Lançado aplicativo que ajuda a proteger crianças e adolescentes - Hospital Pequeno Príncipe

Notícias

Lançado aplicativo que ajuda a proteger crianças e adolescentes

Iniciativa do governo federal e da Unicef vem ao encontro da vertente de mobilização social do Pequeno Príncipe
03/12/2013

ProtejaBrasil3Um aplicativo que pode ser baixado em smartphones e tablets é o novo aliado da proteção de crianças e adolescentes no Brasil. Com o programa é possível saber mais sobre os diferentes tipos de violência e os locais onde podem ser feitas as denúncias sobre os casos. A iniciativa batizada de Proteja Brasil é resultado de uma parceria entre o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República e do Centro de Defesa da Criança e da Adolescência Yves de Roussan.

Segundo um vídeo que explica o projeto, no Brasil existem cerca de 60 milhões de pessoas com menos de 18 anos. Elas precisam de condições para se desenvolver integralmente, mas nem todas têm acesso a isso. Muitas sofrem violência dentro e fora de casa, mas a maioria dos casos não é denunciada por causa de medo, insegurança e, até mesmo, falta de informação. E o aplicativo surge para que facilitar o processo de registro das denúncias dos casos de violência.

O Complexo Pequeno Príncipe aprova a ideia e se propôs a ajudar na sua divulgação, isso porque ela vem ao encontro da vertente de mobilização social mantida pela instituição. Além disso, o Pequeno Príncipe estreitou sua relação com a Organização das Nações Unidas (ONU). Em março deste ano, a sede da ONU, localizada em Nova York, recebeu uma exposição com obras do Projeto Fazendo Arte. Os trabalhos foram produzidos por pacientes do Hospital. Para 2014, está prevista uma nova mostra na sede do organização internacional.

Sobre o aplicativo
O Proteja Brasil apresenta informações sobre os tipos de violência, como as violências psicológica e sexual, a discriminação, a tortura e o trabalho infantil. Além disso, ele indica, a partir da localização física do dono do aparelho, em quais locais podem ser feitas denúncias e órgãos que ajudam a combater esses casos entre crianças e adolescentes, como delegacias e conselhos tutelares, com telefones e endereços. Isso vale para as principais cidades brasileiras. Nas demais, ele indica o Disque 100. Já no exterior, são mostradas as formas de contato com Embaixadas e Consulados.

O download do aplicativo pode ser feito gratuitamente na App Store, da Apple (para aparelhos com sistema iOS), ou no Google Play (para dispositivos móveis com sistema operacional Android). Basta procurar pelo nome Proteja Brasil e baixá-lo.
Clique aqui e confira o vídeo que explica o funcionamento do Proteja Brasil.

+ Notícias

07/12/2022

5 dicas para manter uma alimentação saudável nas férias

O Hospital Pequeno Príncipe relembra a importância de cuidar de alguns hábitos nesta época do ano
06/12/2022

Espetáculo de Natal vai alterar o trânsito no entorno do Hospital

As apresentações do “Papai Noel na Sumiçolândia” acontecerão nos dias 9, 10 e 11 de dezembro, às 21h, na fachada histórica da instituição
05/12/2022

Serviço de Ortopedia do Pequeno Príncipe é referência em tratamento de doenças e síndromes complexas

Em 2021, o serviço realizou 17.249 procedimentos cirúrgicos, além de 13.040 consultas ambulatoriais
02/12/2022

Mitos e verdades sobre convulsões

Distúrbio que provoca grande apreensão nos pais, as convulsões precisam de acompanhamento médico
29/11/2022

Dia de Doar: renúncia fiscal tem potencial de arrecadar até R$ 8 bilhões

Data criada há 20 anos nos Estados Unidos pretende fortalecer cultura de doações no Brasil. Doações via Imposto de Renda podem ser feitas até dia 29 de dezembro
25/11/2022

Hemodinâmica: cateterismo evita cirurgias de grande porte em neonatos

O serviço do Hospital Pequeno Príncipe é referência nacional em pediatria e, em 2021, realizou 297 cateterismos
Ver mais