Gripe fora de época? Veja como se proteger - Hospital Pequeno Príncipe

Notícias

Gripe fora de época? Veja como se proteger

Crianças podem ser mais suscetíveis ao surto de influenza H3N2. Devido à mutação do vírus, a vacinação deve ser anual
31/01/2022

O Brasil vive uma epidemia de influenza, subtipo H3N2 (cepa Darwin), neste início de 2022, causando preocupação especialmente com as crianças, que ficam mais suscetíveis pela proximidade com outras crianças, por terem menos noções de higiene e imunidade ainda em formação. O Hospital Pequeno Príncipe alerta que a epidemia de H3N2 e o aumento geral de casos de gripe podem estar associados às festas do final de ano, viagens de férias e baixa imunização contra a gripe em 2021.

O quadro geral dessas gripes é caracterizado por coriza, tosse, irritação na garganta, dor de cabeça e dor no corpo.

As cepas mais comuns originárias do vírus influenza atualmente são a H3N2 e a H1N1. Os sintomas causados pelos vírus do grupo influenza são semelhantes e de difícil identificação clínica. O quadro geral dessas gripes é caracterizado por coriza, tosse, irritação na garganta, dor de cabeça e dor no corpo. Nos casos de infecção por influenza, o que chama mais a atenção é uma febre de início súbito e geralmente alta. Diante desses sintomas, a orientação é evitar a automedicação para não tardar o diagnóstico da doença e procurar um pediatra para a realização de exame físico e indicação de medicação adequada.

A proteção das crianças contra as infecções gripais começa pela imunização dos pais e responsáveis. Segundo o especialista, se os adultos que têm filhos pequenos não tomaram a vacina, é provável que toda a família se contamine. “Raramente vemos casos nos quais só as crianças se contaminam, geralmente os pais também estão infectados”, afirma o pediatra infectologista Victor Horácio de Souza Costa Júnior, do Hospital Pequeno Príncipe.

A epidemia de H3N2 se soma à de COVID-19, que teve um novo aumento em todo o país em função da cepa ômicron, que tem uma transmissibilidade muito maior do que as cepas anteriores. As orientações de prevenção valem para as duas situações: evitar aglomerações, usar máscara, higienizar as mãos, além de manter hábitos saudáveis como ingerir muito líquido, ter boa qualidade de sono, boa alimentação e praticar exercícios físicos.

Por que tomar a vacina da gripe todo ano?
O vírus influenza passa por mutações por se replicar muitas vezes durante um ano. Por isso, o monitoramento e a vigilância dessas replicações são fundamentais para a fabricação de vacinas eficazes para o ano vigente.

As crianças devem iniciar a imunização para a influenza a partir de 6 meses de vida.

O infectologista do Pequeno Príncipe destaca que a vacina aplicada no ano vigente protege contra as cepas que circularam no ano anterior. Porém, informa que estudos recentes do Instituto Butantan, responsável pelo imunizante distribuído pelo Ministério da Saúde, apontaram que a vacina disponibilizada em 2021, que contém a cepa H1N1, pode oferecer uma imunidade cruzada em relação à cepa H3N2.

A partir da recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS), com base em informações provenientes de coleta de secreções de pessoas infectadas no mundo todo, a versão da vacina da influenza que será distribuída em 2022 pelo Ministério da Saúde é trivalente, composta pelos vírus H1N1, H3N2 e um tipo de influenza B. Na rede privada, a vacina será tetravalente, com inclusão de um segundo tipo de influenza B.

Dessa forma, em cada ano, as vacinas contra a gripe protegem contra subtipos da influenza diferentes, por isso os médicos alertam para a necessidade de vacinação anual. As crianças devem iniciar a imunização para a influenza a partir de 6 meses de vida, possibilitando que o organismo fique protegido contra a cepa com maior circulação no ano em vigor.

+ Notícias

29/11/2022

Dia de Doar: renúncia fiscal tem potencial de arrecadar até R$ 8 bilhões

Data criada há 20 anos nos Estados Unidos pretende fortalecer cultura de doações no Brasil. Doações via Imposto de Renda podem ser feitas até dia 29 de dezembro
25/11/2022

Hemodinâmica: cateterismo evita cirurgias de grande porte em neonatos

O serviço do Hospital Pequeno Príncipe é referência nacional em pediatria e, em 2021, realizou 297 cateterismos
24/11/2022

Pequeno Príncipe vence o Prêmio Líderes Regionais Paraná 2022

A instituição foi premiada na categoria ESG – Responsabilidade Social. O reconhecimento destaca empresas, organizações e empresários que contribuíram para o desenvolvimento do estado
23/11/2022

Câncer pediátrico: diagnóstico precoce pode salvar até 84% dos pacientes

Referência nacional no tratamento de doenças onco-hematológicas há meio século, Hospital Pequeno Príncipe alerta sobre sintomas
21/11/2022

Pequeno Príncipe atua na prevenção da resistência aos antimicrobianos

A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que 1,3 milhão de pessoas morram a cada ano devido aos efeitos dessa resistência  
20/11/2022

Dia Mundial da Criança chama atenção à defesa de direitos

Em sua trajetória centenária, o Hospital Pequeno Príncipe desenvolve uma série de iniciativas em favor da proteção integral de meninos e meninas  
Ver mais