Pequeno Príncipe é reconhecido como um dos melhores hospitais pediátricos do mundo - Hospital Pequeno Príncipe

Notícias

Pequeno Príncipe é reconhecido como um dos melhores hospitais pediátricos do mundo

A instituição é a única exclusivamente pediátrica da América do Sul a aparecer no ranking da revista norte-americana Newsweek, que listou os 150 melhores hospitais em pediatria, com base em recomendações de mais de 40 mil especialistas de 20 países
04/10/2021
A instituição é a única exclusivamente pediátrica da América do Sul.

 

O Hospital Pequeno Príncipe foi eleito um dos melhores hospitais pediátricos do mundo em um ranking elaborado pela revista norte-americana Newsweek. É o único hospital exclusivamente pediátrico da América do Sul na lista, entre os 150 melhores hospitais pediátricos do mundo, ocupando a 112ª posição. O ranking traz apenas seis instituições brasileiras, e o Pequeno Príncipe está em quarto lugar entre elas, sendo a única do Paraná. No Brasil, os hospitais A.C.Camargo Cancer Center, Sírio-Libanês e Israelita Albert Einstein ocupam respectivamente as 29ª, 98ª e 102ª posições.

O diretor corporativo do Complexo Pequeno Príncipe, José Álvaro da Silva Carneiro, ressalta a importância desse reconhecimento internacional ao trabalho desenvolvido pelo Hospital em prol de crianças e adolescentes de todo o país. Segundo ele, o modelo no qual a assistência, o ensino e a pesquisa andam de braços dados é um dos grandes diferenciais da instituição. “Um destaque especial cabe aos nossos médicos, enfermeiros e todos os profissionais de saúde e ao conhecimento e à performance em pediatria complexa. Agradecemos muito aos nossos apoiadores e à comunidade. Sem esta energia não chegaríamos a estes resultados. Estamos muito orgulhosos por este reconhecimento”, afirma Carneiro.

Pioneiro no atendimento a crianças, o Hospital Pequeno Príncipe atua há mais de 100 anos transformando vidas.

“A evolução estrutural do Pequeno Príncipe nos últimos dez anos é notória. Os mais de R$ 100 milhões investidos, seja no Centro Cirúrgico ou no Laboratório Genômico, seja na Unidade de Transplante de Medula Óssea ou na renovação completa do nosso parque de equipamentos, na telemedicina ou na qualificação crescente de nossa residência médica e ensino, são em seu conjunto uma homenagem às nossas equipes e aos nossos pacientes”, completa.

Para o diretor técnico do Hospital Pequeno Príncipe, Donizetti Dimer Giamberardino Filho, o reconhecimento vindo de outros profissionais mostra a integração que os profissionais da instituição têm no cenário internacional. “Nossos especialistas interagem com os profissionais de todo o mundo, e receber o reconhecimento imparcial de especialistas internacionais é muito importante. Com esse resultado também vemos que, mesmo diante da inconteste desigualdade entre os hemisférios Norte e Sul, nos aproximamos de referenciais do planeta”, destaca.

O ranking traz apenas seis instituições brasileiras, e o Pequeno Príncipe está em quarto lugar entre elas, sendo a única do Paraná.

 

Sobre o ranking
O ranking “Melhores hospitais especializados do mundo 2022” conta com os hospitais norte-americanos Children’s National Hospital, UPMC Children’s Hospital of Pittsburgh e St Jude Children’s Research Hospital, com os quais o Pequeno Príncipe mantém parcerias. Elaborado pela revista Newsweek em conjunto com a empresa de pesquisa global Statista, foram consultados de forma on-line mais de 40 mil especialistas da área da saúde – entre médicos, profissionais de saúde e gerentes e diretores de hospitais – em mais de 20 países. Além disso, especialistas de todo o mundo puderam participar da pesquisa no site da revista. Os dados para a elaboração do ranking foram coletados de junho a agosto de 2021, e os resultados foram validados por um conselho global de especialistas médicos.

Ao divulgar os resultados da pesquisa, a revista Newsweek destacou que quanto mais especializados são os hospitais, mais eles estão aptos a tratar casos mais difíceis, complexos ou raros. Além disso, essas instituições estão frequentemente na vanguarda do desenvolvimento científico nas suas áreas de atuação e são referência para a realização de determinadas cirurgias ou procedimentos, oferecendo o melhor tratamento.

Referência nacional
Pioneiro no atendimento a crianças, o Hospital Pequeno Príncipe atua há mais de 100 anos transformando vidas por meio de atendimentos realizados com excelência técnico-científica e cuidado humanizado. Referência em tratamentos de alta e média complexidade, o Hospital tem 384 leitos, sendo 68 deles em UTIs, e realiza 60% dos seus atendimentos pelo Sistema Único de Saúde (SUS). É um centro completo de diagnóstico e tratamento, e oferece 32 especialidades médicas, que contam com equipes multiprofissionais especializadas. Além disso, é um polo formador de especialistas pediátricos.

+ Notícias

17/05/2022

Pequeno Príncipe inicia campanha televisiva para captação de recursos

A iniciativa busca dar mais visibilidade para a causa da saúde infantojuvenil, além de contribuir para a sustentabilidade econômico-financeira da instituição
16/05/2022

Atualização do calendário vacinal pode prevenir casos de SRAG no público infantojuvenil

Diversas doenças respiratórias podem evoluir para a síndrome aguda grave. O Pequeno Príncipe alerta que as medidas de prevenção, como a imunização, precisam ser mantidas
15/05/2022

Sintomas da mucopolissacaridose aparecem na primeira infância

A doença rara é genética e neurodegenerativa, que evolui com sintomas multissistêmicos
12/05/2022

Semana de Enfermagem aborda tecnologias e inovações em benefício da saúde

Neste ano, além de homenagear os profissionais de enfermagem do Pequeno Príncipe e ampliar os conhecimentos, a iniciativa apresentou as novidades do ramo
11/05/2022

Faculdades Pequeno Príncipe inaugura escritório que facilita oportunidade de estudos nos EUA

A iniciativa coloca a unidade de educação em um seleto de grupo de 43 instituições brasileiras que integram o programa global
10/05/2022

Lúpus: conscientização garante diagnóstico e tratamento corretos

O Hospital Pequeno Príncipe reforça a importância da atenção à doença, que não tem cura, mas permite, com os cuidados necessários, ao paciente ter mais qualidade de vida
Ver mais