Patologia no transplante hepático é tema do Pequeno Príncipe Conhecimento - Hospital Pequeno Príncipe

Notícias

Patologia no transplante hepático é tema do Pequeno Príncipe Conhecimento

A aula abordou casos reais com o objetivo de orientar sobre as melhores práticas em pacientes pediátricos
18/08/2021
O Pequeno Príncipe é referência no atendimento de média e alta complexidade

 

O transplante de fígado é considerado um dos procedimentos mais complexos da cirurgia moderna, pois interfere em diversas funções do organismo. E para falar sobre este tema, o Pequeno Príncipe promoveu uma aula sobre as patologias nesse tipo de procedimento complexo. O encontro, que faz parte do projeto Pequeno Príncipe Conhecimento, foi conduzido pela patologista Ana Paula Percicote, que abordou vivências em casos pediátricos para os participantes, além de esclarecer dúvidas.

Durante o encontro on-line, a médica apresentou algumas situações, a partir de casos reais, como a patologia dos espécimes hepáticos e obstrução de artéria hepática a fim de instruir os profissionais sobre as melhores práticas para o dia a dia. “É importante sempre visar a segurança do paciente. As complicações mais comuns do transplante podem ocorrer em até dois meses após a cirurgia, como a formação de cicatrizes e estreitamento dos canais biliares”, explica a patologista.

Geralmente, as enfermidades que afetam o fígado na faixa etária pediátrica têm origem em doenças genéticas, metabólicas e infecciosas. Por isso, o transplante de fígado é indicado em todas as crianças com doença hepática com deterioração progressiva das condições de saúde, antes do aparecimento de complicações que determinem risco excessivo com o procedimento.

Na foto, parte da equipe que realizou a cirurgia de retomada do Serviço de Transplante Hepático no Pequeno Príncipe, em 2020

Hepatologia no Pequeno Príncipe
O Serviço de Hepatologia do Hospital tem o intuito de diagnosticar e tratar as doenças hepáticas, para que não haja maior prejuízo no desenvolvimento das crianças afetadas. O diagnóstico precoce também é muito importante para que se possa evitar – em muitos casos é possível – a evolução para cirrose e/ou falência hepática.

Em 2020, após reunir condições técnicas e equipamentos semelhantes aos utilizados nos Estados Unidos, além de uma equipe multiprofissional composta por 22 especialistas, o Hospital retomou o serviço de transplante de fígado. O momento foi marcado pelo sucesso no procedimento em um paciente de apenas 1 ano de vida.

Para este transplante histórico, a instituição contou com a presença do cirurgião Rodrigo Vianna, diretor do Miami Transplant Institute – o maior hospital de transplantes dos EUA. E, somente no último ano, foram realizados 15 transplantes de fígado no maior hospital exclusivamente pediátrico do Brasil.

 

 

 

+ Notícias

22/05/2024

Qual é a importância do vínculo afetivo na Primeiríssima Infância?

A ligação entre a criança e seus cuidadores se estabelece ainda na gravidez e se estende por um longo caminho após o nascimento
18/05/2024

Aumentam registros de violência contra crianças e adolescentes

Nas últimas duas décadas, foram mais de nove mil pacientes atendidos no Hospital Pequeno Príncipe por maus-tratos; violência sexual predomina
17/05/2024

Pequeno Príncipe mobilizado pelo Rio Grande do Sul

Iniciativas vão desde teleconsultas a crianças e adolescentes em parceria com hospital gaúcho até mobilização de profissionais
15/05/2024

Como falar sobre as enchentes com as crianças?

Hospital Pequeno Príncipe destaca a importância de agir com sensibilidade e estar atento aos sinais de sofrimento manifestados pelos pequenos
13/05/2024

É normal a criança ter amigos imaginários?

A criação desses personagens é comum no desenvolvimento infantil, mas veja alguns sinais que indicam atenção a essa prática
09/05/2024

Ministra da Saúde visita área onde será o Pequeno Príncipe Norte

Nísia Trindade de Lima destacou a importância do projeto e da instituição para a saúde infantil do país
Ver mais