Pequeno Príncipe conta com ambulatório para acompanhamento cardiológico de pacientes pós-COVID-19 - Hospital Pequeno Príncipe

Notícias

Pequeno Príncipe conta com ambulatório para acompanhamento cardiológico de pacientes pós-COVID-19

O objetivo é ampliar o atendimento para outras especialidades, evitando a mortalidade de crianças e adolescentes provocada por complicações trazidas pelo coronavírus a médio e longo prazo
19/08/2021

No Hospital Pequeno Príncipe, metade das crianças e dos adolescentes internados com COVID-19 apresentaram alterações cardiovasculares. Isso motivou a criação de um ambulatório de acompanhamento cardiológico. A infecção pelo coronavírus é extremamente desafiadora para a medicina. Além da fase aguda, que leva os pacientes a necessitarem de internação, os médicos já sabem que uma porcentagem significativa desses pacientes desenvolve sequelas que afetam órgãos como o coração, os rins, os pulmões, o fígado e o cérebro. Nesses casos, fazer a identificação precoce do comprometimento de qualquer um desses órgãos faz a diferença na vida do paciente.

Segundo a médica eletrofisiologista e cardiologista pediátrica responsável pelo projeto, Lânia Fátima Romanzin Xavier, ainda na fase aguda os pacientes são submetidos a exames de sangue, eletrocardiograma, holter e ecocardiograma. Conforme o resultado desses exames, é possível descobrir o acometimento do coração pelo vírus e, consequentemente, otimizar a terapia ainda na fase aguda. Na sequência, o paciente é encaminhado para o seguimento ambulatorial. De acordo com a médica, é importante que seja realizada essa investigação ampliada na fase aguda da infecção pelo coronavírus, com o intuito de documentar o envolvimento de órgãos-alvos, direcionando o seguimento necessário pós-COVID-19.

“No ambulatório de cardiologia, nós avaliamos vários pontos”, explica Lânia. O primeiro é que os pacientes podem desenvolver uma alteração cardíaca chamada de miocardiopatia dilatada, que é decorrente de um processo inflamatório que acomete o músculo do coração na fase aguda da COVID-19. Neste caso, o coração pode evoluir para insuficiência cardíaca. O tratamento direcionado e o seguimento clínico especializado são fundamentais no prognóstico desses pacientes. O segundo ponto é descobrir o grau de envolvimento cardíaco para orientar a necessidade de intervenções terapêuticas precoces. Isso porque alguns pacientes são completamente assintomáticos do ponto de vista cardíaco, mas, a médio e longo prazo, a inflamação que afetou o músculo do coração na fase aguda pode ocasionar uma cicatriz e ser o foco de uma arritmia cardíaca no período tardio. Já há relatos na literatura de situações como essa em adultos.

Esta avaliação cardiológica também determina se o paciente está apto a voltar às suas atividades físicas de forma normal, pois a criança tem uma atividade física tão intensa que muitas vezes se compara a de um atleta. “Estamos em uma constante curva de aprendizado na COVID-19, e que a luz da sabedoria nos oriente para fazermos o melhor por nossos pacientes”, enfatiza a médica.

+ Notícias

13/07/2024

ECA: ampliação de leis fortalece proteção contra violência

Entre as atualizações, está a inclusão de bullying e cyberbullying no Código Penal. Neste Dia do ECA, o Hospital Pequeno Príncipe chama a atenção para dados alarmantes destes tipos de violências
10/07/2024

Por que é importante não reprimir o choro?

Hospital Pequeno Príncipe dá dicas de como criar um ambiente seguro e acolhedor para crianças e adolescentes expressarem as emoções
09/07/2024

Sessão de cinema diverte pacientes da hemodiálise

Crianças e adolescentes atendidos no Hospital Pequeno Príncipe saíram do espaço com o coração aquecido e memórias inesquecíveis
08/07/2024

Nota de solidariedade ao hospital pediátrico bombardeado em Kiev

Pequeno Príncipe manifesta a dor pela violência cometida contra pessoas inocentes, dentre elas crianças doentes e hospitalizadas
04/07/2024

Tratamento de efluentes: Hospital e Sanepar assinam parceria

Iniciativa pioneira no país vai testar diferentes maneiras de reduzir antibióticos e combater o surgimento de superbactérias no esgoto hospitalar
03/07/2024

Como o celular e as redes sociais afetam os adolescentes?

Hospital Pequeno Príncipe dá dicas sobre como promover a utilização equilibrada e responsável dessas tecnologias
Ver mais