Hospital Pequeno Príncipe organiza ações de boas-vindas aos aprovados nos programas de Residência Médica - Hospital Pequeno Príncipe

Notícias

Hospital Pequeno Príncipe organiza ações de boas-vindas aos aprovados nos programas de Residência Médica

Os profissionais participaram de palestras sobre os mais variados temas, que reforçam a história, posicionamento, missão e valores da instituição
26/02/2018
O diretor técnico do Hospital Pequeno Príncipe, o médico Donizetti Dimer Giamberardino Filho, deu as boas-vindas aos novos residentes.

Os médicos aprovados nos programas de Residência Médica do Hospital Pequeno Príncipe iniciaram nesta segunda-feira, dia 26, as atividades na instituição. Os profissionais tiveram a oportunidade de participar de palestras sobre os mais variados temas – como humanização, marketing, comunicação, semiologia pediátrica, entre outros – e que reforçam a história de quase um século da instituição dedicada à assistência, pesquisa, ensino e mobilização social.

Na abertura das atividades, o diretor técnico do Pequeno Príncipe, o médico Donizetti Dimer Giamberardino Filho, ficou responsável por dar as boas-vindas aos residentes. “Somos um hospital de crianças e esse é o nosso grande diferencial”, falou.

Referência em saúde infantojuvenil, a excelência técnico-científica e o cuidado humanizado são destaques do Pequeno Príncipe em todo Brasil. “Temos aqui hoje os melhores especialistas, pois as nossas residências são muito disputadas. É importante que no trabalho diário com nossas crianças utilizem o que aprenderam com as suas famílias – a educação, a gentileza. É importante saber se colocar no lugar do outro”, avaliou a diretora executiva do Hospital, Ety Cristina Forte Carneiro.

Experiências
Cada médico aprovado para as residências do Hospital Pequeno Príncipe teve uma motivação para a escolha da instituição. Amanda Ginani Antunes, residente de Cirurgia Pediátrica, ficou encantada pelo fato de ser um espaço dedicado exclusivamente às crianças. “Não podemos tratá-las como um adulto, é preciso estar nesse mundo lúdico, que é característico delas. O médico precisa vivenciar isso para poder tratá-las da melhor forma possível’, comenta a jovem, que veio de Natal, Rio Grande do Norte.

Letícia Negreiros Alcântara, residente de Cardiologia Pediátrica,  tem uma história afetiva com o Pequeno Príncipe. A irmã da residente fez tratamento na instituição. “Queria muito poder voltar um dia aqui. Ela foi tratada de um jeito muito especial e minha mãe é apaixonada até hoje pelo Hospital. Mesmo com  21 anos, minha irmã ainda vem aqui”, revelou.

Sobre os programas de Residência Médica do Hospital Pequeno Príncipe

Os programas de Residência Médica do Hospital Pequeno Príncipe têm duração de 3 anos, conforme determinação da Sociedade Brasileira de Pediatria e da Comissão Nacional de Residência Médica (CNRM). Para candidatar-se,  o profissional deve ser médico com diploma reconhecido pelo MEC.

A instituição oferece os seguintes programas:
•    Pediatria
•    Cirurgia Pediátrica
•    Cancerologia Pediátrica
•    Ortopedia e Traumatologia
•    Psiquiatria da Infância e Adolescência
•    Medicina da Família e Comunidade
Áreas da Pediatria: Cardiologia Pediátrica, Neurologia Pediátrica, Medicina Intensiva Pediátrica, Neonatalogia, Nefrologia Pediátrica, Gastroenterologia Pediátrica, Nutrologia e Pneumologia Pediátrica.

+ Notícias

16/04/2024

COVID-19 e dengue são ameaças à saúde das crianças no Brasil

Primeiro trimestre de 2024 foi marcado pela elevação do número de casos e de mortes provocadas pelas duas doenças
11/04/2024

Renúncia fiscal transforma a vida de crianças e adolescentes

Destinação do Imposto de Renda contribui para a equidade no atendimento em saúde a pacientes vindos de todo o país
08/04/2024

Pronon e Pronas: Pequeno Príncipe contribui com consulta pública

Há dez anos, o Hospital elabora, executa e presta contas de projetos desenvolvidos dentro dos programas
07/04/2024

Dia Mundial da Saúde: “Minha Saúde, Meu Direito”

O Hospital Pequeno Príncipe desenvolve uma série de iniciativas em favor da proteção integral de meninos e meninas
02/04/2024

TDAH e autismo: quais são as semelhanças e diferenças?

A identificação da manifestação dos sintomas é crucial para o diagnóstico e tratamento adequados e individualizados
30/03/2024

Como ajudar a criança ou o adolescente com transtorno bipolar?

Por ser uma doença crônica, que não tem cura, o apoio dos pais, familiares e amigos é essencial
Ver mais