Incidentes com animais venenosos aumentam com o calor - Hospital Pequeno Príncipe

Notícias

Incidentes com animais venenosos aumentam com o calor

Alguns cuidados são fundamentais para evitar problemas com aranha marrom, abelhas e outros insetos
16/02/2015

No verão a história sempre se repete: o número de incidência de animais peçonhentos é maior e, por conta disso, o cuidado deve ser redobrado. De acordo com dados do Hospital Pequeno Príncipe, de dezembro a março de 2014 as ocorrências com crianças e adolescentes subiram 7% em relação aos outros meses do ano. Isso acontece por causa do aumento do metabolismo desses seres, que se tornam mais ativos. “No verão, as condições climáticas estimulam a reprodução desses animais, que aumentam em quantidade e causam mais danos”, explica o pediatra infectologista Victor Horácio.

O médico lembra que, em Curitiba e região metropolitana, o animal com maior incidência é a aranha marrom. Apesar de não ter como característica o comportamento agressivo, ela gosta de locais úmidos, escuros e quentes, por isso acaba se inserindo em ambientes domésticos. “As aranhas não têm como objetivo agredir as pessoas, mas o contato com os seres humanos gera nelas uma ação defensiva”, diz Horácio.

Os acidentes com a aranha marrom geralmente ocorrem quando a pessoa, ao se vestir ou enquanto dorme, comprime o aracnídeo contra a pele. Apesar da picada ser pouco dolorosa e nem sempre ser imediatamente percebida pela pessoa, é preciso ter cuidado. “As principais características da lesão são vermelhidão, mancha roxa, inchaço, coceira, bolhas e dor em queimação. É muito importante buscar ajuda o quanto antes, porque a evolução da picada é rápida”, enfatiza o médico.

Para evitar problemas com os animais venenosos, o segredo é manter sempre o ambiente limpo e os objetos organizados. “Só existe umtabela_animais_venenososa solução, a limpeza. É preciso evitar objetos amontoados, limpar atrás dos móveis e colocar os cobertores no sol. Nas casas em que há muitas árvores, por exemplo, é necessário varrer as folhagens também”, salienta o pediatra.

Além da aranha marrom, outros animais preocupam os médicos. É o caso das abelhas, serpentes e lagartas, que em 2014 foram responsáveis, respectivamente, pelo maior número de ocorrência de acidentes com crianças e adolescentes.

+ Notícias

05/08/2022

Cirurgia de correção de malformação rara é realizada por Pequeno Príncipe

A correção da extrofia de cloaca foi realizada pela técnica de Kelley, considerada inovadora
04/08/2022

Cientistas estão desenvolvendo gel bucal para tratar mucosite

Principal reação adversa da quimioterapia, a mucosite oral causa intensa dor e pode ser porta de entrada para outras infecções
02/08/2022

Doenças raras é tema de mesa-redonda organizada pelo Pequeno Príncipe

A iniciativa fez parte da programação da 74.ª reunião anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC)
01/08/2022

Aleitamento materno favorece desenvolvimento da inteligência e estrutura da face

Especialistas do Hospital Pequeno Príncipe explicam ligação entre o neurodesenvolvimento e o crescimento ósseo adequado da face
28/07/2022

Hepatites A e B podem ser prevenidas por meio da vacinação

O Centro de Vacinas Pequeno Príncipe disponibiliza imunizantes contra essas duas formas da doença, que ocorrem de forma endêmica no Brasil
27/07/2022

Único hospital do Brasil com 35 especialidades pediátricas atrai estudantes de todo o país

Com 50 anos de existência, a residência em pediatria do Pequeno Príncipe ajuda a melhorar o déficit de especialistas em diversos estados brasileiros
Ver mais