Pelé: neste 23 de outubro, meu amigo Edson faria 83 anos

Notícias

Neste 23 de outubro, meu amigo Edson = Pelé faria 83 anos

O Pequeno Príncipe, por meio de uma carta escrita pelo diretor-corporativo José Álvaro da Silva Carneiro, presta uma homenagem ao Rei do Futebol e padrinho do Instituto de Pesquisa Pelé Pequeno Príncipe
23/10/2023
Pelé
Com Pelé no time, o Pequeno Príncipe marcou um bonito gol 1284 em prol de milhares de crianças e adolescentes.

Durante 17 anos, ele compartilhou momentos muito especiais com todos aqui no Pequeno Príncipe. Por conta do amigo Nilson (que junto com ele, em outra dimensão, está curtindo saborosas passagens que tiveram juntos) e da neurocientista Mara Cordeiro, sentimo-nos encorajados a criar o Instituto de Pesquisa – e, com ele, obtivemos múltiplas vitórias, as quais – todos juntos – oferecemos às crianças do Brasil. Com a inauguração do Instituto de Pesquisa Pelé Pequeno Príncipe, nos tornamos o primeiro “Children’s” do Brasil, termo conhecido no Hemisfério Norte para designar as organizações que atuam na assistência, ensino e pesquisa em pediatria.

Entre os casos em que nos envolvemos, destaco a primeira triagem genética que fizemos, avaliando mais que 170.000 bebês nascidos vivos aqui no Paraná. Por meio de uma gota extra de sangue do teste do pezinho, procuramos detectar uma mutação genética indicativa da possibilidade de desenvolvimento do câncer de córtex adrenal, patologia prevalente na pediatria. As crianças com a mutação passaram a ser monitoradas, e aquelas que desenvolvessem o tumor viriam para sua remoção em nosso Centro Cirúrgico.

A ideia era comprovar, via diagnóstico precoce, a cura, pois se retirado o tumor a doença não volta. Depois de bastante tempo, uma primeira criança tem o tumor detectado, chega ao Hospital, e o procedimento é realizado com sucesso. O longo processo, conduzido pelo nosso diretor científico, Bonald Figueiredo, que há muitos anos mergulhou na pesquisa do TCA, não apenas comprovou a eficácia do diagnóstico precoce como tangibilizou no rosto de uma criança o sucesso dos avanços da ciência. Jamais me esquecerei da emoção que senti ao saber que ela se chamava Maria Eduarda. Foi a primeira vez que acompanhei um trabalho de aprofundamento científico, que se desenvolveu até plena comprovação e materialização do salvamento de uma primeira vida, além da transbordante felicidade da família. Depois dela, já foram muitas crianças.

Pelé
O legado social será marcado em 19 de novembro, data do milésimo gol, como “Dia do Rei Pelé”.

Sou grato ao Pelé pelo estímulo à nossa inteligência emocional que esta vitória nos trouxe. Como diria o amigo irlandês Don Mullan, com ele no time fizemos um bonito gol 1284. Para além da ciência, ter o Pelé no time nos trouxe visibilidade e, com isso, a coragem de promover captação de recursos em eventos muito especiais no Brasil e exterior. Neste ano, fomos demandados quanto ao futuro e a como honrar o legado social de Edson = Pelé.

Continuar nossos trabalhos em alto nível é o primeiro ponto, depois, uma lembrança óbvia: o “Rei” é insubstituível. Valorizar a relação dele conosco tem nexo direto com os cuidados que dispensamos às crianças num volume e nível que honra a dimensão da inspiração representada por ele. Essa condição nos remete ao milésimo gol e sua dedicatória às crianças, bem como ao pedido que ele fez para que delas cuidássemos.

Expressamos tudo isso para nossas autoridades, pois entendemos que o legado social do Pelé está aqui em Curitiba e com os trabalhos do Complexo Pequeno Príncipe. A partir disso, nossa Câmara de Vereadores, nosso prefeito, nossa Assembleia Legislativa e nosso governador instituíram o dia 19 de novembro, data do milésimo gol, como o “Dia do Rei Pelé”. Assim, teremos todos a oportunidade de celebrar, seja o atleta seja a pessoa, em sua amorosidade com as crianças de Curitiba, Paraná, Brasil e mundo.

Na comemoração de hoje vai um muito obrigado especial pelo apoio sempre recebido da família Nascimento, notadamente de Dona Celeste e da Flávia que sempre nos prestigiaram. Onde estiverem, meus amigos Pelé e Nilson, sei que estão torcendo para que todos os “pequenos” deste mundão possam crescer, brincar, desenvolver-se, ter acesso à saúde e à educação, e assim poder transformar este planeta – hoje tão atrapalhado – em um ambiente mais bem orientado pelo amor ao próximo e à natureza.

José Álvaro da Silva Carneiro
Diretor-corporativo do Complexo Pequeno Príncipe

Acompanhe os conteúdos também nas redes sociais do Pequeno Príncipe e fique por dentro de informações de qualidade – FacebookInstagramTwitterLinkedIn e YouTube.

+ Notícias

16/04/2024

COVID-19 e dengue são ameaças à saúde das crianças no Brasil

Primeiro trimestre de 2024 foi marcado pela elevação do número de casos e de mortes provocadas pelas duas doenças
11/04/2024

Renúncia fiscal transforma a vida de crianças e adolescentes

Destinação do Imposto de Renda contribui para a equidade no atendimento em saúde a pacientes vindos de todo o país
08/04/2024

Pronon e Pronas: Pequeno Príncipe contribui com consulta pública

Há dez anos, o Hospital elabora, executa e presta contas de projetos desenvolvidos dentro dos programas
07/04/2024

Dia Mundial da Saúde: “Minha Saúde, Meu Direito”

O Hospital Pequeno Príncipe desenvolve uma série de iniciativas em favor da proteção integral de meninos e meninas
02/04/2024

TDAH e autismo: quais são as semelhanças e diferenças?

A identificação da manifestação dos sintomas é crucial para o diagnóstico e tratamento adequados e individualizados
30/03/2024

Como ajudar a criança ou o adolescente com transtorno bipolar?

Por ser uma doença crônica, que não tem cura, o apoio dos pais, familiares e amigos é essencial
Ver mais