Investidores do Pequeno Príncipe realizam o primeiro plantio do projeto Árvores da Vida - Hospital Pequeno Príncipe

Notícias

Investidores do Pequeno Príncipe realizam o primeiro plantio do projeto Árvores da Vida

Mudas de diversas espécies foram plantadas na Alameda das Árvores. Um dos objetivos dessa iniciativa é promover o enriquecimento biológico do bosque localizado no terreno em que será construído o Pequeno Príncipe Norte
13/12/2019

O compromisso com o futuro do planeta e a responsabilidade com o meio ambiente que será deixado para as novas gerações sempre estiveram presentes na trajetória centenária do Hospital Pequeno Príncipe. E no ano em que a instituição completou 100 anos de história, foi dado mais um importante passo nesse sentido: o primeiro plantio do projeto Árvores da Vida, feito por investidores comprometidos com a causa da saúde infantojuvenil. Nessa quinta-feira, dia 12, foram plantadas na Alameda das Árvores mudas de araucária, ipê-amarelo, paineira, corticeira, imbuia, caingá e tarumã.

A ideia do projeto é buscar apoio financeiro para a implantação do Pequeno Príncipe Norte, vinculado ao plantio de 100 mudas de árvores nativas, e promover o enriquecimento biológico do bosque localizado no terreno que irá abrigar o novo empreendimento. Com início das obras previsto para 2020, a nova unidade da instituição, localizada na região norte de Curitiba, contará com dois hospitais, ambulatórios, as sedes da Faculdades Pequeno Príncipe e do Instituto de Pesquisa Pelé Pequeno Príncipe, um centro cultural e um jardim botânico, entre outras estruturas.

“O Pequeno Príncipe tem compromissos socioambientais e um deles é o enriquecimento biológico do nosso bosque nativo, que começa hoje com o plantio dessas árvores. Todos os projetos do Pequeno Príncipe Norte serão ambientalmente corretos. Teremos geração de energia por painéis solares, absoluto controle de água e os telhados serão verdes, por exemplo. Tudo está cercado de grandes cuidados de engenharia de ponta no que se trata das questões ambientais”, reforçou o diretor corporativo do Complexo Pequeno Príncipe, José Álvaro da Silva Carneiro.

Importância do projeto
Um dos investidores que participou da ação foi Mario Fontoura, que contribui com o Hospital há alguns anos e plantou uma paineira com a ajuda da sua esposa. “Quando apresentaram o projeto Árvores da Vida, eu achei a ideia superinteressante, criativa. Ao mesmo tempo em que faz uma contribuição para o Pequeno Príncipe, você passa a ter uma árvore em um local que no futuro irá abrigar uma nova área da própria instituição”, afirmou.

A sócia da Manchester Investimentos, Magda Braz, ressaltou o orgulho de fazer parte do projeto. “Essa iniciativa engajou toda a nossa equipe, sócios, assessores. Cada um colaborou com um pouco e todos estão muito entusiasmados com esse projeto e como ele vai contribuir com a comunidade”, disse ela, que também plantou uma muda de paineira, junto com colaboradores da empresa.

Outro parceiro do Pequeno Príncipe que participou do evento foi Nadir Antônio Elache Filho, que plantou, com a ajuda de familiares, uma araucária. “Eu considero que uma iniciativa como essa é essencial para a comunidade. A gente, que apoia o Hospital desde 2008 com o projeto de Transplante de Medula Óssea, fica muito feliz em ver o Complexo crescer. A proposta é uma glória para Curitiba e para o país”, ressaltou.

As três árvores de uma família

Alex de Souza, o eterno craque do Coritiba, é embaixador do Programa Gols pela Vida desde 2010, outra iniciativa da instituição centenária em prol de crianças e adolescentes de todo o Brasil. Comprometido com a causa, o atleta, acompanhado da esposa Daiane Mauad, dos três filhos – Felipe, de 9 anos; Antônia, 13; e Maria Eduarda, 15 – e do sogro Edson Mauad, contribuiu mais uma vez com o Hospital. Foram três árvores plantadas, uma para cada um de seus filhos: um ipê-amarelo, uma paineira e uma imbuia.

“O Alex falou sobre o projeto para a família e o Felipe se empolgou. A ideia era ter uma árvore para a família, mas ele insistiu para ter uma para cada irmão e disse: ‘porque eu uso o Hospital hoje, você já usou e meus filhos vão poder usar. E as árvores terão nosso nome e nossos filhos, e depois netos, vão poder conhecer as árvores que plantamos’”, contou Daiane. “Eu queria ajudar. Acho importante plantar árvores porque a maioria das pessoas corta elas”, disse Felipe.

Alex, por sua vez, salientou a relevância do projeto. “É importante para os meus filhos terem o entendimento de que para que o Pequeno Príncipe funcione bem, o apoio privado tem uma participação significativa”, pontuou. “Eu sou sempre um torcedor do Pequeno Príncipe. É quase como torcer para um time de futebol: quando o time está ganhando, temos que aplaudir, pois realmente é uma iniciativa maravilhosa”, concluiu Edson Mauad, que também é ex-presidente do Coxa.

+ Notícias

25/11/2022

Hemodinâmica: cateterismo evita cirurgias de grande porte em neonatos

O serviço do Hospital Pequeno Príncipe é referência nacional em pediatria e, em 2021, realizou 297 cateterismos
24/11/2022

Pequeno Príncipe vence o Prêmio Líderes Regionais Paraná 2022

A instituição foi premiada na categoria ESG – Responsabilidade Social. O reconhecimento destaca empresas, organizações e empresários que contribuíram para o desenvolvimento do estado
23/11/2022

Câncer pediátrico: diagnóstico precoce pode salvar até 84% dos pacientes

Referência nacional no tratamento de doenças onco-hematológicas há meio século, Hospital Pequeno Príncipe alerta sobre sintomas
21/11/2022

Pequeno Príncipe atua na prevenção da resistência aos antimicrobianos

A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que 1,3 milhão de pessoas morram a cada ano devido aos efeitos dessa resistência  
20/11/2022

Dia Mundial da Criança chama atenção à defesa de direitos

Em sua trajetória centenária, o Hospital Pequeno Príncipe desenvolve uma série de iniciativas em favor da proteção integral de meninos e meninas  
18/11/2022

Eletrofisiologia: Pequeno Príncipe é pioneiro em pediatria e mapeamento do coração em procedimento cirúrgico

O serviço também é referência no Brasil na realização de procedimentos invasivos e colocação de dispositivos eletrônicos no público infantojuvenil
Ver mais