Erotização prejudica o desenvolvimento das crianças - Hospital Pequeno Príncipe

Notícias

Erotização prejudica o desenvolvimento das crianças

Às vésperas do carnaval, é necessário reforçar a necessidade de cuidados com tudo que envolve a questão da sexualidade e o desenvolvimento do universo infantil
22/02/2017

Propagandas, músicas, fotografias, roupas e até mesmo a interação social podem representar perigo para as crianças. A sexualidade, constantemente presente e enaltecida nesses meios, jamais deve invadir o universo infantil. Em festas como o carnaval, por exemplo, a erotização fica ainda mais evidente e é papel da sociedade proteger os meninos e meninas.

O acesso a elementos inadequados para o desenvolvimento das crianças leva a comportamentos desapropriados. “Dessa forma, os meninos e meninas são precocemente induzidos a uma fase para a qual ainda não estão preparados. Isso pode gerar um sofrimento interno, uma falha na construção da identidade, no estabelecimento de relações sociais e na construção das emoções”, explica a psicóloga do Hospital Pequeno Príncipe, Daniela Prestes.

Além disso, de acordo com a profissional, os meninos e meninas também acabam expostos a riscos ainda maiores. “Existem inúmeros casos de exploração e abuso sexual na infância. Infelizmente, a pedofilia também está presente no cotidiano e nós precisamos tomar cuidado. Muitas vezes, são os próprios pais ou pessoas do convívio que induzem a sexualidade, quando na verdade deveriam impor limites”, aponta.

Para a psicóloga, a conversa direta é a melhor solução. “Os pais ou cuidadores devem falar para as crianças que existem coisas que são do universo infantil, como existem coisas próprias do universo adulto. Eles precisam explicar que para tudo há uma hora adequada”, destaca. Diante dos estímulos externos, também é necessário cuidado. “Não conseguimos controlar tudo o que as crianças veem, mas temos que ajudá-las a dar sentido ao que observaram. Por exemplo, no caso do carnaval, é necessário explicar que é uma festa, uma situação específica”, relata.

A sexualidade está presente em todas as fases da vida
Desde o momento do nascimento, as crianças já estão expostas à sexualidade e isso é normal. “Existem fases na vida dos meninos e meninas nas quais eles começam a perceber o próprio corpo e passam a diferenciar as características físicas do homem e da mulher. Isso é aceitável e faz parte do processo de desenvolvimento. O problema é quando o sensual, o erótico e o que excita invadem o universo infantil. Aí, a criança deixa de ser criança e é onde mora o perigo”, ressalta a especialista.

+ Notícias

05/08/2022

Cirurgia de correção de malformação rara é realizada por Pequeno Príncipe

A correção da extrofia de cloaca foi realizada pela técnica de Kelley, considerada inovadora
04/08/2022

Cientistas estão desenvolvendo gel bucal para tratar mucosite

Principal reação adversa da quimioterapia, a mucosite oral causa intensa dor e pode ser porta de entrada para outras infecções
02/08/2022

Doenças raras é tema de mesa-redonda organizada pelo Pequeno Príncipe

A iniciativa fez parte da programação da 74.ª reunião anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC)
01/08/2022

Aleitamento materno favorece desenvolvimento da inteligência e estrutura da face

Especialistas do Hospital Pequeno Príncipe explicam ligação entre o neurodesenvolvimento e o crescimento ósseo adequado da face
28/07/2022

Hepatites A e B podem ser prevenidas por meio da vacinação

O Centro de Vacinas Pequeno Príncipe disponibiliza imunizantes contra essas duas formas da doença, que ocorrem de forma endêmica no Brasil
27/07/2022

Único hospital do Brasil com 35 especialidades pediátricas atrai estudantes de todo o país

Com 50 anos de existência, a residência em pediatria do Pequeno Príncipe ajuda a melhorar o déficit de especialistas em diversos estados brasileiros
Ver mais