Hospital Pequeno Príncipe promove ciclo de palestras sobre doenças raras - Hospital Pequeno Príncipe

Notícias

Hospital Pequeno Príncipe promove ciclo de palestras sobre doenças raras

Na data dedicada ao tema, evento reforçou a importância de levar informações para pais, profissionais e toda a comunidade como forma de garantir o diagnóstico precoce
28/02/2018
O evento reuniu profissionais da saúde do Pequeno Príncipe, familiares, pacientes e representantes de organizações dedicadas às doenças raras.

Neste Dia Mundial das Doenças Raras, lembrado em 28 de fevereiro, o Hospital Pequeno Príncipe promoveu um ciclo de palestras para a conscientização sobre a importância do diagnóstico precoce. Entre os palestrantes estavam profissionais que atuam nas atividades de assistência e pesquisa da instituição com o objetivo de garantir tratamentos assertivos a pacientes acometidos por esses problemas: a neurologista pediátrica e coordenadora do ambulatório de Doenças Raras, Mara Lucia Schmitz Ferreira Santos; a reumatologista pediátrica Márcia Bandeira; a alergista e imunologista pediátrica Carolina Prando; o médico geneticista Israel Gomy; e a enfermeira Houda Izabela de Oliveira.

O evento mobilizou profissionais da instituição.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), são consideradas doenças raras aquelas que afetam até 65 pessoas a cada 100 mil indivíduos, ou seja, 1 caso a cada 2 mil nascidos vivos. No Brasil, são estimados mais de 13 milhões de pacientes com essas enfermidades, sendo que no mundo há cerca de 350 milhões de pessoas diagnosticadas com uma das cerca de 7 mil doenças raras já confirmadas.

Esses números seriam ainda maiores se todos os pacientes recebessem o diagnóstico correto sobre os sintomas que apresentam. “Eu agradeço a cada um de vocês que está aqui, porque nós vamos descobrir novos mundos e novos universos juntos. Agradeço a todas as nossas equipes que não medem esforços para fazer cada vez melhor, diferente e sem medo de se reinventar”, relatou a diretora executiva do Pequeno Príncipe, Ety Cristina Forte Carneiro. Desde 2016, a instituição é habilitada pelo Ministério da Saúde como Serviço de Referência em Doenças Raras.

Famílias
Além das palestras, o evento contou com a presença de alguns familiares de pacientes atendidos no Hospital, que contaram um pouco da sua história. “Esse tempo que o meu filho ficou aqui não seria possível sem as pesquisas da doutora Carolina. Essa parte da pesquisa é essencial, sem ela não temos como fazer nada. E eu gostaria de agradecer a ela, pois sem seu trabalho nada disso seria possível”, relatou Rafaela Borges Axiotes Aloise, mãe do paciente Daniel Borges Axiotes Aloise, de 2 anos, que realizou o transplante de medula óssea logo que foi diagnosticado com uma imunodeficiência combinada grave.

A presidente da Organização Brasileira de Apoio às Pessoas com Doenças Neuromusculares e Raras (OBADIN), Patrícia Krebs Ferreira, e o pai do paciente Eduardo de Abreu Berbigier, Eduardo Hobi Berbigier, também estiveram presentes e contaram suas histórias de luta em prol do diagnóstico e tratamento das doenças raras, para, dessa forma, conseguir uma melhor qualidade de vida para cada paciente.  A deputada estadual Maria Victoria também prestigiou o evento.

Homenagem na Assembleia Legislativa
A quarta-feira também foi marcada por uma homenagem a profissionais que se dedicam ao diagnóstico e tratamento de pacientes com doenças raras. Foi durante sessão solene na Assembleia Legislativa do Paraná (Alep), realizada no plenário da Casa de Leis por proposição da deputada Maria Victoria.

Médicos do Hospital Pequeno Príncipe, que atuam em diferentes especialidades – Neurologia, Reumatologia, Nefrologia, Oncologia, Hematologia, Genética Clínica e Pneumologia, por exemplo –, receberam menção honrosa em reconhecimento por seu trabalho. Foram eles: Adriana Banzatto Ortega; Alfredo Lörh Junior; Carlos Antonio Riedi; Carolina Prando; Cilmara Kuawahara; Edna Kakitani Carboni; Eurípides Ferreira; Flora Mitie Watanabe; Luciane Cristine Oliveira Valdez; Lucimary de Castro Sylvestre; Mara Lucia Schmitz Ferreira Santos; Marcella Rabassi de Lima; Marcia Bandeira; Maria Carolina Oliveira Serafim; Paulo Liberalesso; Salmo Raskin; e Sandra Lucia Schuller.

+ Notícias

30/09/2022

Setembro Amarelo: é preciso falar sobre tentativa de suicídio na infância e adolescência

O Hospital Pequeno Príncipe, referência em atendimentos pediátricos, registrou um aumento de 95% dos casos do primeiro semestre de 2021 para 2022
29/09/2022

Coração dá sinais de que precisa de cuidado

Neste Dia Mundial do Coração, o Hospital Pequeno Príncipe alerta quando é necessário buscar um pediatra
27/09/2022

Doação de órgãos e tecidos: uma decisão que transforma vidas

O Hospital Pequeno Príncipe, que até agosto de 2022 realizou 183 transplantes de órgãos, reforça a importância do diálogo sobre o tema
26/09/2022

Voluntários celebram o brincar em retorno ao Pequeno Príncipe

Neste ano, o Dia do Voluntário Paranaense é cercado de ainda mais emoção, devido à retomada das atividades presenciais
23/09/2022

Setembro Amarelo: saiba como agir caso alguém busque apoio

Ser empático com os sentimentos da criança e do adolescente é muito importante, além de necessário encorajar a buscar um profissional especializado em saúde mental
22/09/2022

Acompanhamento médico é fundamental para saúde de adolescentes e jovens

De acordo com especialista, a assistência é importante nessa fase, pois facilita o acesso a informações corretas, incluindo a vacinação
Ver mais