Medicação sem danos: linha de cuidado garante assistência segura

Notícias

Medicação sem danos: linha de cuidado garante assistência segura

Às vésperas do Dia Mundial da Segurança do Paciente, em 17 de setembro, o Pequeno Príncipe reforça seu papel na segurança da cadeia medicamentosa
15/09/2022
medicação conferência familiar
Uma das etapas que garante a segurança no processo, é a conferência da medicação pelo familiar e/ou o paciente.

 

Os medicamentos são amplamente utilizados na assistência à saúde e seus prejuízos correspondem a 50% de danos evitáveis. Por isso, o Dia Mundial da Segurança do Paciente, lembrado em 17 de setembro, tem a segurança de medicamentos como tema escolhido pela Organização Mundial da Saúde (OMS). O Hospital Pequeno Príncipe adota uma gestão estruturada e sistêmica para garantir um cuidado ainda mais seguro e completo ao paciente.

Durante todo o período de assistência, a instituição promove a interação entre as equipes multidisciplinares, especialmente farmacêuticos, médicos e profissionais da enfermagem. “Destaque importante para a Farmácia Clínica, que discute vários fatores em relação à segurança e protocolos estabelecidos junto ao médico. O Programa de Stewardship de Antimicrobianos, por exemplo, é uma das iniciativas que visa o uso mais efetivo desses medicamentos – que, quando usados indiscriminadamente, são uma das principais causas das superbactérias”, ressalta o médico Fábio de Araújo Mota.

medicação
O Hospital Pequeno Príncipe é pioneiro em produzir um sistema de unitarização de doses.

Etapas que garantem uma medicação sem danos

Logo ao chegar ao Hospital Pequeno Príncipe, a família é questionada sobre as medicações de uso contínuo que a criança ou o adolescente utiliza, bem como se há algum medicamento a que é alérgico. “Esses dados já são inseridos no sistema e é gerado um alerta para o profissional caso gere risco ao paciente ou de interações medicamentosas. O alerta indica também a duplicidade de itens prescritos”, explica o médico.

O erro de dose é um perigo muito comum na área de pediatria, e o Hospital Pequeno Príncipe é pioneiro em produzir um sistema de unitarização de doses. Só em agosto, mais de 75 mil doses foram fracionadas para esse público, com etiquetas e embalagens diferenciadas. “Isso proporciona segurança, porque a equipe de enfermagem recebe a medicação certa, diluída e identificada, eliminando uma série de etapas de potenciais riscos”, destaca.

A administração do medicamento, entretanto, é um ponto que precisa de muita atenção. Por isso, além da conferência da medicação pelas equipes de farmácia e de enfermagem, é imprescindível que o familiar e/ou o paciente também o faça. E esse ponto vai ao encontro da campanha da Sociedade Brasileira para a Qualidade do Cuidado e Segurança do Paciente (Sobrasp), a qual estimula que a população conheça o medicamento, verifique se estão corretos o paciente, medicamento, via, dose e horário, e pergunte em caso de dúvida.

“Esse envolvimento é primordial, porque ao entender o motivo do medicamento a família vai ter participação mais ativa e, eventualmente, barrar uma não conformidade”, completa o médico, que também pontua ser um direito do paciente recusar tomar uma medicação. Por fim, na orientação de alta, é muito importante que a continuidade do uso do medicamento seja resguardada e garantida. “Esse momento é sensível e de muito risco, por isso o paciente precisa ter todas as informações necessárias”, finaliza.

Acompanhe os conteúdos também nas redes sociais do Pequeno Príncipe e fique por dentro de informações de qualidade – Facebook, InstagramTwitterLinkedInYouTube

+ Notícias

08/02/2023

Gravidez na adolescência: a prevenção começa com educação e diálogo

Um ambiente acolhedor e de confiança é fundamental para o desenvolvimento saudável de meninos e meninas  
07/02/2023

Nota de pesar pelo falecimento do pediatra Danilo Cerqueira Leite Junior

O médico, com mais de 50 de formação, atuou no Pequeno Príncipe e contribuiu com cuidados a milhares de crianças e adolescentes que passaram pelo Hospital nas últimas décadas
06/02/2023

ALTA COMPLEXIDADE | Serviço de Cirurgia Vascular

O Hospital Pequeno Príncipe tem equipe especializada no tratamento de doenças do sistema circulatório em crianças e adolescentes
03/02/2023

Gravidez na adolescência: quais são os riscos?

A gestação nessa fase, que compreende dos 10 aos 19 anos, gera uma série de consequências para a vida da mãe e do bebê
01/02/2023

Volta às aulas e a imunização de crianças e adolescentes

As medidas de higiene das mãos, etiqueta ao tossir e uso de máscara também auxiliam a evitar a disseminação de doenças
27/01/2023

Hanseníase: atenção aos sinais e sintomas auxilia diagnóstico

Neste Dia Mundial de Combate à Hanseníase, o Hospital Pequeno Príncipe reforça a importância de se buscar os serviços de saúde logo no aparecimento dos primeiros sinais e lembra que a doença tem cura
Ver mais