Complexo, Doe, Gols Pela Vida, Hospital, Instituto de Pesquisa

Evento sobre Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) reúne apoiadores do Pequeno Príncipe em São Paulo


Na ocasião, o Hospital deu início ao processo de adesão formal ao Pacto Global

Marcelo Linguitte , Thelma Alves Oliveira e Luciane Venturini comandaram o evento “Objetivos de Desenvolvimento Sustentável e o Impacto dos Compromissos Globais no Universo Corporativo”.

No dia 9 de outubro, o Hospital Pequeno Príncipe realizou em São Paulo mais uma edição do evento “Inspiração e Sustentabilidade”, que convida apoiadores da instituição para refletir sobre temas relacionados à responsabilidade social. No encontro deste ano, o tema abordado foi “Objetivos de Desenvolvimento Sustentável e o Impacto dos Compromissos Globais no Universo Corporativo”.

Na ocasião, a direção do Hospital Pequeno Príncipe entregou ao representante da Rede Brasil do Pacto Global, Marcelo Linguitte, a carta de compromisso e a comunicação de engajamento da instituição ao Pacto Global. “Estamos formalizando a nossa participação na Rede Brasil do Pacto Global, reafirmando assim nosso compromisso com uma atuação responsável que contribui efetivamente para o desenvolvimento da sociedade”, afirmou a coordenadora de projetos, Thelma Alves Oliveira.

O evento reuniu representantes de diversas empresas apoiadoras do Pequeno Príncipe. Marcelo Linguitte apresentou os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável e a forma como os dez princípios do Pacto Global se relacionam com os ODS. O Pacto Global advoga dez princípios universais, derivados da Declaração Universal de Direitos Humanos, da Declaração da Organização Internacional do Trabalho sobre Princípios e Direitos Fundamentais no Trabalho, da Declaração do Rio sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento e da Convenção das Nações Unidas Contra a Corrupção. As organizações que passam a fazer parte do Pacto Global comprometem-se a seguir esses princípios no dia a dia de suas operações e assumem ainda a responsabilidade de contribuir para o alcance dos ODS.

Criada em 2003, a rede brasileira é a terceira maior do mundo e conta com 800 membros. Ela atua por grupos de trabalho temáticos (água e saneamento, ODS, alimentos e agricultura, anticorrupção, energia e clima, entre outras), que se reúnem para discutir possibilidades de soluções para problemas que comprometem o desenvolvimento sustentável. Já os ODS foram criados pela ONU em 2015. Trata-se de um conjunto de 17 objetivos para os próximos 15 anos, que compõem a Agenda 2030.

Caterpilar

Após a apresentação de Linguitte, a consultora de responsabilidade social da Caterpilar, Luciane Venturini, apresentou como a empresa tem alinhado suas ações de responsabilidade social aos ODS. Segundo ela, esse alinhamento garante à empresa “credibilidade, foco, resultados mais concisos e a alavancagem do sistema social do país”. “Hoje o Brasil enfrenta uma grande crise de credibilidade. Quem trabalha em multinacionais está sentindo muito essa realidade. Alinhar o investimento social aos ODS tem nos ajudado a agregar credibilidade aos investimentos que fazemos”, declarou.

A Caterpilar apoia anualmente cerca de 30 projetos, atendendo a todos os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável. “Em 30 anos de atuação no Brasil, já beneficiamos cerca de nove milhões de pessoas”, informou.

Pequeno Príncipe

Para finalizar o evento, a coordenadora de projetos do Hospital Pequeno Príncipe, Thelma Alves Oliveira, apresentou aos participantes as iniciativas da instituição e como elas se relacionam com os dez princípios do Pacto Global e os ODS. “Nós estamos comprometidos em entregar saúde de qualidade, garantindo os direitos fundamentais”, enfatizou.

Além de dedicar mais de 60% da sua capacidade de atendimento aos pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS) em 32 especialidades pediátricas, o Hospital mantém diversos programas de humanização voltados à família, pacientes e colaboradores. Também desenvolve um conjunto de práticas voltadas à redução e monitoramento do consumo de água, energia e resíduos, buscando minimizar o impacto ambiental, que engloba ações como substituição de lâmpadas para melhoria da eficiência energética, compostagem de resíduos alimentares, entre outros. Além da gestão ambiental responsável, o Pequeno Príncipe também desenvolve programas de educação ambiental e ações de preservação e reposição da mata nativa na área em que será construída sua nova unidade: o Pequeno Príncipe Norte.

No eixo relacionado ao combate à corrupção, parcerias e instituição eficaz, mantém uma série de ações de prestação de contas a seus diversos públicos, além de disponibilizar relatório e balanço anual auditado a toda população no seu portal. Também integra redes de articulação, em prol da promoção e defesa dos direitos da criança e do adolescente e da saúde infantojuvenil.

+ Notícias

Faça sua doação