Hospital Pequeno Príncipe se posiciona a favor da vacinação de crianças de 5 a 11 anos contra a COVID-19 - Hospital Pequeno Príncipe

Notícias

Hospital Pequeno Príncipe se posiciona a favor da vacinação de crianças de 5 a 11 anos contra a COVID-19

Pequeno Príncipe reforça a importância da vacinação de meninos e meninas dessa faixa etária contra a doença
27/12/2021

O Hospital Pequeno Príncipe, priorizando sua postura de ética e responsabilidade no que diz respeito à saúde infantojuvenil, vem reforçar a importância da inclusão de crianças de 5 a 11 anos na campanha de vacinação contra a COVID-19.

O maior hospital exclusivamente pediátrico do Brasil ressalta que – após a decisão da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) liberar a imunização contra a COVID-19 para aquela faixa etária e, mais recentemente, da Secretaria Extraordinária de Enfrentamento à COVID-19, ligada ao Ministério da Saúde, divulgar uma nota técnica reforçando a segurança do imunizante para esse grupo – se posiciona a favor do parecer, com base em estudos, dado por especialistas.

Para o diretor-técnico do Pequeno Príncipe, Donizetti Dimer Giamberardino Filho, quanto mais pessoas vacinadas, mais perto do fim a crise sanitária vai estar. “Para o combate de qualquer pandemia, a melhor solução sempre foi a vacina. É inquestionável que os benefícios da vacinação em crianças superam os eventuais riscos”, diz o médico. O estado do Paraná anunciou que não deve exigir recomendação médica para a aplicação da vacina.

Somente em 2021, até o momento, foram 1.285 crianças e adolescentes com diagnóstico positivo para COVID-19 atendidos no Hospital. É um aumento significativo em comparação aos 311 casos registrados em 2020. Além disso, observaram-se casos com maior gravidade. Em 2020, a média mensal de internamentos foi de nove pacientes. Neste ano, a média ficou em 21 casos por mês. Do total de ocorrências diagnosticadas, 241 pacientes – quase 20% – necessitaram de internamento, sendo que 60 precisaram de tratamentos intensivos na UTI do Pequeno Príncipe. E 47% das crianças e adolescentes que foram internados não tinham nenhuma comorbidade.

Pensando no bem-estar e saúde de todas as crianças, o Pequeno Príncipe reforça que é favorável à imunização de meninos e meninas na faixa de 5 a 11 anos em consonância com a Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm), a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) e a Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI).

Destacamos que o parecer da Anvisa reúne informações sobre o impacto da COVID-19 no grupo etário, avaliação de potenciais benefícios e riscos da vacinação, e condições a serem cumpridas pela fabricante após a aprovação. O Pequeno Príncipe, ciente da sua missão de promover a saúde infantojuvenil, entende que os benefícios da vacinação na população de crianças de 5 a 11 anos com o imunizante da Pfizer/BioNTech superam eventuais riscos e apoia a inclusão desse público no Plano Nacional de Imunização.

+ Notícias

08/08/2022

Colesterol pode ser prevenido com consumo de alimentos saudáveis

O Hospital Pequeno Príncipe ressalta a importância da adoção de bons hábitos para melhor qualidade de vida desde a infância
05/08/2022

Cirurgia de correção de malformação rara é realizada no Pequeno Príncipe

A reparação da extrofia de cloaca foi feita com a técnica de Kelley, considerada inovadora
04/08/2022

Cientistas estão desenvolvendo gel bucal para tratar mucosite

Principal reação adversa da quimioterapia, a mucosite oral causa intensa dor e pode ser porta de entrada para outras infecções
02/08/2022

Doenças raras é tema de mesa-redonda organizada pelo Pequeno Príncipe

A iniciativa fez parte da programação da 74.ª reunião anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC)
01/08/2022

Aleitamento materno favorece desenvolvimento da inteligência e estrutura da face

Especialistas do Hospital Pequeno Príncipe explicam ligação entre o neurodesenvolvimento e o crescimento ósseo adequado da face
28/07/2022

Hepatites A e B podem ser prevenidas por meio da vacinação

O Centro de Vacinas Pequeno Príncipe disponibiliza imunizantes contra essas duas formas da doença, que ocorrem de forma endêmica no Brasil
Ver mais