Farmácia do Hospital Pequeno Príncipe tem trabalho diferenciado em favor da saúde infantojuvenil - Hospital Pequeno Príncipe

Notícias

Farmácia do Hospital Pequeno Príncipe tem trabalho diferenciado em favor da saúde infantojuvenil

Conheça a rotina dos profissionais que se dedicam para garantir que os medicamentos utilizados na instituição estejam de acordo com as particularidades de crianças e adolescentes
20/01/2020
O trabalho realizado na farmácia do Pequeno Príncipe é fundamental para garantir o melhor tratamento a crianças e adolescentes de todo Brasil.

A rotina de um hospital pediátrico é repleta de particularidades. No Pequeno Príncipe, por exemplo, os profissionais da área de farmácia têm a missão de fracionar doses dos medicamentos utilizados diariamente na instituição, uma vez que a maioria deles não têm apresentação própria para o público infantojuvenil.

Atualmente, cerca de 80% dos medicamentos padronizados utilizados no hospital são unitarizados de forma a atender as particularidades das crianças e adolescentes – o que significa, em média, mais de 70 mil doses mensais ou 2.300 diariamente. “Todas essas doses são conferidas uma a uma pelo farmacêutico, antes do envio para a enfermagem, visando a segurança do paciente”, observa Julliana Bianco Giuriatti Bassani, coordenadora de farmácia do Pequeno Príncipe.

A coordenadora de farmácia do Hospital Pequeno Príncipe, Julliana Bianco Giuriatti Bassani: a área conta com 74 colaboradores, sendo 11 farmacêuticos, 1 analista de suprimentos, além de auxiliares de farmácia e 7 estagiários.

A farmácia do Pequeno Príncipe conta com 74 colaboradores, sendo 11 farmacêuticos, 1 analista de suprimentos, além de auxiliares de farmácia e 7 estagiários. A área tem diferentes frentes de atividades (Central de Abastecimento Farmacêutico – CAF; dose unitária; dispensação; e farmácia satélite do Centro Cirúrgico, das UTIs e das Emergências), que funcionam – em sua quase totalidade – 24 horas ininterruptamente.

Neste Dia do Farmacêutico, celebrado em 20 de janeiro, o Hospital Pequeno Príncipe reconhece a dedicação desses profissionais para assegurar o cuidado integral oferecido a meninos e meninas de todo país. “Como atendemos pacientes de 0 a 18 anos e a diversidade de doses é imensa, a análise farmacêutica da prescrição médica é extremamente importante para que o medicamento prescrito seja realmente efetivo. Por isso, nossos farmacêuticos estão em contato direto com os médicos fazendo as intervenções farmacêuticas para os ajustes necessários de prescrição médica”, reitera Julliana Bianco Giuriatti Bassani.

Para a coordenadora de farmácia do Pequeno Príncipe, o trabalho realizado é sinônimo de motivação. “A criança representa alegria, começo de vida e futuro. Poder interferir e melhorar a condição delas trazendo alívio para a dor e cura por meio do tratamento realizado no Pequeno Príncipe nos enche de alegria e motiva a querer sempre fazer mais e melhor para quem ainda tem muito a viver”, avalia.

+ Notícias

23/05/2022

Voluntários do Pequeno Príncipe retornam às atividades presenciais

A retomada foi possível com todos os cuidados que o momento de pandemia do coronavírus ainda exige
19/05/2022

Representantes do CEDCA visitam o Centro de Reabilitação e Convivência Pequeno Príncipe

A unidade, que foi reestruturada, atende a diferentes tipos de deficiências de forma integral e humanizada
18/05/2022

Em um ano, Hospital atende mais de 600 crianças e adolescentes vítimas de violência

Em comparação com o ano anterior, o aumento de casos foi de 11%; mais da metade das ocorrências aconteceu na residência da própria criança
17/05/2022

Pequeno Príncipe inicia campanha televisiva para captação de recursos

A iniciativa busca dar mais visibilidade para a causa da saúde infantojuvenil, além de contribuir para a sustentabilidade econômico-financeira da instituição
16/05/2022

Atualização do calendário vacinal pode prevenir casos de SRAG no público infantojuvenil

Diversas doenças respiratórias podem evoluir para a síndrome aguda grave. O Pequeno Príncipe alerta que as medidas de prevenção, como a imunização, precisam ser mantidas
15/05/2022

Sintomas da mucopolissacaridose aparecem na primeira infância

A doença rara é genética e neurodegenerativa, que evolui com sintomas multissistêmicos
Ver mais