Férias: cuidados para garantir a segurança das crianças em casa

Notícias

Férias: cuidados para garantir a segurança das crianças em casa

Em 2019, 112 mil meninas e meninos foram hospitalizados em decorrência de acidentes domésticos
04/07/2022
acidentes férias
Neste mês de julho, com as crianças mais tempo em casa, os riscos de acidentes tendem a aumentar.

 

Intoxicações, quedas e queimaduras estão entre os principais acidentes domésticos registrados nas férias. Neste mês de julho, com as crianças mais tempo em casa, os riscos tendem a aumentar. Por isso, pais e responsáveis devem redobrar a atenção, já que grande parte dos acidentes registrados nesta época do ano pode ser evitada.

De acordo com o último levantamento da ONG Criança Segura, 112 mil meninas e meninos, de 0 a 14 anos, foram hospitalizados em decorrência de acidentes em 2019 no Brasil. As quedas lideraram o ranking com 47% dos casos, em seguida aparecerem as queimaduras (19%) e intoxicações (3%). Ainda conforme os dados, 90% das ocorrências poderiam ter sido evitadas com medidas simples de prevenção.

O pediatra Eduardo Gubert, do Hospital Pequeno Príncipe, afirma que é extremamente importante que pais e responsáveis façam um levantamento dos lugares mais propensos a acidentes domésticos e adaptem os locais. “Precisamos relembrar que a criança não pode entrar na cozinha ou na área de serviço sozinha, por exemplo. É preciso colocar telas nas janelas e não deixar sofás ou camas próximos dessa área de escape”, detalha o médico.

Confira, abaixo, dicas para evitar acidentes domésticos, especialmente nas férias!

Sala

– Mantenha fios de eletrônicos em protetores.
– Prefira móveis com quinas arredondadas ou use protetores.
– Evite cortinas com puxadores, elas podem trazer risco de estrangulamento.
– Coloque portões nas portas e nas escadas e grades ou redes de proteção em janelas, sacadas e mezaninos.
– Não deixe sofás, poltronas ou cadeiras perto de janelas.
– Retire tapetes do ambiente, porque oferecem risco de quedas. Deixe o piso livre de objetos.

Cozinha

– Certifique-se de que os cabos das panelas estejam virados para dentro.
– Use as bocas de trás do fogão.
– Mantenha fósforos, isqueiros, objetos cortantes e de vidro, cerâmica e sacos plásticos fora do alcance das crianças.
– Evite usar toalhas compridas na mesa de jantar.

“Muitos pais se preocupam com tomadas, mas não fecham a entrada da cozinha, por exemplo. Em termos de números, as queimaduras por água fervente são bem maiores do que queimaduras elétricas. É algo muito sério, muitas crianças perdem a vida vítimas de queimaduras. Se for uma queimadura de segundo grau, o ideal é os pais procurarem um atendimento médico para fazer o curativo adequado e avaliar os sinais vitais”, reforça Gubert.

Banheiro

– Mantenha a tampa da privada sempre fechada.
– Tranque o armário de medicamentos, vitaminas e demais produtos que ofereçam riscos de intoxicação.
– Guarde fora do alcance os utensílios afiados, tesouras e secadores.
– Não deixe a criança na banheira ou no banho sem supervisão.
– Antes do banho, teste a temperatura da água.

“Os casos de afogamentos não são exclusivos de períodos mais quentes do ano. Nesse tipo de ocorrência, o importante é fazer com que a criança respire novamente. Enquanto uma pessoa liga para o Corpo de Bombeiros, outra realiza a técnica de respiração boca a boca. O atendimento médico precisa ser imediato”, explica o pediatra.

Quarto

– Evite posicionar camas e móveis perto de janelas e cortinas.
– Coloque telas ou redes nas janelas.
– Escolha brinquedos com pontas arredondadas, com selo do Inmetro e considere a idade adequada.

Lavanderia ou área de serviço

– Esvazie baldes e bacias e os guarde virados para baixo, longe do alcance de crianças.
– Mantenha os produtos de limpeza em recipientes originais e com formato desconhecido de crianças. Guarde-os em lugares altos e trancados.
– No caso de plantas, verifique se não são venenosas e/ou apresentam perigo para as crianças.

“Em casos de intoxicação, nunca force o vômito. Por exemplo, a criança ingeriu alguma substância cáustica. Ela já fez uma lesão na ida, se você forçar, outra ferida pode ser formada na volta e até ir para o pulmão. Antídotos caseiros e leite também não são adequados. O correto é ligar para o Centro de Informações e Assistência Toxicológica do Paraná [CIATox], pelo número 08000 410 148, ou procurar o serviço médico mais próximo”, argumenta Gubert.

acidentes domésticos
Intoxicações, quedas e queimaduras estão entre os principais acidentes domésticos registrados nas férias.

 

Acidentes domésticos mais comuns com crianças

– Intoxicações: remédios, produtos de limpeza, plantas e inseticidas.
– Quedas: altura, ambientes lisos e molhados – como box do banheiro –, cama, sofá e berço.
– Queimaduras: escaldo ou derramamento de líquido fervente, álcool, panelas e outros objetos quentes.
– Sufocação e engasgamento: alimentos, líquidos, brinquedos, cordões, tiras, botões e moedas.
– Afogamentos: baldes, bacias, tanques e banheiras.

Acompanhe os conteúdos também nas redes sociais do Pequeno Príncipe e fique por dentro de informações de qualidade – Facebook, InstagramTwitterLinkedInYouTube

+ Notícias

12/08/2022

Vacinação contra a COVID-19 é fundamental para proteção de crianças de 3 a 5 anos

Especialista do Pequeno Príncipe, maior hospital exclusivamente pediátrico do Brasil, reforça pontos positivos para os responsáveis que adotam essa medida de prevenção
10/08/2022

“Nosso meio ambiente”: pacientes do Projeto Integra participam de ação ambiental

A iniciativa, realizada na sede que abrigará o Pequeno Príncipe Norte, proporcionou a experiência de explorar o vasto universo do ecossistema presente no local
08/08/2022

Colesterol pode ser prevenido com consumo de alimentos saudáveis

O Hospital Pequeno Príncipe ressalta a importância da adoção de bons hábitos para melhor qualidade de vida desde a infância
05/08/2022

Cirurgia de correção de malformação rara é realizada no Pequeno Príncipe

A reparação da extrofia de cloaca foi feita com a técnica de Kelley, considerada inovadora
04/08/2022

Cientistas estão desenvolvendo gel bucal para tratar mucosite

Principal reação adversa da quimioterapia, a mucosite oral causa intensa dor e pode ser porta de entrada para outras infecções
02/08/2022

Doenças raras é tema de mesa-redonda organizada pelo Pequeno Príncipe

A iniciativa fez parte da programação da 74.ª reunião anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC)
Ver mais