Gala Pequeno Príncipe em Nova York celebra os 100 anos do Hospital - Hospital Pequeno Príncipe

Notícias

Gala Pequeno Príncipe em Nova York celebra os 100 anos do Hospital

Evento que une a alta gastronomia e a solidariedade foi realizado no Gotham Hall, em Manhattan, e reuniu 350 apoiadores da causa da saúde infantojuvenil. Recursos arrecadados serão investidos em assistência e pesquisa
14/10/2019

No mês em que completa 100 anos de história, o Hospital Pequeno Príncipe promoveu a décima edição do Gala Pequeno Príncipe, um evento que une alta gastronomia e solidariedade em prol da causa da saúde infantojuvenil. Os recursos arrecadados com o jantar especial realizado no dia 11 de outubro, no Gotham Hall, em Nova York, serão investidos em assistência em saúde e pesquisa. A celebração reuniu 350 apoiadores em uma noite marcada para celebrar as milhares de vidas transformadas pelo maior hospital pediátrico do Brasil.

“Temos mais de 2 bilhões de crianças no mundo, de acordo com dados do Unicef. E esses 2 bilhões de crianças significam que temos 2 bilhões de desafios e 2 bilhões de oportunidades”, ressaltou a diretora executiva do Hospital, Ety Cristina Forte Carneiro. “Somente no nosso próprio planeta do Pequeno Príncipe, são mais de 300 mil atendimentos ambulatoriais realizados por ano e o nosso propósito é ofertar não somente o direito à vida, mas um tratamento com dignidade e equidade a todos os meninos e meninas que chegam à instituição. Essa é a nossa missão. É o que pregamos e o que estamos fazendo por 100 anos”, completou.

O Gala Pequeno Príncipe é realizado desde 2011. E o sucesso do evento somente foi possível por causa da dedicação das co-chairs do Gala. “Quero compartilhar a alegria de estar com todos vocês neste grande evento celebrando os 100 anos do Hospital. Eu tenho a honra de ser embaixadora dessa causa maravilhosa. Agradeço a vocês por terem escolhido apoiar essa instituição, que tem uma missão tão importante e que tem constantemente aumentando as chances de curar crianças com câncer e doenças complexas, não somente no Brasil, mas em todo o mundo, por meio das descobertas feitas em suas pesquisas”, afirmou a co-chair Daniele Giacomazzi Behring.

O centenário e os planos futuros do Pequeno Príncipe também foram destacados pela co-chair Amalia Spinardi Thompson Motta. “Hoje, nós celebramos os 100 anos do Hospital e não podemos esquecer o quão fortes e incríveis são as mulheres que, junto a tantos homens, trabalharam muito para escrever essa história, para chegar tão longe. Cem anos é muito, mas nós não vamos parar aqui. Ainda temos tantos sonhos mais para sonhar. E tanto mais que podemos e vamos fazer pelas nossas crianças do Brasil”, salientou.

O evento
O Gala Pequeno Príncipe – que teve os jornalistas Mila Burns e Pedro Andrade como mestres de cerimônias – foi marcado por um jantar especial, com um menu exclusivo elaborado pelo chef francês Claude Troisgros, padrinho e curador do evento, e pelos chefs Alex Atala, Daniel Boulud, Helena Rizzo e Thomas Troisgros. “É um grande prazer estar aqui nesta noite para o aniversário de 100 anos do Hospital Pequeno Príncipe. É uma honra estar com vocês em Nova York e com esses chefs para preparar os pratos que serão servidos neste jantar. Eles são os melhores dos melhores chefs do mundo”, disse Claude ao apresentar o time de estrelas da gastronomia presentes no Gala.

O evento também foi marcado por uma homenagem prestada à cientista brasileira Lygia da Veiga Pereira, ao empresário norte-americano Paul J. Fribourg e à jornalista Paula Zahn, que em suas trajetórias têm dado importantes contribuições para uma sociedade com mais oportunidades de saúde e vida para todos. “Estou muito feliz em receber essa homenagem vinda de uma instituição de tanta excelência, que combina assistência médica, educação e pesquisa. Ser um pesquisador no Brasil é para os corajosos. Infelizmente, o nosso país ainda não aprendeu que a ciência é a principal ferramenta para o desenvolvimento sustentável. O Pequeno Príncipe reconhece a importância da ciência. A instituição trata os pacientes e ainda tem um instituto de pesquisa impressionante”, declarou a pesquisadora, que é uma das cientistas mais importantes no cenário brasileiro.

“Nós não poderíamos estar mais orgulhosos por sermos homenageados por essa instituição especial. Um hospital que tem uma história que impressiona”, falou a jornalista Paula. “Uma marca do Pequeno Príncipe é a incrível colaboração entre médicos, pesquisadores e professores. Eles são extremamente comprometidos em reduzir a taxa de mortalidade infantojuvenil e em aprimorar o diagnóstico de doenças complexas. Nesta noite, nós estamos muito honrados e gratos por esse reconhecimento. Estamos nos sentindo muito especiais e, até mesmo, um pouco brasileiros”, acrescentou Fribourg.

Leilão e atrações musicais

Outro momento especial do Gala foi a realização de um leilão em prol do Hospital Pequeno Príncipe, no qual os convidados tiveram a oportunidade de contribuir ainda mais com a causa da saúde infantojuvenil. Foram oferecidos diversos lotes nessa ação, que contou com o apoio de renomadas grifes, como IWC Schaffhausen, Montblanc, Jack Vartanian e PatBO, entre outras.

Além disso, os apoiadores presentes tiveram momentos de muita animação, com um show da cantora Giulia Be. Aos 19 anos, ela é a revelação da música pop brasileira. O coral Broadway Youth Ensemble – formado por crianças e jovens e que tem no currículo mais de 40 apresentações em espetáculos da Broadway, como “O Rei Leão” e “Mary Poppins” – e o DJ Gaspar Muniz – que participou do Gala pela segunda vez – também se apresentaram durante o jantar.

+ Notícias

28/05/2024

Como resgatar as brincadeiras tradicionais na era digital?

Neste Dia Mundial do Brincar, o Hospital Pequeno Príncipe reforça a importância de equilibrar o tempo de tela com atividades lúdicas
26/05/2024

Centro de Vacinas Pequeno Príncipe: 25 anos de excelência em saúde

Inovação, atendimento integral, atualização contínua, compromisso e capacitação de profissionais marcam um quarto de século da unidade
22/05/2024

Qual é a importância do vínculo afetivo na Primeiríssima Infância?

A ligação entre a criança e seus cuidadores se estabelece ainda na gravidez e se estende por um longo caminho após o nascimento
18/05/2024

Aumentam registros de violência contra crianças e adolescentes

Nas últimas duas décadas, foram mais de nove mil pacientes atendidos no Hospital Pequeno Príncipe por maus-tratos; violência sexual predomina
17/05/2024

Pequeno Príncipe mobilizado pelo Rio Grande do Sul

Iniciativas vão desde teleconsultas a crianças e adolescentes em parceria com hospital gaúcho até mobilização de profissionais
15/05/2024

Como falar sobre as enchentes com as crianças?

Hospital Pequeno Príncipe destaca a importância de agir com sensibilidade e estar atento aos sinais de sofrimento manifestados pelos pequenos
Ver mais