Eventos emanam gratidão e esperança no Hospi

Notícias

Eventos emanam gratidão e esperança no Hospital

No clima natalino, profissionais, familiares e pacientes do Pequeno Príncipe vivenciaram uma diversidade espiritual, reforçando valores de respeito e compaixão
20/12/2023
eventos
A tradicional missa de Natal reuniu paciente, familiares e profissionais em um momento de agradecimento pelo ano que chega ao fim.

O Hospital Pequeno Príncipe foi palco de três eventos que reuniram diferentes tradições espirituais com o intuito de agradecer o ano que está chegando ao fim. Desde a emocionante cerimônia inter-religiosa, passando pela encantadora cantata de Natal até a tradicional missa, profissionais, familiares e pacientes puderam vivenciar uma atmosfera de paz, esperança e compaixão.

A psicóloga e gerente do Serviço de Voluntariado, Rita Lous, destacou que ações como essas também são importantes para manter as tradições comuns desta época do ano. “Acredito que é importante para a criança e para a família manter esse clima de Natal e de celebração. Poder viver isso dentro do Hospital, apesar do tratamento, proporciona aconchego e tranquilidade”, pontuou.

A celebração inter-religiosa uniu diferentes crenças.

Sobre os eventos

A diversidade de crenças foi celebrada no dia 8 de dezembro, quando líderes de quatro religiões diferentes se uniram para uma cerimônia especial. Wilmar Sandro Pereira, representando o budismo; pastor Adair Franklin, da Igreja Evangélica de Confissão Luterana; Fernando Petrosky, líder espírita; e diácono Rosalvo de Moura Jorge, da Igreja Católica Apostólica Romana, compartilharam o momento espiritual.

No dia 14 de dezembro, a atmosfera festiva continuou com a chegada de uma cantata de Natal preparada pelos membros da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias. A apresentação foi realizada em frente ao Setor de Internação da instituição, fazendo com que as crianças, adolescentes e seus familiares apreciassem o coro pela janela.  Melodias clássicas, como “Bate o sino”, “Feliz navidad” e “Pinheirinhos, que alegria”, encantaram os participantes.

A cantata proporcionou alegria aos participantes.

Encerrando as festividades, em 19 de dezembro, o Hospital acolheu a tradicional missa de Natal, presidida pelo dom Reginei José Modolo. Essa celebração, carregada de simbolismo e espiritualidade, uniu o público em oração e reflexão. Além disso, reforçou os valores de fraternidade e compaixão, essenciais para enfrentar os desafios do novo ano que se inicia.

A religiosa irmã Maria Eugênia, que atua no Acolhimento Espiritual, ressaltou que no Hospital todas as pessoas são contempladas e escutadas. “Sabemos que a espiritualidade é uma dimensão inerente a todo ser humano, independentemente de credo, denominação, discurso ou opção religiosa. Não existe uma crença maior do que a outra. O importante é saber respeitar o próximo e incluí-lo”, finalizou.

Acompanhe os conteúdos também nas redes sociais do Pequeno Príncipe e fique por dentro de informações de qualidade – FacebookInstagramTwitterLinkedIn e YouTube.

+ Notícias

16/04/2024

COVID-19 e dengue são ameaças à saúde das crianças no Brasil

Primeiro trimestre de 2024 foi marcado pela elevação do número de casos e de mortes provocadas pelas duas doenças
11/04/2024

Renúncia fiscal transforma a vida de crianças e adolescentes

Destinação do Imposto de Renda contribui para a equidade no atendimento em saúde a pacientes vindos de todo o país
08/04/2024

Pronon e Pronas: Pequeno Príncipe contribui com consulta pública

Há dez anos, o Hospital elabora, executa e presta contas de projetos desenvolvidos dentro dos programas
07/04/2024

Dia Mundial da Saúde: “Minha Saúde, Meu Direito”

O Hospital Pequeno Príncipe desenvolve uma série de iniciativas em favor da proteção integral de meninos e meninas
02/04/2024

TDAH e autismo: quais são as semelhanças e diferenças?

A identificação da manifestação dos sintomas é crucial para o diagnóstico e tratamento adequados e individualizados
30/03/2024

Como ajudar a criança ou o adolescente com transtorno bipolar?

Por ser uma doença crônica, que não tem cura, o apoio dos pais, familiares e amigos é essencial
Ver mais