Neurocirurgia pediátrica trata doenças do sistema nervoso

Notícias

ALTA COMPLEXIDADE | Serviço de Neurocirurgia é pioneiro

Hospital Pequeno Príncipe conta com equipamentos modernos e profissionais especializados
01/11/2022
Neurocirurgia pediátrica do Hospital Pequeno Príncipe
A neurocirurgia pediátrica é considerada de alta complexidade porque as estruturas nervosas estão em desenvolvimento

Durante os primeiros anos de vida de uma criança, o cérebro ainda está em desenvolvimento e amadurece à medida que ela aprende a andar e falar, por exemplo. Como as estruturas nervosas ainda não estão maduras, realizar uma neurocirurgia pediátrica não é simples, mas no Hospital Pequeno Príncipe esse serviço já é oferecido há mais de 50 anos.

O Serviço de Neurocirurgia foi o primeiro na região Sul do Brasil a ter a cirurgia endoscópica (por vídeo), um procedimento pouco invasivo que diminui riscos de complicações e facilita a recuperação da criança ou adolescente. O Hospital conta com uma equipe de sete cirurgiões e, em 2021, realizou 660 procedimentos cirúrgicos e 807 atendimentos ambulatoriais.

“Na neurocirurgia, existem diversas doenças que atingem o sistema nervoso central. Entre as doenças tratadas no Pequeno Príncipe estão cranioestenose, deformidades craniofaciais, doenças vasculares, traumatismos cranianos e vertebromedulares, epilepsia, tumores cerebrais e medulares”, explica o médico responsável pelo serviço, Adriano Keijiro Maeda.

Neurocirurgia pediátrica trata doenças do sistema nervoso ainda em desenvolvimento
A especialidade trata doenças que acometem o sistema nervoso – cérebro ou medula –, sejam elas congênitas ou adquiridas na infância.

Quando a cirurgia é necessária?

No Pequeno Príncipe você encontra atendimento para várias doenças que exigem cuidados neurológicos e que tem a cirurgia como opção de tratamento. Entre elas a epilepsia, doença caracterizada por crises convulsivas não provocadas. “Cerca de 30% dos pacientes com epilepsia não conseguem controlar as crises com remédio, e é aí que entra a neurocirurgia”, realça a médica Tatiana Von Hertwig Fernandes de Oliveira.

A doença mais frequente entre os problemas relacionados ao sistema nervoso central é a hidrocefalia (acúmulo de líquido no cérebro). Ela pode ser causada por malformações cerebrais, como a mielomeningocele, pela presença de tumores, infecções como meningites e após hemorragias em bebês. “O acúmulo de líquido aumenta a pressão intracraniana, trazendo prejuízos no desenvolvimento ou, em casos mais graves, causando coma. O tratamento é cirúrgico e pode ser aplicada a técnica de neuroendoscopia”, esclarece Maeda.

Existem ainda casos de cranioestenose (doença congênita – a criança nasce com ela – que causa deformidades no crânio), neurocirurgia endovascular (para tratar doenças circulatórias), tumores cerebrais e medulares. “No Hospital atendemos muitos casos de crianças pequenas, de 6 meses, 1 ano, que chegam com tumores malignos e de grande volume. São procedimentos complexos porque a retirada da massa tumoral é difícil, demandam tecnologia e trabalho em equipe”, frisa o médico Carlos Alberto Mattozo.

A tecnologia a serviço da saúde

O cérebro de uma criança de 4 meses pesa, em média, 400 gramas. Com 4 anos, o aumento é de 800 gramas. Na vida adulta, depois do desenvolvimento completo, o órgão tem peso de 1,4 kg. Essas e outras características, como a quantidade de sangue no corpo, tornam o procedimento cirúrgico difícil.

Por ser de alta complexidade, o uso de tecnologia é um importante aliado na neurocirurgia. O Pequeno Príncipe possui ferramentas que facilitam a realização das cirurgias, tornando os procedimentos mais precisos e possibilitando atuar em regiões profundas do cérebro com menor risco de lesões ao paciente, como o aspirador ultrassônico, o microscópio cirúrgico e o neuronavegador.

Serviço de Neurocirurgia do Hospital Pequeno Príncipe
A equipe de neurocirurgia pediátrica do Pequeno Príncipe é formada por sete cirurgiões, que contam com apoio de cirurgiões plásticos, anestesistas, residentes, enfermeiros, técnicos de enfermagem e farmacêuticos.

O Pequeno Príncipe é signatário do Pacto Global desde 2019. A iniciativa presente nesse conteúdo contribui para o alcance do Objetivo de Desenvolvimento Sustentável (ODS): Saúde e Bem-Estar (ODS 3). 

Acompanhe os conteúdos também nas redes sociais do Pequeno Príncipe e fique por dentro de informações de qualidade – FacebookInstagramTwitterLinkedIn e YouTube

+ Notícias

18/05/2024

Aumentam registros de violência contra crianças e adolescentes

Nas últimas duas décadas, foram mais de nove mil pacientes atendidos no Hospital Pequeno Príncipe por maus-tratos; violência sexual predomina
17/05/2024

Pequeno Príncipe mobilizado pelo Rio Grande do Sul

Iniciativas vão desde teleconsultas a crianças e adolescentes em parceria com hospital gaúcho até mobilização de profissionais
15/05/2024

Como falar sobre as enchentes com as crianças?

Hospital Pequeno Príncipe destaca a importância de agir com sensibilidade e estar atento aos sinais de sofrimento manifestados pelos pequenos
13/05/2024

É normal a criança ter amigos imaginários?

A criação desses personagens é comum no desenvolvimento infantil, mas veja alguns sinais que indicam atenção a essa prática
09/05/2024

Ministra da Saúde visita área onde será o Pequeno Príncipe Norte

Nísia Trindade de Lima destacou a importância do projeto e da instituição para a saúde infantil do país
07/05/2024

Hospital se destaca em encontro internacional por ações ambientais

Instituição é a única entre as organizações de 12 países a ter um indicador em saúde ambiental 
Ver mais