É necessário transmitir segurança para as crianças e os adolescentes no retorno às aulas - Hospital Pequeno Príncipe

Notícias

É necessário transmitir segurança para as crianças e os adolescentes no retorno às aulas

Manter um diálogo transparente com a garotada e com a escola é essencial para que o período seja encarado com tranquilidade
03/02/2017
DSC_0008
Crianças do Centro de Educação Infantil do Hospital Pequeno Príncipe, dedicado aos filhos de colaboradores da instituição.

O retorno às aulas, adaptar-se a novos professores e colegas, além de ser inserido em uma rotina diferente, pode gerar aflições e ansiedade nas crianças e nos adolescentes. Para que o período seja encarado com mais tranquilidade, é necessário que os pais e cuidadores mantenham um diálogo transparente com os jovens e também com a instituição de ensino.

A família tem o papel de transmitir segurança. “Diante das mudanças, é muito importante que os pais e cuidadores preparem a criança ou o adolescente para esse momento. Eles devem acolhê-los, mas não incentivar o drama”, aponta a coordenadora do Setor de Psicologia do Hospital Pequeno Príncipe, Ângela Bley.

Uma dica, de acordo com a psicóloga, é proporcionar momentos de socialização. “Se a escola for nova, é legal que os meninos e meninas conheçam o ambiente antes, por exemplo. Se for a mesma, marcar ou incentivar encontros com os amigos durante o período de férias e até aos fins de semana também é uma boa estratégia”, explica.

Mesmo assim, nos primeiros dias a recusa é considerada normal. “É importante que os pais e cuidadores se coloquem no lugar da criança. É comum que ela não queira ir à escola. Apesar disso, é preciso deixar claro que tudo vai ficar bem, que você vai voltar para buscá-la”, destaca a profissional.

A orientação é para que os pais e cuidadores também estejam sempre atentos à filosofia da instituição de ensino e ao comportamento dos garotos e garotas. “Uma regressão no começo pode até ser natural, mas é necessário observar como serão as atitudes dessa criança ou desse adolescente, e, é claro, incentivar o diálogo em casa”, afirma Ângela Bley.

+ Notícias

02/12/2022

Mitos e verdades sobre convulsões

Distúrbio que provoca grande apreensão nos pais, as convulsões precisam de acompanhamento médico
29/11/2022

Dia de Doar: renúncia fiscal tem potencial de arrecadar até R$ 8 bilhões

Data criada há 20 anos nos Estados Unidos pretende fortalecer cultura de doações no Brasil. Doações via Imposto de Renda podem ser feitas até dia 29 de dezembro
25/11/2022

Hemodinâmica: cateterismo evita cirurgias de grande porte em neonatos

O serviço do Hospital Pequeno Príncipe é referência nacional em pediatria e, em 2021, realizou 297 cateterismos
24/11/2022

Pequeno Príncipe vence o Prêmio Líderes Regionais Paraná 2022

A instituição foi premiada na categoria ESG – Responsabilidade Social. O reconhecimento destaca empresas, organizações e empresários que contribuíram para o desenvolvimento do estado
23/11/2022

Câncer pediátrico: diagnóstico precoce pode salvar até 84% dos pacientes

Referência nacional no tratamento de doenças onco-hematológicas há meio século, Hospital Pequeno Príncipe alerta sobre sintomas
21/11/2022

Pequeno Príncipe atua na prevenção da resistência aos antimicrobianos

A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que 1,3 milhão de pessoas morram a cada ano devido aos efeitos dessa resistência  
Ver mais