Exposição Fada de Botas traz cultura acessível ao Quintana Café - Hospital Pequeno Príncipe

Notícias

Exposição Fada de Botas traz cultura acessível ao Quintana Café

Maureen Miranda é responsável pela criação de 22 gravuras que ilustram a obra apoiada pelo Pequeno Príncipe; venda será revertida totalmente ao hospital.
08/11/2013

Com uma singela história de uma fada, a autora Fernanda Salgueiro imprime nas páginas da obra “Fada de Botas” a visão de inclusão. Este importante tema é retratado sem rótulos nas páginas do livro, que conta ainda com gravuras da artista Maureen Miranda e apoio do Hospital Pequeno Príncipe. A obra rendeu, inclusive, uma exposição das obras executadas para as páginas do livro pela artista, com abertura neste sábado, dia 9 de novembro, a partir das 11 horas, no Quintana Café e Restaurante – as obras ficarão expostas até 23 de dezembro. O espaço abre exclusivamente para convidados pela manhã, com um drink de boas-vindas, e abre normalmente para o público geral para o almoço a partir das 12 horas.

Para a criação da obra, a autora Fernanda Salgueiro partiu do ponto de vista da inclusão.  “Quando pensei na personagem, pensei na questão da inclusão, mas sem rótulos. Algumas pessoas gostam de entender a moral da história, na verdade, entendo que a criança precisa viver a aventura, muito mais do que ter uma conclusão sobre a obra”, explica Fernanda.

A artista Maureen Miranda foi a responsável por transformar as ideias de Fernanda em ilustrações. São 22 gravuras feitas especialmente para a obra, com materiais como aquarela, canetas diversas, colagem e rendas. “Usei a própria história para me inspirar. Sempre gostei de fadas, de coisas lúdicas. Eu entrei no clima e as gravuras saíram naturalmente”, conta a artista. As obras serão vendidas na ocasião pelo valor de R$ 240, e toda a renda será revertida ao Hospital Pequeno Príncipe. Neste sábado, as crianças poderão ainda participar de uma contação de história, que acontece às 14h30, também no Quintana Café.
fada
Fada de Botas conta a história da fadinha Amanda, que não gostava de usar seus óculos, algo raro no mundo das fadas. Sem enxergar direito, um dia feriu as asas e precisou andar. A experiência acabou machucando os pés da protagonista, que então reparou nos “enfeites de pés” utilizados pelos humanos e passou a desejar um par de botas cor-de-rosa.

A inclusão está presente também nos formatos propostos no Fada de Botas, que é financiado pela Lei Rouanet e tem apoio do Hospital Pequeno Príncipe. Além da versão impressa – que será distribuída para crianças e adolescentes em tratamento na instituição –, o projeto prevê um audiolivro, o que garantirá acesso às crianças com deficiência visual. E mais: haverá uma versão digital disponível no site www.fadadebotas.com.br.

Serviço: Abertura Exposição “Fada de Botas”. Dia 9 de novembro, a partir das 11 horas, no Quintana Café e Restaurante. Av. Batel, 1440. Informações: (41) 3078-6044 e (41) 3078-8944.

+ Notícias

30/09/2022

Setembro Amarelo: é preciso falar sobre tentativa de suicídio na infância e adolescência

O Hospital Pequeno Príncipe, referência em atendimentos pediátricos, registrou um aumento de 95% dos casos do primeiro semestre de 2021 para 2022
29/09/2022

Coração dá sinais de que precisa de cuidado

Neste Dia Mundial do Coração, o Hospital Pequeno Príncipe alerta quando é necessário buscar um pediatra
27/09/2022

Doação de órgãos e tecidos: uma decisão que transforma vidas

O Hospital Pequeno Príncipe, que até agosto de 2022 realizou 183 transplantes de órgãos, reforça a importância do diálogo sobre o tema
26/09/2022

Voluntários celebram o brincar em retorno ao Pequeno Príncipe

Neste ano, o Dia do Voluntário Paranaense é cercado de ainda mais emoção, devido à retomada das atividades presenciais
23/09/2022

Setembro Amarelo: saiba como agir caso alguém busque apoio

Ser empático com os sentimentos da criança e do adolescente é muito importante, além de necessário encorajar a buscar um profissional especializado em saúde mental
22/09/2022

Acompanhamento médico é fundamental para saúde de adolescentes e jovens

De acordo com especialista, a assistência é importante nessa fase, pois facilita o acesso a informações corretas, incluindo a vacinação
Ver mais