Instituto de Pesquisa completa 15 anos de atuação e de valorização da ciência - Hospital Pequeno Príncipe

Notícias

Instituto de Pesquisa completa 15 anos de atuação e de valorização da ciência

Com apoio do Pelé, o rei do futebol, o Complexo Pequeno Príncipe ousou ao investir em pesquisa. O desenvolvimento dos projetos do Instituto traz mais oportunidade de vida para crianças e adolescentes e gera valor para a comunidade
26/04/2021

A palavra ciência nunca foi tão citada em conversas, redes sociais e veículos de comunicação como hoje em dia. A busca por métodos de diagnóstico precoce e tratamentos mais assertivos tem se tornado cada vez mais urgente e necessária, e é por isso que a ciência na área da saúde tem assumido, cada vez mais, um papel fundamental. Os estudos científicos estão no DNA do Complexo Pequeno Príncipe, e nesta segunda-feira, dia 26, o Instituto de Pesquisa Pelé Pequeno Príncipe completa 15 anos de atuação e de valorização da ciência. Atualmente, sua equipe conta com 19 pesquisadores principais e mais de cem projetos em andamento, estruturados em sete linhas de pesquisa com o foco em doenças complexas que atingem crianças e adolescentes.

De acordo com a diretora-geral do Instituto, Ety Cristina Forte Carneiro, a ciência precisa ser prioridade em um país, pois é o motor para a inovação e o seu desenvolvimento, bem como é imprescindível para nortear políticas públicas. “A arte e a ciência são o que a humanidade tem de mais bonito, porque elas nos trazem a capacidade de transcender, de ir além, de observar por perspectivas diferentes e ampliar o conhecimento”, ressalta ela, que também é diretora executiva do Hospital Pequeno Príncipe. “Como diria Albert Einstein, o impossível existe até que alguém duvide dele e prove o contrário. E esse é o papel dos estudos científicos e o foco do trabalho desenvolvido por pesquisadores mundo afora”, completa.

Ety reforça que é por meio da ciência que se torna possível evoluir e também vencer os desafios impostos diariamente. Um exemplo de desafio é a enorme crise sanitária provocada pela pandemia do coronavírus (COVID-19), que o planeta enfrenta desde 2020. Para entender a biologia do vírus e o desenvolvimento da doença, pesquisadores de todo o mundo têm trabalhado incessantemente – somente no Instituto de Pesquisa, 13 projetos relacionados à COVID-19 têm sido realizados pela equipe da unidade. O resultado final, com benefícios proporcionados diretamente à sociedade, é o desenvolvimento de remédios eficazes para o tratamento da doença e de vacinas para a prevenção contra o coronavírus, entre outros.

E para que benefícios como esses cheguem até a população, os investimentos público e privado em ciência são fundamentais. Atualmente, a média mundial de investimento em pesquisa e desenvolvimento como parte do Produto Interno Bruto (PIB), de acordo com a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), é de 2,22%. No Brasil, a média é de 1,26%.

Formação de profissionais especializados
Além do avanço do conhecimento e dos retornos científicos, sociais e econômicos proporcionados pelas pesquisas, os benefícios da ciência também são vistos na formação de profissionais altamente capacitados e na produção de inovação. No Instituto de Pesquisa Pelé Pequeno Príncipe, por exemplo, são formados profissionais especializados em pediatria. Desde a sua implantação, a unidade do Pequeno Príncipe já formou 86 mestres e 42 doutores por meio do Programa de Mestrado e Doutorado em Biotecnologia Aplicada à Saúde da Criança e do Adolescente, oferecido em parceria com a Faculdades Pequeno Príncipe.

“Temos hoje no Brasil 13 cursos de mestrado e nove de doutorado na área de pediatria, o que representa um número inferior ao que havia no final da década de 1990. O número de cursos é pequeno para um país continental, com cerca de 60 milhões de pessoas abaixo de 18 anos, com grandes proporções e variações geográficas nos tipos e incidências das doenças da criança”, contextualiza o diretor científico do Instituto de Pesquisa, Bonald Cavalcante de Figueiredo. Ele destaca, ainda, que o programa de mestrado e doutorado do Instituto de Pesquisa é o único no Brasil com interface entre biotecnologia e pediatria. “Isto nos permite desenvolver ferramentas com inovações no diagnóstico e no tratamento, incluindo todas as áreas do conhecimento”, explica.

Importantes incentivadores
Se hoje o Instituto de Pesquisa Pelé Pequeno Príncipe colhe os frutos de um trabalho que beneficia milhares de crianças e adolescentes de todo o Brasil, é porque 15 anos atrás o Complexo Pequeno Príncipe ousou sonhar com fazer ciência no país. Para isso, a instituição contou com o apoio de grandes incentivadores, como o médico Nilson Santos (em memória) e a pesquisadora Mara Lúcia Cordeiro – hoje diretora de Relações Institucionais da unidade de pesquisa –, responsáveis pela aproximação do Pequeno Príncipe com Edson Arantes do Nascimento, o Pelé. Ao emprestar seu nome ao Instituto de Pesquisa, Pelé tem marcado um verdadeiro gol de placa no que se refere à causa da saúde infantojuvenil.

+ Notícias

07/12/2022

5 dicas para manter uma alimentação saudável nas férias

O Hospital Pequeno Príncipe relembra a importância de cuidar de alguns hábitos nesta época do ano
06/12/2022

Espetáculo de Natal vai alterar o trânsito no entorno do Hospital

As apresentações do “Papai Noel na Sumiçolândia” acontecerão nos dias 9, 10 e 11 de dezembro, às 21h, na fachada histórica da instituição
05/12/2022

Serviço de Ortopedia do Pequeno Príncipe é referência em tratamento de doenças e síndromes complexas

Em 2021, o serviço realizou 17.249 procedimentos cirúrgicos, além de 13.040 consultas ambulatoriais
02/12/2022

Mitos e verdades sobre convulsões

Distúrbio que provoca grande apreensão nos pais, as convulsões precisam de acompanhamento médico
29/11/2022

Dia de Doar: renúncia fiscal tem potencial de arrecadar até R$ 8 bilhões

Data criada há 20 anos nos Estados Unidos pretende fortalecer cultura de doações no Brasil. Doações via Imposto de Renda podem ser feitas até dia 29 de dezembro
25/11/2022

Hemodinâmica: cateterismo evita cirurgias de grande porte em neonatos

O serviço do Hospital Pequeno Príncipe é referência nacional em pediatria e, em 2021, realizou 297 cateterismos
Ver mais