Hospital Pequeno Príncipe organiza ações de boas-vindas aos aprovados nos programas de Residência Médica - Hospital Pequeno Príncipe

Notícias

Hospital Pequeno Príncipe organiza ações de boas-vindas aos aprovados nos programas de Residência Médica

Os profissionais participaram de palestras sobre os mais variados temas, que reforçam a história, posicionamento, missão e valores da instituição
26/02/2018
O diretor técnico do Hospital Pequeno Príncipe, o médico Donizetti Dimer Giamberardino Filho, deu as boas-vindas aos novos residentes.

Os médicos aprovados nos programas de Residência Médica do Hospital Pequeno Príncipe iniciaram nesta segunda-feira, dia 26, as atividades na instituição. Os profissionais tiveram a oportunidade de participar de palestras sobre os mais variados temas – como humanização, marketing, comunicação, semiologia pediátrica, entre outros – e que reforçam a história de quase um século da instituição dedicada à assistência, pesquisa, ensino e mobilização social.

Na abertura das atividades, o diretor técnico do Pequeno Príncipe, o médico Donizetti Dimer Giamberardino Filho, ficou responsável por dar as boas-vindas aos residentes. “Somos um hospital de crianças e esse é o nosso grande diferencial”, falou.

Referência em saúde infantojuvenil, a excelência técnico-científica e o cuidado humanizado são destaques do Pequeno Príncipe em todo Brasil. “Temos aqui hoje os melhores especialistas, pois as nossas residências são muito disputadas. É importante que no trabalho diário com nossas crianças utilizem o que aprenderam com as suas famílias – a educação, a gentileza. É importante saber se colocar no lugar do outro”, avaliou a diretora executiva do Hospital, Ety Cristina Forte Carneiro.

Experiências
Cada médico aprovado para as residências do Hospital Pequeno Príncipe teve uma motivação para a escolha da instituição. Amanda Ginani Antunes, residente de Cirurgia Pediátrica, ficou encantada pelo fato de ser um espaço dedicado exclusivamente às crianças. “Não podemos tratá-las como um adulto, é preciso estar nesse mundo lúdico, que é característico delas. O médico precisa vivenciar isso para poder tratá-las da melhor forma possível’, comenta a jovem, que veio de Natal, Rio Grande do Norte.

Letícia Negreiros Alcântara, residente de Cardiologia Pediátrica,  tem uma história afetiva com o Pequeno Príncipe. A irmã da residente fez tratamento na instituição. “Queria muito poder voltar um dia aqui. Ela foi tratada de um jeito muito especial e minha mãe é apaixonada até hoje pelo Hospital. Mesmo com  21 anos, minha irmã ainda vem aqui”, revelou.

Sobre os programas de Residência Médica do Hospital Pequeno Príncipe

Os programas de Residência Médica do Hospital Pequeno Príncipe têm duração de 3 anos, conforme determinação da Sociedade Brasileira de Pediatria e da Comissão Nacional de Residência Médica (CNRM). Para candidatar-se,  o profissional deve ser médico com diploma reconhecido pelo MEC.

A instituição oferece os seguintes programas:
•    Pediatria
•    Cirurgia Pediátrica
•    Cancerologia Pediátrica
•    Ortopedia e Traumatologia
•    Psiquiatria da Infância e Adolescência
•    Medicina da Família e Comunidade
Áreas da Pediatria: Cardiologia Pediátrica, Neurologia Pediátrica, Medicina Intensiva Pediátrica, Neonatalogia, Nefrologia Pediátrica, Gastroenterologia Pediátrica, Nutrologia e Pneumologia Pediátrica.

+ Notícias

23/06/2022

Festas juninas pedem atenção redobrada com a alimentação das crianças

Pequeno Príncipe alerta que o consumo de doces e de comidas típicas pode prejudicar condições de saúde já existentes
21/06/2022

Asma: vacinas atuam na redução de doenças que afetam o sistema respiratório

A doença não possui um imunizante específico, mas existem outras vacinas que auxiliam nas síndromes respiratórias
17/06/2022

Corpus Christi: Pequeno Príncipe recebe bênção do Santíssimo Sacramento

A ação, realizada em carro aberto, fez parte da programação especial organizada pela Arquidiocese de Curitiba
14/06/2022

Doar sangue é um ato de amor ao próximo

Neste Dia Mundial do Doador de Sangue, o Pequeno Príncipe reforça a importância desse ato de solidariedade, que pode salvar até quatro vidas
13/06/2022

Albinismo é distúrbio raro que precisa de cuidado multidisciplinar

A condição é definida pela ausência ou diminuição importante na produção de melanina – pigmento que determina a cor da pele, dos olhos e do cabelo
12/06/2022

Cardiopatias congênitas: diagnóstico precoce é fundamental para tratamento assertivo

O conjunto de doenças pode ser descoberto ainda na gravidez, com o ecocardiograma fetal, ou nos primeiros dias após o nascimento, por meio do teste do coraçãozinho
Ver mais