da organização. Para nós é extremamente gratificante poder contribuir via leis de incentivo ou com patrocínio direto”, disse a analista de responsabilidade social da Mondelez International, Lilian de Jesus.

O diretor-geral da Propósito – empresa de executive search, consultoria e equilíbrio entre trabalho e estresse – e presidente do LIDE Paraná – grupo de líderes empresariais –, André Caldeira, relatou a forma que definiu para ajudar a instituição. “A maneira que encontrei para talvez fazer uma diferença mais significativa foi ajudar na capacitação e conscientização sobre a importância da causa que o Pequeno Príncipe representa, colocando-me pessoalmente à disposição no processo de treinamento das equipes que fazem os projetos de capacitação. Sempre digo a eles: tem que usar e abusar do que eu puder fazer pelo Hospital”, contou.

Já o advogado José Francisco Machado de Oliveira auxilia o Hospital como pessoa física desde o ano passado. “Comecei a contribuir por causa do benefício legal. As pessoas devem aproveitar esse incentivo fiscal e direcionar parte do tributo para instituições sérias, que têm projetos magníficos que possibilitam uma melhoria de vida a crianças e adolescentes. É um exercício de cidadania e é importante que todos multipliquem esse conhecimento da lei e que, dentro da possibilidade de cada um, ajudem o Pequeno Príncipe, que é uma instituição muito séria e que tem um relevante sentido social”, finalizou.

Apoio
O evento contou com o apoio da Agapanthus Floricultura e da Classic Som & Imagem.

Como contribuir com o Pequeno Príncipe

Existem várias maneiras de ajudar os projetos do Complexo Pequeno Príncipe. Uma delas é a doação, seja pontual ou contínua. Também é possível contribuir via Rede do Bem – na qual colaboradores de empresas fazem doações mensais que são debitadas na folha de pagamento – e Programa Gols pela Vida e suas ações, como a Copa Gastronômica.Cidadãos e empresas podem, ainda, investir nos programas da instituição por meio de renúncia fiscal. Pessoas físicas, por exemplo, ainda podem ajudar neste ano se declararem por formulário completo. Pode-se doar até 3% do tributo devido – retido na fonte ou a pagar – ao Fundo para a Infância e Adolescência (FIA). A data limite para a doação é 30 de abril.

Já as pessoas jurídicas que declaram pelo lucro real podem destinar até 1% ao FIA. Além disso, é possível reverter mais 1% para o Programa Nacional de Apoio à Atenção Oncológica (Pronon) e 1% para o Programa Nacional de Apoio à Atenção da Saúde da Pessoa com Deficiência (Pronas/PCD), por exemplo. Projetos culturais são financiados via Lei Rouanet de Incentivo à Cultura.

+ Notícias

Faça sua doação